Novembro Roxo defende separação zero entre mães e bebês prematuros

Campanha no Mês Mundial da Prematuridade alerta para a importância de se manter o vínculo entre mãe e bebê, rompido na pandemia

O país é o 10º colocado no ranking mundial da prematuridade, com 300 mil nascimentos prematuros registrados em 2019, segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Desse total, 11,7% dos partos ocorrem antes das 37 semanas de gestação no Brasil, informam o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e o Ministério da Saúde.
São considerados prematuros os bebês que nascem antes das 37 semanas de gestação, período em que se conclui o ciclo gestacional. No Brasil, 340 mil famílias são afetadas pela chegada antecipada dos bebês, o que corresponde a 12% do total de nascimentos. Além de garantir qualidade de vida para esses pequenos, é preciso agir para prevenir o parto antecipado. A prevenção passa pelo planejamento da gravidez e por um bom acompanhamento pré-natal.

Quando prematuros, os bebês vão completar seu desenvolvimento fora do útero da mãe e em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal, por meio do acompanhamento de especialistas pediátricos. Os riscos da prematuridade são muitos, pois pode provocar alterações cardíacas, pulmonares, neurológicas e gastrointestinais.

O vínculo entre pais e bebês prematuros

Bebê prematuro internado na UTI do Hospital Pequeno Príncipe (Foto: Marieli Prestes)

A pediatra e neonatologista Silmara Aparecida Possas, que atua no hospital pediátrico Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR), explica que a presença da mãe e do pai é essencial, porque além da parte afetiva, eles conseguem observar todo o atendimento prestado ao seu bebê.

“Os pais do recém-nascido devem permanecer a maior parte do tempo com seu filho na UTI Neonatal para observarem todo o atendimento, progresso, dificuldades, e ações para a manutenção da vida. A presença também é fundamental para que participem das discussões com as equipes multiprofissionais sobre metas e o plano terapêutico dos filhos”, diz.

Durante o período de internação, é fundamental que as crianças tenham a presença em tempo integral dos seus pais para que esse desenvolvimento aconteça da melhor forma possível. A médica também ressalta que essa presença dos pais durante o internamento do prematuro na UTI Neonatal é bastante positiva para o bebê e acelera o tempo de recuperação.

“Nesse período de internação o vínculo entre a família é fortalecido. Os bebês que são acompanhados respondem positivamente aos estímulos dos pais, o que auxilia no amadurecimento e equilíbrio da vida da criança, além de acelerar sua recuperação”, completa.

Novembro Roxo alerta para ‘Separação Zero’

Neste 17 de novembro, lembrado como Dia Mundial da Prematuridade, a campanha Novembro Roxo faz um alerta sobre o crescente número de partos prematuros, como preveni-los, e informa a respeito das consequências do nascimento antecipado para o bebê, para sua família e para a sociedade.

Segundo a dra Silmara, diversos fatores podem levar a acontecer um nascimento antes do tempo, como doenças maternas, alteração do colo uterino, infecções urinárias, hipertensão arterial e doenças sexualmente transmissíveis. Por isso é muito importante a realização do pré-natal, pois ele pode evitar o parto prematuro indicando riscos, sinais e sintomas de alerta que podem ser contornados clinicamente.

Este ano a iniciativa tem como tema “Separação Zero”, que reforça a importância dessa aproximação e o fortalecimento do vínculo entre mães e filhos prematuros. A ação pretende incentivar o livre acesso ao pai e as melhores condições para a mãe permanecer internada  24h com o bebê. Com a pandemia, durante um longo período houve restrição do livre acesso do pai às maternidades em todo o Brasil, além de maior receio de mães estarem no ambiente hospitalar 24 horas por dia.

Gravatas e tiaras confeccionadas pelas mamães

Localizado a 114 km distante da capital Belém, o Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), que realiza atendimentos de média e alta complexidade gratuitos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e recebeu recentemente o título de ‘Hospital Amigo da Criança’, tem procurado incentivar que pais e filhos são mantidos sempre juntos.

No início de novembro, os bebês prematuros internados nas unidades de terapia do hospital receberam um presente especial em alusão à campanha Novembro Roxo: gravatas e tiaras confeccionadas pelas mamães. A ação, com a oficina de artesanato, tem objetivo de chamar atenção, de forma lúdica e humanizada, ao mês internacional de sensibilização sobre a prematuridade.

Por meio da produção de acessórios, as mães de bebês prematuros se tornam parte integrante dos cuidados e tratamentos dos recém-nascidos. Para Miqueline Alho, moradora de Cametá, que está há 37 dias acompanhando o filho Dom na UCI, a prematuridade é uma experiência desafiadora, mas que é minimizada com a oficina.
“É a primeira vez que passo por isso, e conto os dias para o Dom ganhar peso, respirar bem e ir para casa. É muito difícil ficar bem com um filho lutando pela vida. É na oficina que eu fico alegre, converso com as outras mães, me distraio um pouco. Fiz uma gravata para o Dom, primeiro presente de muitos, e me sinto bem melhor. Ele ficou lindo nas fotos”, disse emocionada.
Miqueline Alho acompanha o filho Dom na UTI (Foto: Divulgação)

