Quais são os principais cuidados com idosos no inverno?

Alimentação balanceada, exercícios físicos e uma boa noite de sono, além do uso de probióticos, fortalecem o sistema imunológico ao longo da vida

Fazer exercícios físicos e tomar sol ajudam na imunidade dos idosos (Foto: Pixabay)

As temperaturas baixam e a necessidade de tomar uma série de precauções para manter a saúde dos idosos em dia, aumentam na mesma proporção. Os cuidados com eles no inverno são fundamentais para mantê-los saudáveis, evitar a queda da imunidade e diminuir a possibilidade de doenças.

“O inverno, por si só, não causa enfermidades, mas pode facilitar o contágio. Estudos mostraram que os vírus do resfriado e da gripe podem se multiplicar e se espalhar mais facilmente em temperaturas e umidade mais baixas. Além disso, o ar frio reduz o fluxo sanguíneo para o revestimento do nariz, garganta e pulmões, o que pode diminuir a resposta do sistema imunológico”, destaca Nanci Utida, gerente médica da Cellera Farma.

É fato que o sistema imunológico geralmente enfraquece com a idade. Por isso, os idosos estão mais propensos a contrair gripes e resfriados nessa época do ano no Brasil. Como forma de prevenção, o ideal é que a vacina de gripe seja tomada anualmente como de costume da população brasileira, no início do inverno.

Além da preocupação com a gripe, é importante estar atento ao coronavírus Sars-CoV, seguir as orientações de higiene e o protocolo do Ministério da Saúde para evitar a infecção e transmissão do vírus, além de continuar a usar máscara sempre que for necessário.

Idosos no inverno: alimentação equilibrada é essencial

Para contrabalançar essa situação, a prioridade deve ser uma alimentação equilibrada, pois existe uma conexão entre nutrição e imunidade em idosos que é muito importante. Já foi estudado que a maioria deles têm deficiência ou falta de algumas vitaminas que são essenciais, assim como os minerais.

A desnutrição nesta fase é surpreendentemente comum mesmo em países ricos, pois é conhecida como desnutrição de micronutrientes. Pessoas com certa idade tendem a comer menos e costumam ter menos variedade em suas dietas. Segundo especialistas a dieta deve ser rica em frutas, verduras e legumes, assim como em proteínas.

Além disso, as refeições também podem ser utilizadas para aquecer o corpo. Nesse caso as sopas e caldos são uma boa alternativa para os dias mais frios.

Atenção aos problemas cardíacos e hipertensão

Vale ressaltar que existem outras doenças mais comuns nessa época do ano, que muitas vezes são deixadas de lado – problemas cardíacos e hipertensão. O alerta é imprescindível porque as ondas de frio aumentam a pressão arterial e sobrecarregam o coração.

O coração, no entanto, deve trabalhar mais para manter o calor do corpo, enquanto a queda de temperatura pode causar um aumento prejudicial à saúde da pressão alta, especialmente em idosos. Os agravamentos de dores articulares também podem ser mais comuns em idosos com frio – quer sofram de artrite ou não.

A hipotermia é outro fator de preocupação. Ela ocorre quando o corpo começa a desligar, após ficar muito frio para funcionar. Portanto, a escolha roupas mais quentes, como agasalhos e tecidos que ajudam a bloquear o vento.

O uso de meias, toucas e outros acessórios também contribui para manter aquecidas as extremidades, seus corpos são menos eficientes na geração de calor. Nos momentos de descanso, é importante utilizar mantas e cobertores, pois a temperatura corporal cai durante o sono. Além disso, os idosos tendem a ter menos gordura corporal, reduzindo sua resistência ao ar frio.

Esse quadro aumenta consideravelmente o risco de hipotermia, cujos sinais são fala pausada ou arrastada, movimentos mais lentos, sonolência e confusão.

Cuidados com a pele e vitamina D em dia

Outro ponto relevante é o cuidado com a pele, pois, no inverno, ela deve ser tratada de maneira mais intensa, evitando o ressecamento, isso pode ser feito por meio de cremes e hidratantes a base de lanolina, que ajudam a evitar o aspecto seco e doenças dermatológicas.

Vale lembrar que, antes de usar qualquer produto, é fundamental consultar um dermatologista, que indicará o ideal para cada procedimento. Tão primordial como a alimentação é uma boa hidratação. Os idosos tendem a beber menos água em comparação com outras pessoas, porém, o corpo continua precisando desse líquido precioso para se manter hidratado.

Banhos de Sol são essenciais para que o corpo mantenha a produção de vitamina D, por isso é bom separar alguns minutos do dia para essa atividade. Também é possível conseguir essa vitamina através de suplementação ou por meio de alimentos como peixes, gema de ovos e cogumelos, que ainda são ricos em outras vitaminas.

Uso de suplementos, como probióticos e vitaminas

Por último, vale lembrar que os suplementos dietéticos (probióticos e vitaminas), podem ajudar os idosos a manter um sistema imunológico mais fortalecido, porque na maioria das vezes a família não sabe deste detalhe.

Cada parte do corpo, incluindo o sistema imunológico, funciona melhor quando protegido de agressões ambientais e reforçada por estratégias de vida saudável, como manter o peso saudável, praticar exercícios regularmente, ter uma dieta rica em frutas e vegetais, dormir o suficiente e fazer o uso do probiótico adequado”, conclui a Dra. Nanci Utida.

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais