Sem previsão no SUS, pacientes fazem vaquinha para operar próstata

Redação

A falta de acompanhamento médico pela população masculina sempre foi preocupante para a saúde pública. No entanto, a pandemia de Covid-19 fez com que esse índice ficasse ainda mais alarmante. Segundo estudo da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), cerca de 55% dos homens acima de 40 anos deixaram de ir ao médico ou de fazer tratamento devido à pandemia.

Na mesma pesquisa, 23% relataram ter encontrado dificuldade de acesso ao procurar por consultas ou tratamentos médicos neste período. Como alternativa para conseguir tratamento particular contra o câncer de próstata, usuários do Vakinha, plataforma de financiamento coletivo, têm aberto campanhas para arrecadar dinheiro.

Marcos dos Santos, de 63 anos, de Minas Gerais, é um dos afetados pela pandemia. Aguardando a cirurgia desde agosto de 2019, quando foi diagnosticado com câncer de próstata, ele compartilhou a frustração por estar sem data prevista para o procedimento realizado no SUS. Como alternativa, ele criou sua vaquinha online para arcar com as despesas de uma cirurgia particular. A meta é arrecadar R$ 15 mil e alcançou R$ 955 até o momento.

A vaquinha de Francisco das Chagas Souza, do Maranhão, tem como objetivo alcançar R$ 9 mil para arcar com a cirurgia para a retirada de tumor. O procedimento por meio do SUS também não tem previsão para acontecer. A campanha conta com cinco apoiadores e pede ajuda de mais colaboradores.

Delmar Sommer, de 61 anos, morador de Santa Catarina, foi diagnosticado com um câncer de próstata agressivo e fez uma cirurgia de urgência em um hospital particular. Agora pede ajuda por meio da sua vaquinha online para arcar com as despesas da internação. Até o momento, a campanha arrecadou R$ 681 e tem como objetivo alcançar R$ 15 mil.

O Vakinha é uma rede de solidariedade que permite que qualquer pessoa faça cadastro e doe para vaquinhas com as quais se identificar, em uma plataforma simples e segura. Os usuários também podem criar suas próprias campanhas de arrecadação. “O Vakinha existe para ser o começo de toda ajuda e solidariedade que a população precisa e ficamos felizes de fazer a diferença para todos que estão lutando contra o câncer de próstata”, afirma Luiz Felipe Gheller, CEO da empresa.

Sobre a doença – O câncer de próstata é o mais comum entres os brasileiros e o segundo com maior mortalidade no país. A estimativa é de mais de 65 mil novos casos em 2020, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Hábitos saudáveis, como fazer atividade física, manter o peso adequado, diminuir o consumo de álcool e não fumar são recomendações que ajudam a prevenir o câncer de próstata, assim como manter as consultas com o médico em dia. O diagnóstico precoce reduz as chances de um tratamento mais agressivo.

In the news
Leia Mais