Quem já se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue? Tire essa e outras dúvidas

Não deixe de doar sangue nesse período em que os hemocentros mais precisam. Informem-se

Doação de sangue por funcionários da empresa Lar e Saúde (Foto: Divulgação)

A doação de sangue no Brasil caiu 10% em 2020, segundo o Ministério da Saúde. No último dia 14 de junho, a pasta também registrou o Dia Mundial do Doador de Sangue, promovendo uma ampla campanha para estimular a doação mesmo em tempos de pandemia. Junho é o mês para lembrar a importância da doação para pessoas acidentadas e em cirurgias, além daquelas que necessitam como parte do tratamento de alguma condição hematológica.

Segundo a hematologista do Hospital Brasília Andresa Melo, uma única doação pode salvar até quatro vidas. “A doação periódica é de suma importância para manter os estoques nos bancos de sangue a fim de atender as demandas. Para doar é necessário estar em boas condições de saúde e devem ser respeitados os critérios para aptidão a doação. Além disso, não há danos à saúde do doador”, afirma.

Abaixo, a Andresa Melo responde às principais dúvidas sobre a doação em tempos de pandemia:

Depois de tomar a vacina contra a Covid-19, quando posso doar?

Atualmente, o Brasil dispõe de três vacinas diferentes:

– Coronavac/Butantan: baseada no vírus SARS-CoV-2 inativado;

– Astrazeneca/Fiocruz: utiliza adenovírus não replicante;

– Pfizer/BioNTech: feita a partir de RNA mensageiro (mRNA).

Com tecnologias diferentes utilizadas pelos três laboratórios, o prazo de aptidão para doação de sangue também é diferente. Pessoas que receberam a primeira ou a segunda dose de Coronavac devem aguardar 48 horas, enquanto aquelas que foram imunizados com Astrazeneca ou Pfizer podem doar no oitavo dia após a aplicação da vacina. Caso não tenha certeza sobre qual foi o seu imunizante, por via das dúvidas, aguarde sete dias.

Só maiores de idade podem doar sangue?

Não. Porém, menores de 18 anos (a partir dos 16 anos) devem apresentar o formulário de autorização e cópia do documento de identidade com foto do pai, mãe ou tutor/guardião.

Qual o peso ideal?

Para doar sangue é necessário pesar mais de 50 quilos.

Idosos podem doar sangue? Até quantos anos?

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade. Entretanto, é necessário que idosos tenham realizado pelo menos uma doação de sangue antes dos 61 anos.

Quais as principais doenças que contraindicam a doação sangue?

As principais contraindicações são: câncer, algumas doenças autoimunes, cirrose, diabetes, cardiopatias, doença renal crônica, hepatites virais (B e C), HTLV e HIV.

Mulheres podem doar sangue durante o período menstrual?

Sim, desde que possuam sangramento menstrual normal e estoque de ferro adequado.

Quem tem piercing e tatuagem pode doar?

Pode, desde que respeite o seguinte intervalo: 12 meses após aplicação do acessório. Isso também vale para tatuagens.

Mulheres grávidas ou que estejam amamentando podem doar?

Gestantes não podem doar. Lactantes podem doar desde que o parto tenha ocorrido há mais de 12 meses e a candidata possua estoque de ferro normal.

Se você se enquadra nos pré-requisitos, não deixe de doar. O Hemocentro São Lucas, parceiro do Hospital Brasília, é um dos locais onde é possível fazer sua doação.  Para outras informações ou agendar seu atendimento, ligue: (61) 3248-7272.

Sistema de agendamento online

Embora a queda nas doações não tenha refletido no desabastecimento do estoque, já que o isolamento e a Covid-19 fizeram com que muitas cirurgias eletivas fossem canceladas, hemocentros de todo o país sempre precisam de doações. Por isso, muitos buscaram a tecnologia não só para se reinventar como também para acolher os novos doadores.

Em São Paulo, por exemplo, a Fundação Pro – Sangue é a principal rede de coleta e processamento de doações, e apesar de não ser a única, sozinha é responsável pelo abastecimento de cerca de 100 instituições públicas da rede estadual de saúde.

Com a baixa nos estoques, foi criado um sistema de agendamento online o Hubglobe para que os interessados escolhessem o melhor horário e dia para realizar a doação. Foram registrados 72.779 candidatos, e destes 47.520 efetivaram as doações. Quando uma bolsa de sangue é coletada significa que 3 ou 4 vidas podem ser salvas.

Já o Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti, o HemoRio, conta com a ajuda da assistente virtual Livia.bot que além de tirar dúvidas, podem fazer o agendamento também. No entanto, ainda com o uso da tecnologia, nenhum dos estados alcançaram os números de doações esperados. O ponto é que estoques baixos podem causar riscos enormes ao sistema de saúde.

Lucas Campos médico, plantonista em banco de sangue no RJ e diretor de conteúdo do Jaleko fala do panorama de isolamento e os riscos que isso pode gerar. “Não é preciso ter medo de doar. As agulhas são todas esterilizadas, obviamente não reutilizáveis, a sala de espera conta com o distanciamento para evitar aglomerações na recepção, os profissionais estão todos protegidos e o uso de máscara é obrigatório”.

Ainda segundo ele, “o risco de estar no elevador do seu prédio no qual passaram diversas pessoas recentemente e não possui bom arejamento, além de raramente limparem as teclas dos andares, é maior do que doar sangue em um hemocentro em tempos de pandemia”.

Mas em tempo de pandemia, o que é preciso?

O Vita Hemoterapia, empresa 100% brasileira, que atua em todas as fases do ciclo produtivo do sangue, preparou, em seu site, uma jornada didática e completa para que o voluntário entenda que o ato de doar é altruísta, bem como fácil.

Primeiramente vamos falar dos quesitos básicos, o doador deve estar em boas condições de saúde, estar bem descansado, e ter entre 16 e 69 anos, e pesar entre 50kg e 125kg. No caso de não ter atingido a maioridade é preciso autorização dos pais, e se for da terceira idade, já ter doado antes dos 60 anos. É necessária alimentação balanceada, sem comidas gordurosas. Não deve esquecer de levar documento recente com foto. É necessário que esteja atento aos impedimentos temporários e definitivos, disponíveis no site da instituição.

Não há riscos de contrair Covid-19 durante as doações e, principalmente, em épocas como esta, a doação é imprescindível. Precisamos lembrar que pessoas morrem todos os dias por conta disso e um simples ato pode salvar diversas vidas! Não só de pacientes agudos, que acabaram de perder sangue, mas principalmente de doentes crônicos, que contam com perdas contínuas e dependem de transfusões repetidas”.

Todas as dúvidas ou informações podem ser verificadas no site da Vita Hemoterapia, que também conta com a Livia.Bot.

Por Favor, Compartilhe!
1 Comment
  1. […] Quem já se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue? Tire essa e outras dúvidas […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais