Saúde dos olhos no inverno: como evitar alergias e outros problemas oftalmológicos?

Oftalmologistas explicam como a estação afeta a saúde ocular e o que fazer para cuidar e prevenir problemas o ano inteiro

Olho vermelho pode indicar glaucoma (Foto: Divulgação)

Dados da Organização Mundial de Saúde demonstram que no ano passado, mais de 285 milhões de pessoas no mundo possuem incapacidade visual e dessas 39 milhões são cegas. Ainda segundo o estudo, 80% dos casos poderiam ter sido evitados ou curados, se houvesse uma rotina de visitas ao oftalmologista.

O relatório da OMS aponta ainda que no Brasil, mais de 580 mil pessoas sofrem com a cegueira e, geralmente, casos que poderiam ser evitados. De acordo com o IBGE, mais de 6 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência visual no Brasil.

Neste sábado (10), é lembrado o Dia Mundial da Saúde Ocular ou Dia Mundial da Saúde Visual. A data tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a importância da prevenção e tratamentos precoces que podem evitar a perda da visão parcial ou total. A ideia é mostrar à população a importância dos cuidados diários com os olhos para prevenção das doenças oculares e suas respectivas abordagens terapêuticas.

Por que o inverno causa problemas aos olhos?

A temporada outono inverno é conhecida pelas baixas temperaturas, ar seco e o surgimento de diferentes doenças, em especial as respiratórias. No entanto, os olhos também podem sofrer muito durante a temporada, em especial com alergias. Muitas pessoas manifestam alergias oculares e, nesta época do ano é comum aparecerem os casos de conjuntivites alérgicas.

Hallim Féres Neto, membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, afirma que o verão costuma ser mais úmido e, por isso, a poeira suspensa no ar gruda nas partículas de água e, com o peso, caem no chão. Por outro lado, com o ar seco do outono/inverno, as micropartículas ficam mais tempo em suspensão no ar, facilitando que entrem em contato com nossas mucosas (olhos, nariz e garganta), favorecendo as alergias.

A coceira é um dos principais incômodos sentidos pelos pacientes com alergia ocular e esse sintoma merece atenção especial: “o ato de coçar os olhos pode ser muito prejudicial, levando inclusive a algumas doenças mais graves, como o ceratocone. Além disso, é importante ressaltar que os olhos podem ser portas de entrada para vírus, incluindo o coronavírus. Assim, é fundamental evitar coçar os olhos”, ressalta Dr. Hallim.

O tratamento, no caso das crianças, pode ser iniciado com o pediatra, mas caso evolua para conjuntivite alérgica e não responda bem ao tratamento, deve ser encaminhado ao oftalmologista para que avalie se há lesões oculares que demandem outra abordagem terapêutica.

Leia mais

5 razões para fazer um check-up oftalmológico pós-Covid-19

Fique de olho na sua saúde ocular

Como identificar se o seu filho pode estar com problemas de visão?

Quando buscar um oftalmologista

Dados do Ibope apontam que 34% dos brasileiros nunca passaram por um especialista. E, segundo documento da Organização Mundial da Saúde – OMS, 800 milhões de pessoas no mundo não conseguem adquirir óculos por diferentes motivos.

A falta de frequência no médico acontece também em outros âmbitos da saúde e está muito relacionada a motivos financeiros, comportamentais e culturais. Grande parte das pessoas que agendam consultas com oftalmologistas já estão com alguma necessidade de avaliar o uso de óculos ou contam com algum incômodo na visão.

Para os especialistas da área, consultas periódicas são de extrema importância porque ajudam na prevenção e tratam precocemente problemas que possam vir a surgir ou até se agravarem como é o caso da cegueira. A catarata, por exemplo, é uma das principais causas de deficiência ocular e cegueira no Brasil.

Cerca de 65 milhões de pessoas têm essa doença, segundo censo realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) em 2019. Outras condições oculares, como miopia, hipermetropia e astigmatismo, correspondem a 49% das doenças visuais em todo o mundo. Mas o dado que mais chama a atenção é o de que 60% dos casos de cegueira podem ser prevenidos.

Segundo pesquisas e especialistas da área, algumas das doenças de visão mais recorrentes entre os brasileiros, como a catarata e a miopia, possuem tratamentos indicados e práticas preventivas quando existe um acompanhamento médico. 

A miopia por exemplo, que gera uma dificuldade para enxergar longas distâncias, necessita de visitas rotineiramente em um oftalmologista para avaliar a saúde da visão e identificar a oportunidade de adotar melhores hábitos. “

Uma outra alternativa para as pessoas que não querem ficar refém de objetos como o óculos e lentes de contato e também não são indicadas para realizar procedimentos a laser na córnea, são as cirurgias refrativas com Implante de Lente Fácica. Uma tecnologia de ponta com mais de 20 anos de existência e mais de 1 milhão de lentes no mundo, como a Evo Visian ICL (Implantable Contact Lens), da Advance Vision”, destaca o Oftalmologista Dr. Luiz Otávio Guarnieri.

Dicas para cuidar dos olhos durante o inverno

Para ajudar a passar pela temporada sem crises, Dr. Hallim deixa algumas dicas:

1. Atenção com a limpeza dos ambientes: troque a vassoura e o espanador por pano úmido e aspirador, para não levantar poeira.

2. Use colírios lubrificantes sem conservantes sempre que tiver vontade de coçar os olhos.

3. Se não tiver colírios, pode fazer uma compressa com água fria, ou até mesmo lavar o rosto na pia.

4. Se precisar colocar a mão nos olhos, lembrar de lavá-las muito bem antes. Mãos sujas vão levar mais alérgenos para os olhos e piorar a situação.

5. Use maquiagem de boa procedência e mantenha tudo sempre limpo. Também não compartilhe lápis, rímel e pincéis com ninguém!

6. Lembre-se de remover a maquiagem antes de dormir.

7. Se nada disso resolver, não espere piorar e procure logo o seu oftalmologista.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais