O dia mais letal da pandemia da Covid-19 em um ano

2.349 vidas perdidas em apenas 24 horas em todo o país. E isso sem contar o Distrito Federal. Até presidente Jair Bolsonaro decidiu usar máscara

Redação
Foto: Agência Brasil

Não é mimimi, senhor presidente. São vidas perdidas e choradas por quem fica com a sensação de até quando? O Brasil atingiu nesta quarta-feira (10/3) um novo recorde de mortes por Covid-19 em apenas um dia: 2.349 óbitos, mais do que o número registrado nos Estados Unidos, país com o maior índice de contaminados,

Com isso, o total de pessoas que perderam a vida para a doença no Brasil é de 270.917. Já o número de casos da doença chegou a 11.202.305 — 79.876 registrados nas últimas 24 horas. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 1.645, também um recorde. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de 43%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Os dados são do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta quarta-feira.

Bolsonaro resolve botar a máscara

Neste mesmo dia, Jair Bolsonaro – que sempre foi contra o uso de máscara – apareceu junto a seus ministros usando o acessório, como os demais, e mantendo uma distância mínima, o que não foi observado em nenhuma das 36 agendas públicas anteriores do presidente desde o começo da pandemia.

O novo comportamento – que surpreendeu muita gente – foi tomado quatro horas após a entrevista coletiva de Luís Inácio Lula da Silva para comentar a anulação de sentenças contra ele no âmbito da Operação Lava Jato. Além de defender o uso de máscaras e a vacinação em massa, Lula prestou solidariedade aos profissionais da saúde e criticou a política governista de favorecimento às armas, em vez de mais vacinas.

Ainda no fim do dia, o filho “zero um” do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, postou uma foto do pai com a inscrição “vacina é nossa arma’ e disse que nos próximos meses 100 milhões de brasileiros serão imunizados contra a Covid-19. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que nesta quarta-feira (11/3) assina contrato com a Pfizer para liberação de até 100 milhões de doses de vacina até setembro.

Em números absolutos, o Brasil é o segundo país com mais mortes pela doença em todo o mundo. Ele está atrás apenas dos Estados Unidos, que têm mais de 528 mil óbitos por Covid-19, conforme registro da Universidade Johns Hopkins. O país foi superado oficialmente em número de casos, entretanto, pela Índia (11,2 milhões) — em segundo lugar, depois dos Estados Unidos (29,1 milhões).

Na terça-feira, Goiás não tinha divulgado seu total de mortes, o que elevou a soma do estado hoje. Nesta quarta, o Distrito Federal não divulgou seus números de mortes e de casos.

Também já são 49 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil, 13 dias acima de 1,1 mil, e pelo décimo primeiro dia a marca aparece acima de 1,2 mil. Foram 12 recordes seguidos de 27 de fevereiro até aqui.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 11.205.972 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 80.955 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 69.107 novos diagnósticos por dia — a maior média de casos desde o começo da pandemia. Isso representa uma variação de 32% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de alta também nos diagnósticos.

Vinte e dois estados estão com alta nas mortes: PR, RS, SC, ES, SP, GO, MS, MT, AC, AP, PA, RO, TO, AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

  • Quinta-feira (4): 1.361 (recorde)
  • Sexta-feira (5): 1.423 (recorde)
  • Sábado (6): 1.455 (recorde)
  • Domingo (7): 1.497 (recorde)
  • Segunda-feira (8): 1.540 (recorde)
  • Terça-feira (9): 1.572 (recorde)
  • Quarta-feira (10): 1.645 (recorde)
  • Brasil, 10 de março

    • Total de mortes: 270.917
    • Registro de mortes em 24 horas: 2.349
    • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.645 (variação em 14 dias: +43%)
    • Total de casos confirmados: 11.205.972
    • Registro de casos confirmados em 24 horas: 80.955
    • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 69.107 por dia (variação em 14 dias: +32%)

    Estados

    • Subindo (22 estados): PR, RS, SC, ES, SP, GO, MS, MT, AC, AP, PA, RO, TO, AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE
    • Em estabilidade (2 estados): MG e RR
    • Em queda (2 estados): RJ e AM
    • Não atualizou: DF
    • Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás (entenda os critérios usados pelo G1 para analisar as tendências da pandemia).

      Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

      Vacinação

      Balanço da vacinação contra Covid-19 desta quarta-feira (10) aponta que 9.013.639 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 4,26% da população brasileira.

      A segunda dose já foi aplicada em 3.166.189 pessoas (1,50% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal. No total, 12.179.828 doses foram aplicadas em todo o país.

Novos recordes

32% maior que há duas semanas

DF – Não divulgou os dados

22 estados com alta

Maranhão – 155% / Rio G – 1 // Paraná – 125%

Queda – Amazonas – 40% e Rio de Janeiro – 32%

9.013.639 pessoas – 4,23% da populaçãp

3.176,

12 milhões de doses aplicados

Amazonas e São Paulo são os que mais vacinaram

In the news
Leia Mais