Mães fazem book fotográfico com bebês prematuros

Com a vestimenta personalizada, as mães fizeram um book fotográfico com os filhos ainda no início da vida, que será exposto no Mural Digital do Plantar no HMIB, para usuários e colaboradores. A  ação faz parte da programação especial de Novembro Roxo que será realizada durante todo o mês, com atividades e ações voltadas para prevenção da prematuridade.
“Queremos ressignificar esse momento, pois muitas mães idealizam uma maternidade saudável, e a prematuridade muda esse cenário. Temos bebês que nascem muito pequenos e podem passar até meses internados, e a fisionomia muda com o tempo”, conta Daniella Dias, psicóloga do HMIB.
Segundo ela, a oficina é mais uma  oportunidade de permitir que a mãe tenha condições de ficar internada para acompanhar o filho prematuro o tempo todo, possibilitando um espaço mais acolhedor. “É também uma forma de guardar uma lembrança do nascimento para mostrar à família”, destaca.
Para Heloísa Santos, terapeuta ocupacional da Pró-Saúde, gestora do hospital desde 2018, além de envolver as mães na causa, o objetivo é proporcionar um momento de descontração e relaxamento. “Mães de prematuros passam muito tempo no hospital acompanhando eles ganharem peso ou algum tipo de tratamento, o que causa ansiedade e estresse. A oficina minimiza os efeitos negativos da hospitalização”, complementa.
De acordo com Heloísa, que atua no HMIB, além de ser um atendimento humanizado às mães, o presente que elas fazem é um símbolo da atenção e cuidado aos prematuros em atendimento na Unidade de Terapia intensiva (UTI) e Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), fortalecendo o vínculo entre mãe e filho.
No Agosto Dourado – mês de incentivo ao aleitamento materno -, o HMIB se tornou o primeiro hospital da região do Baixo Tocantins a receber o selo Amigo da Criança, concedido pela Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), Unicef e OMS (Organização Mundial da Saúde), aos hospitais que realizam o cumprimento dos dez passos para o sucesso do aleitamento materno.

Agenda Positiva

Workshop gratuito sobre cuidados com o prematuro

O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB) promove esta semana, de 17 a 19 de novembro, o 3º Workshop sobre Prematuridade. Com o tema “Separação Zero”, a unidade busca compartilhar informação e também sensibilizar o público para a campanha Novembro Roxo, mês de conscientização à prematuridade.
A equipe de profissionais da área assistencial, junto ao grupo de humanização da unidade, vai realizar um conjunto de ações para mães, colaboradores e profissionais de saúde — representantes e gestores dos onze municípios que compõem o Baixo Tocantins — para conscientizar sobre a prevenção da prematuridade e compartilhar boas práticas de cuidados aos recém-nascidos.
A programação iniciará com o acolhimento às mães na próxima quarta-feira (17), no Dia Mundial da Prematuridade, com uma apresentação do book fotográfico feito com os bebês e comemoração de um ano do projeto Livro do Bebê. No book, os recém-nascidos utilizaram roupas e acessórios no tom roxo confeccionados pelas próprias acompanhantes em uma oficina humanizada.
A programação do dia seguinte (18) será direcionada especialmente aos colaboradores que atuam no cuidado e acolhimentos aos recém-nascidos das unidades de internação do hospital. Dinâmicas sensoriais e depoimentos de mães de prematuros que passaram pelos atendimentos desses profissionais por longo período, serão apresentados com uma homenagem.
Na sexta-feira (19), profissionais de saúde da região irão debater os fatores de risco da prematuridade, prevenção, cuidados iniciais ao recém-nascido prematuro e o transporte de outras regiões para o Materno-Infantil de Barcarena.

Experiência da mãe de UTI é mostrada em live

Para lembrar a importância dos cuidados dos quais os bebês prematuros necessitam, bem como a importância do acolhimento das famílias, a Perinatal-Rede D’Or promove uma série de ações em alusão ao Mês da Prematuridade. Um dos destaques é o encontro “A experiência da mãe de UTI”, dia 18, às 19h, com Helena Aguiar, psicóloga da Perinatal e a mãe do Bernardo, bebê que passou por 158 dias de internação, Carolina Miranda.

A programação começa nesta terça-feira, dia 16, às 16h, com uma live no instagram @grupo.perinatal sobre a “Colostroterapia”, com a enfermeira da UTI Neonatal, Sandra Mara; a nutricionista Carolina Hissi, que atua no lactário e a fonoaudióloga Erika Eliziário, todas profissionais da unidade Perinatal Laranjeiras.

Dia 17, a partir das 9h30, no Canal do Grupo Perinatal no YouTube, será promovida a palestra “Prematuridade e Transdisciplinaridade”, com Alan Araújo Vieira, professor da Universidade Federal Fluminense e consultor médico da Perinatal Rede D’Or, esta, voltada para profissionais de saúde.

No dia 24, a programação é encerrada com a live no Instagram “Da gestação ao pediatra – A importância do acompanhamento prematuro”, às 16h, com Jofre Cabral, diretor médico da UTI Neonatal da unidade Laranjeiras e Renato Sá, chefe da Obstetrícia da Perinatal.

Instituto Mauricio de Sousa apoia ONG Prematuridade

Também no Dia Mundial da Prematuridade, com o propósito de conscientizar a respeito das causas e consequências do parto prematuro, o Instituto Mauricio de Sousa (IMS) fará uma postagem em suas redes sociais (Instagram e Facebook – @institutomauriciodesousa) para informar o público sobre o tema.

A iniciativa faz parte da campanha #NovembroRoxo, da Associação Brasileira de Pais e Familiares de Bebês Prematuros, e é uma parceria entre as instituições. Os personagens da Turma da Mônica Baby ilustram o post com mensagens e informações para uma melhor gestação e qualidade de vida para os bebês. Para saber mais sobre o assunto, é só acessar o site www.prematuridade.com.

 

Com Assessorias

1 Comment
  1. […] Novembro Roxo: separação zero entre mães e bebês prematuros […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais