Paquetá pode receber estudo inédito de vacinação em massa contra a Covid-19

Município propõe vacinar em massa todos os 4 mil moradores da ilha, em experiência a ser realizada em parceria com a Fiocruz

A bucólica Paquetá, localizada em meio à Baía de Guanabara, deverá receber uma experiência inédita sobre os efeitos da imunização em larga escala contra a Covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde estuda vacinar toda a população da ilha, que fica a cerca de 15 quilômetros do Centro do Rio de Janeiro. A proposta foi apresentada nesta segunda-feira (31) ao Comitê Científico de Enfrentamento à Covid do município e recebeu apoio dos especialistas.

A estimativa é que 2 mil pessoas sejam vacinadas com doses da vacina da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz, além das mil já imunizadas nos grupos prioritários na ilha. O avanço do projeto ainda depende de planejamento junto à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ao Plano Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Os detalhes deverão ser apresentados em 5 de julho.

Se concretizado, o projeto de Paquetá deverá ser semelhante ao realizado em Serrana, município de 45 mil habitantes no interior paulista. Lá, o chamado “Projeto S” durou oito semanas e imunizou 98% da população acima de 18 anos com duas doses da Coronavac. Os números preliminares do estudo, divulgados também nesta segunda, apontaram queda de 95% nas mortes pela doença: passaram de 699 casos em março para 251 em abril. Os casos sintomáticos caíram 80%; os de hospitalização, 86%.

Com 4.147 habitantes, de acordo com o último Censo do IBGE, Paquetá é considerado um bairro do Centro do Rio e acumula 263 casos confirmados da Covid-19, com 12 mortes. O acesso à ilha é feito por meio marítimo, por meio das barcas, na estação da Praça XV. Especialistas avaliam que, por ser um

Os protocolos ainda não foram definidos, mas se o projeto for aprovado, a população continuará a ser estimulada a adotar medidas de prevenção mesmo após a vacinação completa. Os especialistas destacam a grande circulação dos moradores por outras regiões da cidade como um fator positivo para o desenvolvimento da pesquisa. Por ser um ambiente fechado, mas onde as pessoas circulam, vão trabalhar e voltam, além de receber moradores de outras áreas, será possível identificar a efetividade da proteção vacinal e avaliar o abandono de métodos não farmacológicos, como o uso de máscaras.

Vacinação por faixa etária – Nesta segunda, a cidade do Rio iniciou a vacinação contra a Covid-19 para a população geral. Todas as unidades da Atenção Primária do município vacinam mulheres de 59 anos. Nesta terça será a vez dos homens receberem a primeira dose do imunizante. O calendário da nova fase de vacinação segue escalonamento etário, começando com 59 anos e reduzindo gradativamente a idade ao longo da semana.

Fonte: CNN e SMS-Rio

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais