Rio registra novo recorde de mortes por Covid: média móvel chega a 229 ao dia

A taxa de ocupação de leitos no Sistema Único de Saúde é de 89,7% para UTIs e 81% para enfermarias. Mais de 100 pessoas aguardam uma vaga

Vacinação contra a Covid-19 entre idosos em Macaé (Foto Rui Porto Filho)

O Estado do Rio de Janeiro registrou neste sábado (4/4) um total de 411 mortos em 24 horas por Covid-19, o segundo recorde em uma semana. Na quinta-feira (1/4), o estado havia registrado 387 mortes. Com isso, subiu para 229 a média móvel de mortes por dia, o dobro de duas semanas anteriores.

Cinco das nove regiões administrativas do estado estavam com taxa de transmissão muito alta, com bandeiras roxa e vermelha. A taxa de ocupação de leitos no Sistema Único de Saúde é de 89,7% para UTIs e 81% para enfermarias. Em 27 cidades a taxa supera 90%.

Mais de 900 pessoas estão neste momento numa emergência à espera de um leito de enfermaria ou de UTI para salvar suas vidas, precisando de respiradores, oxigênio ou até mesmo intubação. Neste sábado, havia mais de 700 pessoas internadas com Covid-19.

Apesar desse cenário macabro, desde sábado, foram realizadas 748 autuações em estabelecimentos que infringiram as medidas restritivas de distanciamento social. Foram fechados 21 estabelecimentos e 91 acabaram multados, entre festas privadas, restaurantes e bares. Ao todo, 9.196 autuações já foram feitas pela fiscalização durante a pandemia.

Enquanto isso, a vacinação no Rio segue em ritmo lento. O estado é o 19º em número de imunizados até o momento, com apenas. A partir desta segunda-feira (5/4), começa um novo grupo de vacinação, com mulheres de 66 anos. Na terça é a vez dos homens da mesma idade. Na quarta serão as mulheres de 65 e na quinta, os homens de 65. Na sexta foi a vez dos idosos com 64 anos. Já no sábado ocorre a repescagem para pessoas de 64 anos ou mais para primeira ou segunda dose.

Mesmo sem sinais de que a pandemia dá tréguas, o Governo do Estado reeditou as medidas restritivas com um novo decreto publicado neste sábado. As flexibilizações para a cidade do Rio também começam nesta segunda e seguem até sexta-feira. Comércio e serviços não essenciais podem voltar em horário reduzido. O atendimento em bares e restaurantes fica permitido até 21h, com tolerância até 22h.

As escolas privadas voltam a funcionar nesta segunda, enquanto as escolas municipais apenas na terça, para crianças da pré-escola e Ensino Fundamental. Já as escolas estaduais permanecerão fechadas. Neste domingo de Páscoa, as praias ficaram vazias – apenas exercícios individuais estão permitidos.

Situação em São Paulo e Minas Gerais

Neste domingo, São Paulo registrou 7.196 novos casos e 270 mortes por Covid-19 – até então, o recorde era de 244 mortes no dia 28 de março. Mais de 77 mil vidas já foram perdidas no estado desde o início da pandemia. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 91,2% e 91,1% na capital. Ao todo, 22 estados têm taxa de ocupação acima de 80%.

Em Minas Gerais, 714 pacientes aguardam por leitos de UTI e 1.163 aguardam leitos de enfermaria. Em 24 horas, 120 mineiros morreram em decorrência da doença. A taxa de ocupação na rede SUS é de 92% e as unidades de pronto atendimento estão lotadas. Faltam respiradores, medicamentos e recursos necessários. O estado adotou medidas mais restritivas para garantir o distanciamento social, com toque de recolher entre 20h e 5h na capital Belo Horizonte.

A Polícia Civil fechou festa com 120 pessoas em São Paulo, local sem ventilação, sem uso de máscaras e sem distanciamento. Em Fortaleza, um festa clandestina tinha bebidas alcóolicas, som alto e muita gente sem máscara: 7 pessoas foram levadas. A polícia também interrompeu uma festa em Fernando de Noronha, com som alto e muita gente sem proteção. Em Manaus, dez estabelecimentos foram fechados.

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais