Quanto mais cedo consultar um urologista, melhor para a saúde do homem

Homens não devem adiar ida ao médico para evitar diagnósticos tardios de câncer de próstata, que tem cura em 90% dos casos

Redação

Novembro é o mês da conscientização sobre o câncer de próstata, tipo de tumor mais comum em homens acima de 50 anos de idade, afetando um em cada seis indivíduos durante a vida.  Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se que para cada ano do triênio 2020 a 2022, sejam diagnosticados no Brasil 65.840 novos casos de câncer de próstata. Esse valor corresponde a um risco estimado de 62,95 casos novos a cada 100 mil homens.

O câncer de próstata é o tumor maligno com maior incidência entre os homens (35% dos casos de câncer masculino são na próstata) e o segundo em mortalidade. A prevenção ganhou força nos últimos anos, inclusive com maior procura por ajuda por parte dos homens. Essa modificação mudou o padrão de diagnóstico da doença.

A Sociedade Brasileira de Patologia estima que, por conta da pandemia do coronavírus, ao menos 50 mil brasileiros deixaram de fazer o diagnóstico de câncer neste período e outros milhares, já com tumores confirmados, tiveram seus tratamentos adiados. Mesmo em período de pandemia, com a limitação de deslocamentos, o acompanhamento médico e tratamentos que já vinham sendo feitos não devem ser abandonadoshomens devem seguir com as suas consultas de rotina para evitar diagnósticos tardios.

Há problemas de saúde que não podem ser esquecidos ou adiados. É muito importante que pacientes e urologistas conversem para saber sobre o estado de saúde, avaliar os riscos e benefícios de se fazer os exames de rotina e a possibilidade de prosseguir com o procedimento cirúrgico programado ou não”, explica Leonardo Borges, urologista credenciado Omint.

Acompanhamento médico e rastreamento para um bom prognóstico

Segundo ele, na década de 80 e 90, a maioria dos tumores de próstata era diagnosticada em fases avançadas, resultando apenas em tratamentos hormonais e paliativos. Hoje, em virtude da maior prevenção, os tumores são descobertos em fase precoce, permitindo até mesmo vigilância da doença. “Essa nova etapa de diagnóstico é fundamental não apenas para cura, mas também para preservação da qualidade de vida”, destaca.

É que alguns tipos de tumores podem não necessitar de tratamento específico, mas requerem um acompanhamento contínuo, enquanto outros devem ser prontamente tratados, devido ao comportamento maligno invasivo. “Quando precocemente detectado, restrito à próstata, há uma maior chance de cura, por isso é tão importante a consulta anual com o urologista e a realização de check-ups periódicos, mesmo em pessoas assintomáticas”, orienta o especialista.

O urologista também alerta que o câncer de próstata normalmente não apresenta sintomas em suas fases precoces. “Por isso o rastreamento e a conversa com um especialista são as formas mais efetivas para o diagnóstico precoce, permitindo a identificação de anomalias em sua forma inicial”, afirma o Dr. Leonardo Borges.

Uma vez que o exame físico da próstata ou o antígeno prostático específico (PSA) – exame de sangue usado para diagnóstico e monitoramento de alterações na próstata – apresentem variações que levem à suspeita de tumores, uma biópsia de próstata deve ser realizada para confirmar o diagnóstico.

Quando realizar o exame precoce

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda que homens a partir de 50 anos devam procurar um urologista para realizarem os exames de detecção precoce do câncer de próstata. Aqueles com fatores de risco, como histórico familiar de câncer de próstata (parentes de primeiro grau) e raça negra, devem iniciar as consultas aos 45 anos.

Para se ter uma ideia, pacientes que têm um familiar de primeiro grau com câncer de próstata, têm duas vezes mais risco de desenvolver a doença durante a vida, enquanto aqueles com dois familiares de primeiro grau acometidos, elevam esse risco em seis vezes mais”, alerta.

A orientação é que procurem o urologista para a avaliação rotineira a fim de obter informações sobre o rastreamento e as possíveis vantagens do diagnóstico precoce – em estágios iniciais a chance de cura chega a 90%. “Paciente e médico devem decidir as formas de abordagem de modo individualizado para cada estado de saúde. Vale lembrar que um diagnóstico tardio do câncer de próstata piora as chances de cura e os resultados funcionais do tratamento”, completa o médico.

Ainda segundo ele, a visita ao urologista motivada pelo Novembro Azul também deve ser encarada como uma oportunidade de promoção à saúde. “Na consulta, o médico é capaz de realizar um inventário de todo o estado de saúde do paciente, identificando e informando quais hábitos não saudáveis devem ser revistos”, finaliza o Dr. Leonardo Borges.

Mutações genéticas hereditárias atingem homens mais jovens

Mesmo afetando somente a população masculina, o câncer de próstata é o tumor com o maior número de novos casos no Brasil, mesmo considerando diagnósticos em ambos sexos1. Apesar de a maior parte dos casos ocorrerem a partir dos 60 anos, a mutação no gene BRCA, que é responsável por cerca de 10 a 20% dos casos, faz com que homens mais jovens desenvolvam a doença.

Falar a respeito das questões genéticas que podem influenciar o desenvolvimento de tumores é importante, contudo, existe uma questão mais básica e fundamental relacionada à doença que é a educação e o tabu relacionado aos exames. É preciso que os homens, mesmo que jovens, abandonem esses tabus e cuidem de sua saúde, em especial aqueles que têm ou tiveram algum familiar com a doença ou a partir de 40 anos”, comenta Ariel Kann, o coordenador de oncologia clínica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Em um organismo saudável, os genes BRCA desempenham a função de reparar moléculas de DNA danificadas, assim impedindo o surgimento de tumores malignos4. Por isso, é importante que o paciente realize exames que facilitem o diagnóstico precoce, uma vez que, de acordo com uma pesquisa do Centro de Investigação Translacional em Oncologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), 30% dos casos são descobertos em estágios avançados, em que não estão mais passíveis de tratamento curativo5.

Antes de mais nada, é necessário que o homem crie o hábito de cuidar da saúde e de fazer seus exames periódicos, independentemente de quais forem. Diagnosticar um tumor maligno ainda em fase inicial é fundamental para a efetividade do tratamento, o que resulta em mais qualidade de vida após o diagnóstico”, conclui o especialista.

No caso do câncer de próstata, a mutação BRCA pode causar um tumor mais agressivo em relação ao não mutado4, além de fazer com que a doença se manifeste mais precocemente. Por isso, o especialista defende que a disseminação de informações sobre o tema é fundamental para que mais pessoas conheçam a importância dos testes genéticos. 

Mutação é a mesma que levou Angelina Jolie a remover as mamas

A mutação nos genes BRCA chamou a atenção de todo o mundo quando a atriz Angelina Jolie realizou o teste genético e revelou ser portadora da condição, e retirou suas mamas e ovários de forma preventiva, em 2013. Devido à repercussão desse acontecimento, o tema ficou fortemente associado aos cânceres femininos e poucos sabem que pode ser causador de outros tipos da doença. 

Tanto homens como mulheres podem herda mutações nos genes BRCA1 e 2, o que causa um aumento na incidência de tumores na próstata, mama, ovários e pâncreas. É preciso que o paciente realize acompanhamento médico regularmente, para assim seguir medidas que possibilitem prevenção e diagnóstico precoce”, explica o médico oncologista, Ariel Kann.

Hoje já existem exames capazes de avaliar a predisposição genética através da mutação do BRCA, realizado por meio da análise do sangue ou saliva, e é um grande aliado para identificar as mutações BRCA, permitindo traçarmos a melhor estratégia de prevenção e tratamento para o paciente”, informa o especialista. “Contudo, não são todas as pessoas que precisam fazer o teste. O importante é que os homens com casos de câncer na família notifiquem seus médicos, para que eles possam avaliar a necessidade de fazer o teste genético”, completa.

Serviço – Para dar suporte a essa rotina, em situações de dúvidas e orientações pontuais, o Dr. Omint Digital, plataforma de orientação médica por videoconferência, coloca à disposição do cliente um médico apto a prestar orientações médicas de forma simples e conveniente.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais