‘Repescagem’ da vacinação contra a Covid será ampliada em municípios do RJ

Além de ampliar prazo para imunizar quem perdeu datas por idade, novo calendário estadual inclui trabalhadores da limpeza urbana e portuários

Vacinação das forças de segurança do estado (Foto: Divulgação)

Novos grupos prioritários, como trabalhadores portuários, garis e catadores de lixo, serão incluídos no Calendário Único de Vacinação contra a Covid-19 dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro. Lançada nesta sexta-feira (11) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), a nova versão do calendário também reforça a necessidade de que sejam incluídos mais dias para “repescagem”, ampliando a cobertura vacinal.

O novo texto define que os municípios destinem dias específicos a cada semana para a “repescagem” dos grupos prioritários que perderam o dia de sua vacinação, ao mesmo tempo que se avança no calendário por faixa etária. São considerados prioritários: idosos, gestantes e puérperas, pessoas com comorbidades e deficiência permanente (com 18 anos ou mais – com e sem cadastro no Benefício de Prestação Continuada – BPC).

O calendário único também prevê que os municípios imunizem, até o fim de junho, a população em situação de rua; funcionários do sistema penitenciário e população privada de liberdade, além dos professores da educação básica e superior. Trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos devem ser vacinados até o fim de julho. Eles foram inseridos como prioritários por estarem expostos a elevado grau de exposição à infecção, dado ao risco ocasionado pela sua atividade laboral.

Os municípios devem realizar ações para a ‘busca ativa’, para alcançar a plena imunização da população prioritária e mais vulnerável ao agravamento e óbito pela Covid-19. O secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, avaliou que o avanço da vacinação já apresenta sinais positivos e chamou a atenção para a importância da segunda dose.

As análises apontam redução no número de internações e óbitos nas faixas etárias mais avançadas. Este cenário reforça a importância de que todas as pessoas que integram os grupos aptos à vacinação tomem as duas doses da vacina. Ela tem se mostrado uma forma eficaz na prevenção da Covid-19, assim como na redução de casos mais graves, e deve se manter associada ao uso de máscaras, à higiene frequente das mãos e ao distanciamento social”, destacou.

De acordo com o subsecretário de Vigilância e Atenção Primária à Saúde da SES, Mário Sérgio Ribeiro, a atualização do calendário foi necessária em função de possível defasagem dos dados populacionais fornecidos pelo Ministério da Saúde para cada grupo prioritário elencado pelo Programa Nacional de Imunizações e do envio de novas remessas de doses, inclusive com novos grupos prioritários no PNI. Após avaliação do primeiro Calendário Único, a segunda edição foi pactuada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) junto à Comissão Intergestores Bipartite (CIB), formada pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems).

Mapa de Risco Covid-19: RJ mantém bandeira laranja

O Estado do Rio reduziu em 28% no número de óbitos e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 25% na comparação entre as semanas epidemiológicas 21 (de 23 a 29 de maio) e a 19 (de 9 a 15 de maio). As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (11), são de 76% para leitos de UTI e 54% para leitos de enfermaria.

Os dados integram a 34ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (11) pela SES. O estado se mantém em bandeira laranja (risco moderado de contrair a doença) com melhora do cenário epidemiológico em seis regiões. As regiões Metropolitana I (que inclui a cidade do Rio de Janeiro) e Baía da Ilha Grande, que estavam com bandeira vermelha (risco alto), estão agora com bandeira laranja

Médio Paraíba, Centro-Sul, Serrana e Baixada Litorânea, que estavam com bandeira laranja na última análise, passam para a amarela (risco baixo de contrair a doença). Já a região Noroeste permanece com bandeira vermelha, a Metropolitana II mantém a laranja e a Norte Fluminense com a amarela. 

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região.

CONFIRA O NOVO CALENDÁRIO ESTADUAL DE VACINAÇÃO:

GRUPOSMÊS*
Comorbidades, pessoa com deficiência, gestantes, puérperas com comorbidades, trabalhadores portuários, trabalhadores do transporte aéreo, população de rua, professores da educação básica e superior e profissionais das forças de segurança, salvamento e forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade e população privada de liberdade e população em geral de 59 a 55 anos; trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos.Junho
População em geral de 54 a 45 anos; Trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidosJulho
População em geral de 44 a 35 anosAgosto
População em geral de 34 a 25 anosSetembro
População em geral de 24 a 18 anosOutubro

*O calendário unificado poderá sofrer alterações mediante pactuações, em CIB/RJ, nas hipóteses de alteração do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO) e dos Informes Técnicos do Ministério da Saúde. 

Fonte: SES/RJ

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais