Pandemia acende alerta para problemas de quadril

Isolamento e falta de atividades físicas podem gerar problemas no quadril em crianças e idosos. Especialistas falam sobre riscos da má postura

O longo período de pandemia da Covid-19, que trouxe a necessidade do isolamento social e, com ele, o afastamento de milhões de crianças das escolas e das atividades físicas como aulas de esportes. Por conta disso, especialistas têm ficado atentos ao possível aumento no número de casos de problemas nos quadris dos pequenos. Segundo estudos da área de biomecânica, focados na postura, é comprovada a relação entre ficar longos períodos em uma mesma posição (sentado, por exemplo), com possível desenvolvimento de problemas no quadril.

O longo tempo de pandemia também pede atenção especial para um tradicional problema de quadril que atinge principalmente idosos. A artrose do quadril é uma das doenças reumáticas mais frequentes do ser humano, e pode levar à incapacidade física, como dificuldade para colocar as meias, cortar as unhas, lavar os pés ou cruzar as pernas. A doença degenerativa crônica, caracterizada pelo desgaste progressivo da cartilagem articular e pela neoformação óssea nas superfícies e margens articulares, os famosos “bicos de papagaio”.

Artrose do quadril: sedentarismo e obesidade

“A artrose de quadril é uma das afecções mais incapacitantes do aparelho locomotor, pois o quadril é uma articulação de carga, com grande amplitude de movimentos, e mesmo pequenas alterações podem levar a um déficit funcional significativo”, conta Marco Pedroni, ortopedista membro da Sociedade Brasileira do Quadril. Entre as causas da doença estão a falta de exercícios físicos e a obesidade – fatores impactados negativamente pela necessidade de isolamento durante a pandemia.

De acordo com o especialista, é importante que as pessoas mantenham um trabalho muscular de alongamento e fortalecimento do quadril para manter a saúde física de todo o corpo. “Em casos leves, sem necessidade de cirurgia, é recomendado que o paciente dê início a uma rotina de atividades físicas de baixo impacto e perca peso”, aponta. “Essas medidas são apenas maneiras de retardar a progressão da doença e proporcionar ao paciente um alívio sintomático. Contudo, já melhoram os sintomas e diminuem os riscos de perda de mobilidade, que é um dos grandes problemas da artrose”, explica.

Para casos mais graves, existe também a possibilidade cirúrgica, que apresenta ótimos resultados na resolução de dor e funcionalidade de pacientes com artrose de quadril avançada. “Para uma decisão assertiva sobre qual será o melhor procedimento para o paciente, é importante realizar uma avaliação completa envolvendo um ortopedista especialista em Cirurgia do Quadril”, complementa Marco Pedroni.

Artrose do quadril: 5 dicas para amenizar as dores

  • Praticar atividades físicas de baixo impacto, mantendo um trabalho muscular de alongamento e fortalecimento do quadril;
    Cuidar da alimentação, visando a perda de peso;
    Fazer sessões de fisioterapia para reduzir a inflamação da articulação;
    Usar uma bengala, apoiando-a sempre na mão oposta ao lado da dor para diminuir a sobrecarga no quadril;
    Consultar um ortopedista para iniciar o tratamento com anti-inflamatórios.

Problema também aumenta entre as crianças

De acordo com o médico Ângelo Lima, especialista da Sociedade Brasileira do Quadril, é possível que as dores no quadril sejam reflexo da má postura das crianças. ‘‘Não manter uma postura correta pode trazer prejuízos ao quadril’’, diz Lima. ‘‘Isto está relacionado, principalmente, ao desiquilíbrio muscular, com encurtamento dos posteriores da coxa e dos flexores do quadril’’, afirma.

Devido a essa preocupação, o especialista alerta aos pais. ‘‘É preciso insistir para que as crianças façam intervalos periódicos, levantando-se, fazendo alguma caminhada, mesmo que dentro de casa, e algum exercício de alongamento’’, destaca o médico.

Apesar do que muitos podem pensar, o quadril não serve apenas como ponto de apoio do fêmur. Segundo a SBQ, maior entidade sobre o assunto no país, o quadril é uma das articulações mais importantes do corpo humano. Além de permitir a caminhada, corrida e saltos, a articulação tem como objetivo suportar o peso do corpo. ‘‘O quadril é uma articulação de movimento amplo e, caso fique muito tempo parado, pode trazer problemas como desiquilíbrio muscular, inclinações, rotações, anteversão ou retroversão, além de alterações no nível da coluna’’, explica o doutor Ângelo Lima.

Elasticidade das crianças contribui para tratamento

Caso haja problemas passíveis de tratamentos médicos, é possível que diversos casos sejam revertidos. Outro fator que pode ajudar na recuperação das crianças é o desenvolvimento. Segundo o especialista da SBQ, isso se dá por conta da elasticidade. ‘‘As crianças possuem uma capacidade de elasticidade maior que a dos adultos, o que contribui para uma melhora mais rápida’’, afirma.

O médico alerta ainda que, caso as dores persistam, é preciso procurar a ajuda de um especialista para corrigir a situação. Segundo ele, no entanto, é melhor prevenir. ‘‘O ideal é procurar a ajuda de um fisioterapeuta ou mesmo um educador físico para orientação de exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura da região pélvica e da coluna’’, completa.

Congresso Brasileiro do Quadril

Entre os dias 7 e 10 de setembro, a Sociedade Brasileira do Quadril (SBQ) vai promover o 19º Congresso Brasileiro do Quadril. Durante o evento, que tem o apoio da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), serão tratados, ainda, temas como ‘Artroplastia primária’ (procedimento cirúrgico que substitui, remodela ou realinha uma articulação), ‘Revisão de artroplastia’, ‘Cirurgia preservadora’ e ‘Trauma’.

O evento, focado em palestras sobre o tema e apresentações de trabalhos, será 100% on-line na edição 2021, por conta da pandemia da Covid-19. O congresso se inicia no dia 7 com a Programação Científica Preliminar que selecionará, por meio de um exame teórico e um teórico-prático, médicos que desejam ter o Título de Associado Aspirante da SBQ. Já dos dias 8 a 10, o Congresso Brasileiro do Quadril contará com uma programação temática, que será comandada por congressistas internacionais.

Entre os palestrantes, estão A.J. Timperley, cirurgião ortopedista e professor da Universidade de Exeter do Reino Unido; John Charity, especialista em trauma e ortopedia da Exeter Hip Unit e do Centro de Ortopedia Princesa Elizabeth, do Reino Unido; Marius Keel, cirurgião especialista em trauma, espinha, pelve, quadril e articulação, do Centro de Trauma Hirslanden de Zurique, na Suíça; Matthew Hubble, cirurgião consultor de trauma e ortopedia da Exeter Hip Unit, do Reino Unido.

Também estarão presentes Matthew Wilson, especialista do Centro de Ortopedia Princesa Elizabeth, do Reino Unido; Peter Kay, cirurgião consultor de quadril e joelho do Hospital de Wrightington, do Reino Unido; Pol Rommens, cirurgião de trauma e ortopedia do Hospital Universitário Mainz, da Alemanha; Rintje Agricola, cirurgião de ortopedia do Centro Médico Universitário Erasmus de Rotterdam, da Holanda; e Stefan Fickert, cirurgião especialista em medicina esportiva e professor da faculdade de Mannheim Straubing, da Alemanha.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais