Simone Biles: ‘Tenho que me concentrar na minha saúde mental’

Quando a saúde mental é mais importante que uma medalha: número um da ginástica artística mundial, Simone Biles desiste de prova em Tóquio

Número um da ginástica artística mundial, Simone Biles (Foto: Mike Blake/Reuters)

“Não confio mais em mim mesma. Tenho que me concentrar na minha saúde mental”. A declaração da número um da ginástica artística mundial abalou a torcida norte-americana e levou muitos atletas a refletirem: afinal, o que vale mais, uma medalha olímpica ou a cabeça em ordem? Simone Biles desistiu de participar da final feminina por equipes da ginástica artística na Olimpíada de Tóquio (Japão) nesta terça-feira (27), levando os Estados Unidos a perderem o ouro para a Rússia.

Ela já vinha apresentado sinais de que estava enfrentando dificuldades para corresponder às expectativas. Na seletiva olímpica da ginástica dos EUA, em junho, a ginasta ficou em lágrimas ao não conseguir lidar com a frustração que sentiu com seu desempenho. A pressão pela busca de medalhas continuou em Tóquio, e Biles publicou em suas redes sociais após a atuação pouco inspirada na classificatória do individual geral, no último domingo (25), que sentia carregar o peso do mundo nos ombros.

“Não foi um dia fácil ou o meu melhor dia, mas eu superei. Eu verdadeiramente sinto que tenho o peso do mundo sobre meus ombros às vezes. Sei que ignoro isso e faço parecer que a pressão não me afeta, mas, caramba, às vezes é difícil (risos)!. A Olimpíada não é piada!”, declarou a norte-americana em sua conta no Instagram.

Após um desempenho decepcionante que levou a atleta a deixar a competição, a campeã mundial e olímpica disse que não tem certeza se competirá na final feminina do individual geral, que acontece nesta quinta-feira (29). “Após a apresentação que fiz, simplesmente não quis continuar”, disse Biles, lutando contra as lágrimas ao falar com a imprensa. “Vamos ver sobre quinta-feira. Estou apenas tentando me preparar para o próximo teste”, afirmou a norte-americana.

Simone Biles chorou durante finais da ginástica (Foto: Mike Blake/Reuters)

Foi um começo chocante e decepcionante de Jogos Olímpicos para a seleção feminina dos EUA, que esperava dominar a final, já que não era derrotada em uma grande competição coletiva desde 2011. Mas o evento inteiro ficou de cabeça para baixo em um instante quando Biles errou completamente o timing de seu salto de abertura e levou a nota baixa de 13,766.

Biles se classificou para todos os eventos em Tóquio e, além do individual geral, competirá nos quatro aparelhos na segunda semana dos Jogos. Sem ter mais a possibilidade de conquistar seis medalhas de ouro, ela ainda pode igualar o recorde da ginasta russa Larisa Latynina, que conquistou nove ouros em três edições dos Jogos Olímpicos: Melbourne 1956, Roma 1960 e Tóquio 1964.

Da Agência Brasil, com Redação

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais