Número de mortos por Covid-19 no Rio volta a subir

Foram 104 óbitos nas últimas 24 horas. São Paulo registrou segunda maior marca da pandemia. Dos 645 municípios há registro de ao menos uma pessoa infectada em 641

Redação

Depois de dois dias em queda acentuada, o número de mortos por Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro voltou a crescer: foram 104 óbitos nas últimas 24 horas. Nos dois dias anteriores, foram registrados 10 e 28 mortes pela doença. O número pode ser ainda maior porque nada menos do que 1.049 óbitos ainda estão em investigação.

Seis cidades do interior têm apenas um óbito: Cambuci, Cantagalo, Cardoso Moreira, Cordeiro, Quatis, São Sebastião do Alto. Entre os municípios com apenas um óbito também estava Duas Barras. Na madrugada de terça-feira (11), no entanto, o município registrou mais uma morte, a do prefeito da cidade, Luiz Carlos Botelho Luttercach, de 55 anos.

De acordo a Secretaria de Estado de Saúde, até esta terça, o Rio de Janeiro acumulava 182.563 casos confirmados e 14.212 óbitos desde o início da pandemia. 333 foram descartados. Entre os casos confirmados, 163.579 pacientes se recuperaram da doença.

Brasil tem mais de 1.200 mortos em um só dia

Em todo o Brasil, nas últimas 24 horas, foram 52.160 novos casos confirmados e 1.274 mortes, de acordo com a atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada nesta terça (11). Com isso, já são 3.109.630 casos confirmados de Covid-19 acumulados desde o início da pandemia. Desse total, 103.026 evoluíram para óbito (3,3%); 2.243.124 pacientes se recuperam da doença (72,1%); e 763.480 estão em tratamento (24,6%). 

São Paulo lidera o maior número de óbitos causados pela Covid-19 (25.571). Em seguida estão Rio de Janeiro (14.212), Ceará (8.011, Pernambuco (7.008) e Pará (5.901). Atualmente, 3.580 óbitos estão em investigação no Estado de São Paulo. A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,3%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 49. A incidência dos casos de Covid-19 por 100 mil habitantes é de 1.479,7.

Desde o início da pandemia, São Paulo soma 639.562 casos acumulados. É o estado com o maior registro da doença, seguido por Bahia (198.767), Ceará (190.550), Rio de Janeiro (182.563) e Pará (169.613).  Primeiro estado em número de casos no Brasil, São Paulo registrou a segunda maior marca em número de casos desde o início da pandemia.

Foram registrados no estado 639.562 casos confirmados do novo coronavírus e 25.571 mortos pela Covid-19 nesta terça-feira (11). O número de pessoas recuperadas chegou a 437.647, sendo que 77.864 chegaram a ser internadas até receber alta hospitalar. Dos 645 municípios paulistas, houve registro de ao menos uma pessoa infectada em 641 cidades, e ao menos uma morte em 497 cidades.

As taxas de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) chegaram a 57,2% na Grande São Paulo e 58,6% em todo o estado. Estão internados 12.723 pacientes, sendo 7.245 em enfermaria e 5.478 em UTI. 

Dos infectados pelo novo coronavírus em São Paulo, 298.107 são homens e 335.511 mulheres, e não consta informação de sexo para 5.944 casos.  Entre as vítimas fatais, estão 14.751 homens e 10.820 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos de idade ou mais, totalizando 75,3% das mortes.

Infectados e mortos no RJ

O município do Rio de Janeiro acumula o maior número de casos registrados da doença, desde o primeiro caso confirmado, em março, com 76.102 infectados. Em seguida pela ordem vem Niterói (9.599); São Gonçalo (9.380); Duque de Caxias (6.624); Macaé (6.244); Nova Iguaçu (4.489); Volta Redonda (4.163); Angra dos Reis (4.119); Belford Roxo (3.546); Itaboraí (3.526); Campos dos Goytacazes (3.332); Teresópolis (2.967); Magé (2.621); São João de Meriti (2.522); Maricá (2.424); Queimados (2.076); Itaperuna (2.048); Itaguaí ( 1.940); Cabo Frio (1.673); Nova Friburgo (1.629); Três Rios (1.626); Petrópolis  (1.458) e Rio das Ostras (1.450).

Das 14.212 mortes por Covid-19, o município do Rio contabiliza 8.665 óbitos. Em seguida vem São Gonçalo (603); Duque de Caxias (593); Nova Iguaçu (458); São João de Meriti (336); Niterói (314); Campos dos Goytacazes (240); Belford Roxo (224); Itaboraí (178); Magé (167); Volta Redonda (156); Petrópolis (147); Mesquita (144); Nilópolis (132); Angra dos Reis (127); Macaé (121); Itaguaí (98); Teresópolis (94); Cabo Frio (90); Maricá (87); Barra Mansa (76); Nova Friburgo (71) e Rio das Ostras (64).

Campanha é lançada para valorizar profissionais de saúde

Em meio ao aumento de casos de profissionais de serviços essenciais afetados pelo novo coronavírus, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha lançou a campanha ‘Valorize o Essencial’. A proposta é combater o estigma e fomentar o respeito e o apoio aos que estão na linha de frente no combate à pandemia.

A entidade ressaltou que, desde o registro das primeiras infecções, os profissionais estão expostos a alto risco de contaminação. Dados do Ministério da Saúde mostram que 23,3 mil profissionais de saúde foram diagnosticados com o novo coronavírus. Desses, 196 morreram oficialmente por Covid-19, sendo que mais óbitos estão sendo investigados.

Anvisa quer reforçar medidas contra novo coronavírus em aeroportos e aeronaves

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai abrir uma consulta pública sobre o reforço nas estratégias de combate à covid-19 em aeroportos e aeronaves. O texto com a proposta de resolução será publicado em breve no Diário Oficial da União, estabelecendo prazo de 15 dias para o envio de contribuições.

Com Agência Brasil e Assessoria SES.

In the news
Leia Mais