Saúde sexual na pandemia: masturbação ganhou um novo sentido

Sexóloga Danni Cardillo diz que não dá para ignorar o abalo emocional provocado por tantas mudanças, já que o sexo é importante para o nossa física e emocional

Redação

O período de distanciamento social, recomendado como medida de prevenção à pandemia do novo coronavírus, tem mexido com a cabeça e com a libido das pessoas. E quem está solteiro ou solteira precisa rever todos os conceitos que envolvem a sexualidade. Não dá para ignorar o abalo emocional provocado por tantas mudanças, já que o sexo é importante para nossa saúde física e emocional.

A sexualidade tem sua importância fundamental na saúde dos relacionamentos, além de promover uma série de benefícios próprios ao indivíduo em sua necessidade humana. Uma vez que o sexo reage a fisiologia orgástica promovendo vitalidade, autoestima, endorfina, libido, entre tantas outras coisas. Os prazeres do corpo se fundamentam na química capaz de manter o vigor, alegria e bem-estar”, explica a sexóloga Danni Cardillo

Neste cenário, a masturbação se tornou uma necessidade e até uma recomendação de alguns países como uma das medidas para conter o avanço do novo coronavírus. O Departamento de Saúde da cidade de Nova York liberou um comunicado recomendando a masturbação como a medida mais eficaz para evitar a propagação do coronavírus.

Ainda não existe uma comprovação da transmissão do coronavírus por meio de relações sexuais. No entanto, o contato próximo por si só já é um vetor de transmissão. Logo, estando em isolamento, você é o seu parceiro sexual mais seguro”, reforça a terapeuta tântrica Beatriz Rios.

Oportunidade para descobrir o próprio corpo

Nada de beijos, abraços, apertos de mãos ou sexo. Intimidades somente consigo mesmo, através do autoerotismo. Usar a imaginação pode ser o melhor caminho. “Interação somente virtual recorrendo a vídeo chamadas, filmes eróticos e render-se à tecnologia ao seu favor com vibradores”, afirma a sexóloga. 

Danni pontua que o distanciamento social traz uma boa oportunidade de descobrir do próprio corpo. “Esse é o melhor momento de olhar para dentro usando a privacidade como um recurso de descobertas, afinal vai ver sua nudez”.  Segundo Cardillo, para mulheres, brinquedos eróticos dão mais prazer que se masturbar usando apenas os dedos. 

É importante também se atentar à lubrificação, já que não há trocas de carinhos iniciais, que ocorreriam em uma relação a dois.  “A lubrificação natural só ocorrerá com excitação. Então, recorra inicialmente um óleo de coco circulando pela vagina com o auxílio de um vibrador”, explica a sexóloga.

Segundo ela, a mulher pode atingir múltiplos orgasmos com a prática. “As mulheres alcançam múltiplos orgasmos na masturbação e não tem limite de quantidade, porém em uma sessão tântrica, um orgasmo dura até 40 minutos. Além de transcender os dois pontos de prazer: o clitóris e ponto G”. Para a especialista, a masturbação ainda é um tabu para mulheres e sempre foi algo recorrente na vida dos homens.

Por conta do legado patriarcal e religião que ditou a submissão das mulheres em apenas gerar filhos sem prazer sexual. Assim o orgasmo da masturbação foi passado como algo repugnante, profano e imoral a reputação feminina. Enquanto os homens obtiveram muito mais recursos à pornografia além de acesso a prostíbulos. Daí vale reiterar que nenhum dos gêneros saiu beneficiado. Por isso, há uma demanda de cursos de autodesenvolvimento na sexualidade para homens buscando sanar suas disfunções sexuais, como ejaculação precoce e as mulheres, anorgasmia”, ressalta Danni.

Cresce interesse por uso de brinquedos eróticos

Sem poder sair de casa, os sextoys têm feito sucesso entre solteiros e casais. Segundo uma pesquisa do Sexlog, a maior rede social adulta do Brasil, 80% de seus frequentadores tiveram vontade ou adquiriram um novo brinquedinho sexual.

A pesquisa revelou que, apenas 12% dos entrevistados nunca tinha usado nenhum acessório. Ou seja, as vendas deste tipo de produto ainda estão concentradas em quem já é cliente, mas há uma grande oportunidade, ainda que não tão bem explorada, entre os que nunca se aventuraram num sexshop (virtual ou não).

Há quem acredite que os brinquedos sexuais têm a finalidade de divertir quem está sozinho e quer dar um up na masturbação. Mas, a verdade é que eles podem ser um incremento na hora H. De acordo com a pesquisa, 63% das pessoas utilizam esses acessórios quando estão acompanhados. E 37% preferem usar quando estão sozinhos.

O vibrador foi eleito como o sextoy preferido por quem utiliza o Sexlog, com 53% dos votos. O segundo lugar no ranking ficou dividido com os plugs anais e os géis lubrificantes, cada um com 15% dos votos. Já os anéis penianos garantiram 7% das escolhas e as capas penianas 5%. As algemas tiveram 5% dos votos e os chicotes, 1%.

A hora certa é quando dá vontade

A hora certa para usar um acessório a mais no sexo é: quando der vontade. Não existe regra, nem limite para a imaginação. Segundo a pesquisa do Sexlog, 41% dos respondentes utiliza sextoys uma ou duas vezes por semana. Já 27% tem feito a escolha menos de uma vez por semana. Os que incrementam a relação com os brinquedos de três a quatro vezes durante o intervalo de sete dias são 19%. E os que não abrem mão dos sextoys e usam todos os dias somam 10%.

Os brinquedos eróticos facilitam muito mais a excitação e orgasmo genital, mas nada impede que ela se toque. Esse recurso é muito válido, porém, se tiver alguém que a massageie e a toque como um parceiro ou profissionais da terapia tântrica sem dúvida é muito mais prazeroso, pois a mulher sai do sexo passivo e assume o protagonismo do prazer. Imagine você fazendo um cafuné em si mesmo, é bom ? Imagine você receber !!!! Muitooooo melhor. Essa metáfora que eu uso em abordagem na terapia presencial e on-line”, compara Danni.

9 benefícios da masturbação durante a quarentena

A terapeuta tântrica Beatriz Rios explica que a prática é saudável para o corpo e para a mente e pode ajudar até a aumentar a imunidade.

Confira abaixo 9 benefícios da masturbação durante a quarentena:

1. Autoconhecimento e prazer

Isso serve tanto para os homens quanto para as mulheres. Para poder proporcionar prazer, primeiro é preciso sentir e saber como ter prazer. A masturbação ajuda nisso, você entendendo melhor como seu corpo funciona, para aí sim poder agradar outra pessoa sexualmente.

2. Alivia o estresse e a pressão

Durante a masturbação o cérebro libera bastante endorfina e dopamina no organismo, conhecidos “hormônios do prazer”, que ajudam a arejar a cabeça. Logo,  a masturbação pode servir para auxiliar a relaxar nos momentos de tensão e estresse.

3. Combate a Insônia

Masturbar-se antes de dormir ajuda a liberar a tensão de um dia estressante no trabalho, além de liberar hormônios que deixarão relaxado e pronta para dormir.

4. Ajuda a melhorar o humor

O orgasmo libera na corrente sanguínea endorfinas que melhoram o nosso humor, o que é muito importante em momentos como esse de quarentena e surto de coronavírus.

5. Ajuda a ter melhor desempenho sexual

Através da masturbação você identifica o que dá e o que não dá pra fazer na hora do sexo e, principalmente, o que você irá fazer para sentir mais ou menos prazer, como acelerar para chegar lá ou retardar para acompanhar a parceira.

6. Evita a ejaculação precoce

A masturbação ajuda no controle da ejaculação precoce. Existem técnicas para controle de ejaculação que envolvem o start stop. Em que você se masturba por determinado tempo, para por alguns minutos, e depois volta a se masturbar.

7. Ajuda a melhorar a imunidade do corpo

A masturbação faz o organismo masculino produzir mais células brancas (anticorpos) e deixa o seu corpo mais resistente a doenças.

8. Elimina toxinas

Cientistas americanos constataram que, ao ejacular, o homem se livra de várias toxinas através do sêmen, o que ajuda a manter o corpo e a próstata mais limpos.

9. Fortalece os músculos pélvicos

Pesquisadores australianos indicam que a masturbação é um bom exercício para deixar os músculos pélvicos mais fortes e resistentes. Quanto mais fortes e resistentes, mais sexo você pode praticar por mais tempo.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais