Saúde do coração dos idosos está sob risco

Doença valvar cardíaca afeta 13% das pessoas com mais de 75 anos. Doenças cardiovasculares são responsáveis por mais de 11 mil mortes por dia

Estima-se que mais de um em cada oito brasileiros com mais de 75 anos de idade tenha valvopatia moderada ou grave. Em sua forma mais grave, mais da metade dos pacientes com valvopatia grave morrem em dois anos após desenvolverem os sintomas.

À medida que a população brasileira envelhece, essa condição vem se tornando um importante problema de saúde pública. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê que, em 2050, os brasileiros com mais de 75 anos representarão 10% da população, estimada em mais de 22,6 milhões de pessoas.

Marcando o 60º aniversário do primeiro transplante de válvula cardíaca bem-sucedido pelo Dr. Lowell Edwards e por Dr. Albert Starr, em 1960, a Edwards Lifesciences Corporation (NYSE: EW) hoje apela à população para proteger a qualidade de vida de nossa geração sênior.

A população idosa é um grupo de risco, ainda mais à medida que envelhecem, por isso é importante que estejam mais atentos à doença e compreendam a gravidade dos sintomas muitas vezes ocultos para ajudar a garantir o tratamento oportuno”, afirma Flávio Tarasoutchi, diretor da Unidade Clínica de Cardiopatias do Instituto do Coração – InCor HC FMUSP.

Professor titular de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, ele complementa: “Mais trabalho precisa ser feito para mudar o nível de consciência e ajudar os idosos a manter uma boa qualidade de vida.”

Uma pesquisa recente mostra que 44,4% dos brasileiros com mais de 60 anos cuidam de algum membro da família, amigo ou conhecido. Além disso, um em cada três (33%) brasileiros com mais de 60 anos são regularmente ativos no voluntariado para caridade, treinamento de esportes ou ensino; ou trabalhando para sua comunidade local.

Nossa população idosa é um fator chave, embora subestimado, para o funcionamento eficaz de nossas comunidades, famílias e economia6, portanto, melhorar a conscientização, o diagnóstico e o tratamento da doença valvar irá beneficiar a todos nós”, disse Fábio Gaiotto, cirurgião cardíaco chefe da Beneficência Portuguesa e Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo.

Doença das válvulas cardíacas

Doença das válvulas cardíacas é o nome dado a qualquer disfunção ou anormalidade de uma ou mais das quatro válvulas cardíacas, afetando o fluxo sanguíneo através do coração. É uma condição comum, séria, mas tratável, que está particularmente associada ao envelhecimento. Geralmente é causada por doença, desgaste ou dano à válvula cardíaca.

Muitas pessoas que vivem com doença da válvula cardíaca não apresentam sintomas graves ou perceptíveis, ou simplesmente atribuem seus sintomas ao envelhecimento, o que torna o diagnóstico desafiador e significa que a doença é frequentemente subdiagnosticada. Os principais sintomas incluem aperto / dor no peito, batimentos cardíacos anormais e falta de ar.

Estenose aórtica
A estenose aórtica é uma forma de doença das válvulas cardíacas, mais frequentemente desenvolvida devido à degeneração relacionada à idade ou endurecimento (calcificação) da válvula aórtica, levando ao estreitamento progressivo (estenose) – alterações que comprometem a função da válvula e prejudicam o fluxo sanguíneo normal através do coração. Os sintomas da estenose aórtica são dores no peito, fadiga, falta de ar, tonturas, desmaios e dificuldade em praticar exercícios.

Tratamento inovador para doenças das válvulas cardíacas
Existem dois tipos de substituição da válvula cardíaca. Na cirurgia, é feita uma incisão no tórax e o cirurgião troca a válvula danificada pela prótese. No implante transcateter de válvula aórtica (TAVI), um cateter com uma prótese na extremidade é inserido por punção na virilha e passa por uma artéria até chegar ao coração. Nesse local, a válvula disfuncional é substituída por uma nova e o sistema de transmissão é removido. O TAVI é um procedimento menos invasivo que pode ser realizado sob anestesia local, o que leva a uma recuperação mais rápida do paciente.

Uma paixão por ajudar os pacientes
Dedicada a melhorar a vida de pacientes com doença estrutural cardíaca, a Edwards Lifesciences continuou a avançar significativamente na terapia com válvula cardíaca desde o desenvolvimento da primeira válvula cardíaca disponível comercialmente em 1960 e, mais de 60 anos depois, continuamos a ser um líder global neste campo. Nossos produtos incluem válvulas cardíacas de substituição de tecido e produtos de reparo, bem como válvulas cardíacas transcateter para os pacientes considerados de risco intermediário ou maior para substituição de válvula.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais