O que cada um pode fazer por um mundo mais sustentável?

#VidaQueQueremos é o nome da ação criada pelo CEBDS. Dia Nacional de Conscientização sobre Mudanças Climáticas; limpeza da Praia do Diabo e feira sustentável na Barra são destaques do roteiro semanal de Boas Ações

Surfista chileno de ondas gigantes Ramon Navarro, embaixador de Corona x Parley (Foto: Divulgação)

#VidaQueQueremos é o nome da campanha lançada pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) para estimular ações cotidianas que contribuam para o cumprimento das metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O movimento visa facilitar mudanças efetivas nas atitudes das pessoas em relação a questões ambientais e sociais, como combate à pobreza e à fome, promoção da saúde, educação e qualidade de vida para todos, equidade de raça e gênero, mudanças climáticas, escassez hídrica, consumo consciente etc.

Para participar do desafio, basta compartilhar no Instagram fotos de exemplos de ações que contribuam para um mundo mais igualitário e sustentável, utilizando as hashtags #DesafioCEBDS e #VidaQueQueremos.

A campanha surgiu a partir do manual “Objetivos para a Vida que Queremos”, produzido por diversas organizações internacionais, incluindo o WBCSD (entidade global da qual faz parte o CEBDS).

O manual fornece sugestões de comportamentos dos mais simples, que estão apenas no nível de consciência, aos mais desafiadores, que exigem mudanças de estilo de vida. A proposta é que as ações tenham um impacto tangível na obtenção do ODS; sejam acessíveis tanto para consumidores compulsivos quanto para aqueles que consomem menos; tenham linguagem clara e sejam compreensíveis para todos. O material está disponível para download no site do CEBDS.

Como reduzir os gases que causam o efeito estufa?

O Dia Nacional da Conscientização sobre Mudanças Climáticas, lembrado neste sábado (16 de março), chama a atenção da população para a necessidade de ações que reduzam o impacto dessas mudanças sobre a Terra.

Atualmente, o desmatamento é considerado um dos principais causadores das alterações climáticas registradas nas últimas décadas. Estudos confirmam que, com o avanço do desmatamento, o carbono que está retido nas árvores é liberado, o que faz com que aumente sua concentração na atmosfera, e assim, contribui para o efeito estufa.

A maior floresta do mundo, a Amazônia é uma das nossas maiores esperanças e ameaças. Considerada o pulmão do planeta, em janeiro de 2019, a Amazônia Legal perdeu 108 km² de florestas, um aumento de 54% em comparação ao mesmo período do ano anterior, segundo os dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

A preocupação que virou pauta nos últimos anos em diferentes organizações, já que diversas atividades humanas, resultam no lançamento de gases que causam o efeito estufa. Para refletir sobre o impacto destes poluentes e sobre efeitos do clima no planeta, a data foi estabelecida por lei, gerando debates e mobilizações em torno de alternativas mais sustentáveis para as mais diversas áreas.

NO RIO DE JANEIRO

Mais uma ação de combate ao plástico nos oceanos

cerveja Corona, em parceria com a Parley for the Oceans, traz para o Rio de Janeiro seu projeto global de combate ao plástico nos oceanos. A iniciativa começa neste sábado (16), com limpeza na Praia do Diabo, no Arpoador, a partir das 9h.

Um bate-papo contará mais sobre a causa e que abordará qual o papel de cada um para transformar o cenário negativo quanto a poluição marítima pelo plástico. Além disso, o projeto promoverá ações de conscientização até o final do ano, para educar e engajar a comunidade local sobre a ameaça que o plástico representa para os mares.

A previsão é promover mais de 20 limpezas de praias e diversas campanhas e iniciativas de conscientização e de mobilização ao longo do ano. O projeto global Corona x Parley foi lançado em fevereiro no Brasil, em Fernando de Noronha, envolvendo mais de 100 pessoas e retirando 119 quilos de lixo de uma das praias da Ilha, ajudando a proteger esse paraíso natural.

Nascido em 2017, o projeto já recolheu mais de 1.500 toneladas de lixo plástico de praias de 15 países, engajando e impactando 7 mil voluntários. As ações se baseiam em três grandes pilares: evitar o uso de plásticos; interceptar e recolher esses materiais nas praias; e recriar as maneiras, os materiais e o pensamento por trás do plástico. Para saber mais sobre o projeto, acesse http://coronaextrabrasil.com.br/parley.

Pulseiras de bonecas de pano para ajudar vítimas de câncer

Quem visitar a 19ª edição da Feira Patchwork Design, que acontece de 20 a 23 de março no Rio de Janeiro, poderá participar da ação social Carequinhas do Bem. São oficinas gratuitas para confecção de pulseiras com carinhas de bonecas sem cabelo, acompanhadas de uma mensagem positiva, que serão doadas para pacientes infantis internados em hospitais oncológicos.

A ação faz parte da exposição “Boneca de Pano é Gente”, uma das atrações da feira, que vai reunir 20 bonecas com técnicas e características diversas produzidas por artistas de vários estados brasileiros.  A mostra é uma homenagem à boneca Emília, do Sítio do Picapau Amarelo, de Monteiro Lobato.

Com a Carequinhas do Bem, a artesã Cris Lind pretende criar uma corrente de positividade.  “O fato de as bonecas não terem cabelo, trará uma identificação para as crianças em tratamento quimioterápico e serão enfeitadas com lacinhos, fitas, gorros, flores e muito amor”, explica.

Artesãs de outros países como Dinamarca, EUA (Connecticut e Tennessee), Alemanha e Portugal já aderiram à causa e estarão multiplicando a ação social. As bonecas confeccionadas por esses grupos serão enviadas para o Brasil para distribuição.

Ano passado a ação social “Boneca de Pano é Gente”  trabalhou com a ideia de anjinhos. Nas oficinas gratuitas foram confeccionados cerca de dois mil bonecos com mensagens que foram distribuídos em hospitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Nete Oliveira, uma das curadoras da mostra, explica que o mercado de bonecas de pano hoje é amplo e está em crescimento direcionado para o público adulto  e infantil. “Algumas pessoas fazem por hobby, terapia, para presentear ou para vender e fazer renda”, afirma.

A Feira Patchwork Design, que acontece no Clube Monte Líbano, na Lagoa,vai reunir 45 expositores oferecendo serviços e produtos, desde a matéria prima até artigos acabados para decoração, vestuário, acessórios, entre outros.

O evento oferece também seis oficinas gratuitas nos dias 20 a 22 de março e três no dia 23 de março, para quem quiser aprender algumas técnicas de patchwork básico, com 15 vagas por dia e inscrições por ordem de chegada.

Curso de inglês promove campanha de doação de cadernos

A rede de escolas de inglês Cultura Inglesa mobilizou alunos e professores para participarem do projeto “Páginas em branco”, uma campanha social para arrecadar cadernos parcialmente usados. O objetivo é engajar mais pessoas e ampliar a coleta dos cadernos, alcançando a meta de produção de 10 mil cadernos novos, que serão  enviados para instituições sem fins lucrativos atuantes na promoção da educação e assistência a crianças e jovens.

Para contribuir, todos os interessados devem levar os materiais até 18 de março aos pontos de localizados na área de maior circulação das unidades da Cultura Inglesa participantes. Após a data, todo o material será recolhido pela organização do projeto e passará por triagem. As páginas ainda intactas, em branco, serão reencadernadas ganhando nova capa, e até as partes restantes, incluindo folhas usadas e espirais, serão reaproveitadas ao serem enviadas a cooperativas de catadores de lixo e grupos de artesãos.

Na escola de inglês, as caixas disponíveis para receber os itens arrecadados também estão sendo usadas em uma atividade lúdica e criativa inspirada no livro “Não é uma caixa”, de Antoinette Portis, em que o protagonista embarca em várias aventuras a bordo de uma caixa de papelão, para refletir sobre os vários empregos e ciclo de vida útil dos materiais. A turma de adultos também participa debatendo, em inglês, temas aderentes ao projeto, como reciclagem e sustentabilidade.

Programa de inclusão social do Banco da Providência

Programa de Inclusão Social do Banco da Providência, realizado há 10 anos em parceria com Furnas, vai capacitar a partir de junho 615 profissionais, em 25 turmas, para inclusão no mercado de trabalho ou estímulo ao empreendedorismo. Os interessados vão participar de atividades como cabeleireiro, profissional de mega hair e entrelace, corte e costura, camareira, confeitaria de bolos e tortas, eletricista instalador, entre outras.

Desde 2009 a parceria entre a empresa e o Banco da Providência já capacitou 3.040 jovens com idade para ingressar no mercado de trabalho e adultos de famílias que se encontravam no IDH de extrema pobreza. As inscrições foram encerradas na sexta-feira (15) nas Agências de Família do Banco da Providência, localizadas no Riachuelo e no Engenho de Dentro. Para participar, é preciso residir nas proximidades dos respectivos bairros.

Vida Liberta volta para Ipanema neste fim de semana

A Vida Liberta traz seu conceito de inovação, sustentabilidade e gastronomia inclusiva – opções, veganas, comida viva, sem glúten e sem lactose até R$ 25 – de volta para a Casa 7, em Ipanema, onde a feira nasceu, em novembro de 2016.

Em sua 16ª edição, o eventi acontece dias 16 e 17 de março, das 12h às 20h, com entrada gratuita, e muitas atividades voltadas para o público infantil como aula de yoga, meditação e exibição do curta de animação brasileiro “Dó-Ré Mundo”, da Moove House.

Os organizadores convidam as pessoas a trazerem seus pets e a doarem ração para animais que estão em abrigos. A Casa 7 tem ar condicionado em todos os espaços e área livre coberta para crianças brincarem. A próxima feira na Barra acontece dias 6,7 e 8 de abril.

Tendo o tripé Inovação, Diversão e Consciência, a Vida Liberta foi dos primeiros movimentos a banir o plástico trocando copos plásticos por copos retornáveis. A diminuição de embalagem plástica é uma atividade que ganha mais adeptos no mundo a cada dia e que já gerou no Rio de Janeiro a lei que proíbe o uso de canudos de plástico.

Os expositores recebem cartilhas ecológicas de manejo de resíduos, as bebidas são apresentadas em copos reutilizáveis da Capim Selo Verde, o lixo gerado é reciclado e compostado pela empresa Simbiose Soluções EcoCriativas e os expositores que conseguem ter práticas mais sustentáveis ganham premiação em dinheiro. A Vida Liberta incentiva práticas mais sustentáveis desde embalagens até logística reversa e produção.

Entre os produtos, muitos cosméticos naturais sem testes em animais, artesanato produzido por pequenos empreendedores e em harmonia com a natureza, alimentos confeccionados com ingredientes funcionais e sem sofrimento animal, além de produtos inovadores como panos de cera que substituem plástico filme, moda com tecidos orgânicos, óculos feitos de bambu, canudos de inox, etc.

Pré-vestibular oferece 50 vagas gratuitas

Acontecem de 18 a 21 de março, na unidade Tijuca II, as inscrições para a quinta turma do Gota Social, curso pré-vestibular comunitário gratuito oferecido pelo Colégio pH no Rio de Janeiro. O projeto foi criado para atender estudantes do último ano ou que já tenham concluído o Ensino Médio e cuja renda familiar bruta mensal por pessoa seja de até um salário mínimo e meio.

Este ano, o projeto irá contemplar 50 alunos em 2019 com aulas que começam no dia 8 de abril de segunda a sexta-feira à noite, na unidade pH Tijuca. A iniciativa já ajudou mais de 250 estudantes. Em 2018, 16 alunos do Gota Social obtiveram aprovação em universidades públicas como UERJ, UFRJ, UFSC e Unirio. Além do conteúdo do ENEM, o programa inclui  atividades extras como palestras motivacionais e de orientação acadêmica,  aulas de campo e de laboratório.

Para se inscrever, é solicitada a doação de um quilo de alimento não-perecível. O processo seletivo para preenchimento das vagas é composto por análise de documentos, prova e entrevista.  O edital está disponível em www.ph.com.br . Outras informações pelo e-mail gota.social@ph.com.br.

PELO PAÍS

Inscrições para edital da Fundação Boticário

Estão abertas as inscrições para o 57º Edital da Fundação Grupo Boticário – Novas Ideias para a Conservação da Natureza. Pesquisadores de todo o Brasil podem inscrever iniciativas ligadas à conservação da biodiversidade até o dia 31 de março, pelo site da instituição.

Diferentemente dos anos anteriores, que tiveram uma chamada em cada semestre, 2019 concentrará as inscrições em uma só oportunidade, uma novidade que exige atenção dos interessados. Os projetos selecionados terão, somados, o apoio de cerca de R$ 2 milhões.

Os trabalhos devem contemplar ao menos uma das áreas abaixo:

Unidades de conservação de proteção integral e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs):propostas que contemplem a criação ou a ampliação de unidades de conservação em áreas continentais ou marinhas. Serão priorizados projetos que se tornem referência em gestão, uso público, pesquisa e que tragam benefícios para as comunidades do entorno.

Espécies ameaçadas: iniciativas que promovam a conservação de espécies nativas ameaçadas e que tenham impacto positivo em seu status de ameaça.

Ambientes marinhos: projetos que façam conexões entre diferentes atores-chave envolvidos em áreas marinhas protegidas, proteção de espécies ameaçadas e fortalecimento de instrumentos de proteção da biodiversidade marinha diante de pressões como sobrepesca, turismo predatório e exploração inadequada de recursos naturais.

Inovações e novas tecnologias para a conservação da natureza: serão selecionadas iniciativas que proponham novas formas de monitoramento da biodiversidade e o desenvolvimento de dispositivos que contribuam para a conservação de espécies e ecossistemas.

Os projetos inscritos devem estar vinculados a instituições sem fins lucrativos, como fundações de universidades, organizações não governamentais (ONGs) e associações. Dúvidas podem ser encaminhadas por e-mail para edital@fundacaogrupoboticario.org.br.

Preservação de lagartos é um dos projetos financiados este ano

Glaucomastix littoralis é uma espécie de lagarto ameaçada de extinção que está presente somente no estado do Rio de Janeiro. A pressão da especulação imobiliária sobre o habitat do réptil – a restinga litorânea – é um dos fatores que mais ameaça o desenvolvimento da espécie.

A remoção do habitat e mudanças climáticas podem alterar padrões de comportamento e reprodução, interferindo no ciclo natural da espécie. Diante desse contexto, pesquisadores do Instituto Biomas vão investigar a situação das populações desse lagarto e seus principais fatores de risco para estabelecer ações que assegurem a conservação e proteção da espécie.

O projeto é um dos contemplados entre os selecionados pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza para receber cerca de R$ 1,8 milhão. São 15 projetos de 11 estados brasileiros que buscam conservar ambientes costeiros e marinhos brasileiros, preservar espécies ameaçadas e aliar inovação e meio ambiente.

E o Prêmio Chico Mendes vai para a Supergasbras

A Supergasbras, empresa do Grupo SHV Energy, recebeu na quinta-feira (14), em Curitiba, o Prêmio Chico Mendes, que visa destacar empresas que desenvolvem projetos relevantes para o país no segmento. Esta é a quinta vez que a Supergasbras conquista o troféu.

A empresa foi certificada com o Selo Verde Chico Mendes na categoria Ação Socioambiental Responsável com o projeto “Mais Energia – Gastronomia Sustentável, Segurança Doméstica e Alimentar – Curso Ciclo I (Básico)”. A iniciativa prevê um curso de gastronomia sustentável com foco em reaproveitamento de alimentos, permacultura e consumo consciente, além de temas transversais como reciclagem, cidadania,  segurança doméstica e alimentar.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais