Segunda sem Carne: o que você ganha cortando um dia da semana?

Rosayne Macedo

alimentacao-saudavel2

Você é carnívoro? Conseguiria passar um dia da semana sem consumir carne de origem animal? Pois é isso que propõe o Segunda Sem Carne, um movimento mundial popular que pede para as pessoas deixarem a carne fora de seus pratos apenas um dia por semana, às segundas-feiras, como forma de ajudar o planeta, a saúde e os animais.

Estudos mostram que a produção animal é um dos principais contribuintes para a mudança climática, desmatamento, poluição e uso da água. Além disso, a maioria dos animais criados para alimentação passa seus dias em fazendas industriais onde seu tratamento e condições de vida são em grande parte desumanos. Estudos também mostram que comer alimentos saudáveis à base de vegetais pode ajudar a prevenir doenças crônicas, como obesidade e doenças cardíacas.

Milhões de pessoas e milhares de escolas, hospitais e restaurantes no Brasil e em todo o mundo adotaram a Segunda Sem Carne. Um número crescente de instituições no Brasil, incluindo o Ministério da Saúde e a Escola de Saúde Pública da USP, reconhecem que é necessária uma redução no consumo de carne para ajudar os animais, o meio ambiente e nossa saúde. A iniciativa foi criada pela Humane Society Internacional

Em seu “Guia Alimentar para a População Brasileira” de 2014, o Ministério da Saúde recomendou que o consumo de carne fosse limitado para reduzir o risco de óbitos, doenças cardíacas e outras doenças crônicas em pessoas e diminuir o estresse sobre o meio ambiente e os animais. Neste mesmo relatório, o Ministério declarou: “Optar por consumir vários tipos de alimentos à base de vegetais e um consumo limitado de produtos de origem animal indiretamente resulta em um sistema alimentar mais justo e menos estressante (prejudicial) no meio ambiente, animais e biodiversidade em geral”.

A HSI promove a alimentação humanitária ou os 3 Rs: “reduzindo” ou “recolocando” o consumo de produtos de origem animal, e “refinando” nossas dietas, escolhendo produtos de fontes que seguem os padrões mais elevados de bem-estar animal.

Por que ficar sem comer carne é bom para a sua saúde e a do planeta

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, a agricultura animal é um dos maiores contribuintes para as questões ambientais mais graves, como o aquecimento global, e é um grande consumidor de escassos recursos hídricos. Por exemplo, em termos de proteína, a pegada de água é seis vezes maior para carne bovina e uma vez e meia maior para frango, ovos e leite, do que para leguminosas.

Escolher alimentos à base de vegetais ajuda a nossa saúde. Muitas das doenças crônicas que assolam o mundo, incluindo obesidade, doenças cardíacas, diabetes e hipertensão arterial, podem ser prevenidas, tratadas e, em alguns casos, mesmo revertidas com uma dieta vegetal.

Atualmente, o Brasil enfrenta uma nova epidemia de obesidade e sobrepeso, que afeta 60% da população, incluindo crianças. Uma em cada três crianças brasileiras entre as idades de 5 à 9 anos são obesas ou com sobrepeso e enfrentam riscos para a saúde como consequência.

A Segunda Sem Carne também reduz o sofrimento animal. Dezenas de milhões de animais na produção de alimentos no Brasil, como galinhas poedeiras e porcas reprodutoras, são intensamente confinados e passam a vida inteira em gaiolas tão pequenas que mal conseguem se mexer.

Fonte: hsi.org/brasil 

2 Comments
  1. Michele Rangel 10 meses ago
    Reply

    Excelente matéria. Eu não como carne vermelha há mais de dez anos e obtive melhoras incríveis na minha saúde.

  2. […] São Paulo, contemplando 3 milhões de alunos – a maior conquista da campanha no mundo todo. Saiba mais sobre o que você ganha cortando a carne uma vez por semana A coordenadora da SSC no Brasil, Mônica Buava, conta que a equipe brasileira foi convidada para […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.