Sem tempo ruim: inverno é época preferida para cirurgia plástica

Especialistas apontam os diversos benefícios para realizar cirurgia plástica no inverno. Aumenta também a procura por procedimentos na face

É quase inevitável: nos dias frios, bate aquela vontade de ficar em casa embaixo do cobertor, descansando. Mas, para muita gente, esse período mais tranquilo é também a melhor hora para cuidar do visual, bem-estar e autoestima. Se você estava com aquela vontade de dar uma ajustada na aparência, ou acha que chegou a hora de fazer a cirurgia plástica que sempre quis, vale a pena considerar o inverno como o melhor momento para enfrentar a mesa de cirurgia.

Os meses da estação mais fria do ano proporcionam uma série de vantagens sobre o verão, e isso reflete em números. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os procedimentos costumam aumentar em 50% nessa época do ano, principalmente nos meses de junho a agosto. Tradicionalmente, os consultórios dos cirurgiões plásticos costumam ficar mais concorridos durante o inverno.

No consultório de Leandro Faustino, membro da SBCP que atua em São Paulo, as cirurgias mais procuradas são lipoaspiração, implante de próteses nas mamas e mastopexia, uma espécie de lifting para levantar os seios. “Sabemos que no Brasil, país que mais faz intervenções estéticas no mundo, não há período ruim quando falamos de cirurgia plástica, principalmente as mais feitas, como as lipos e próteses de silicone”, diz Patricia Marques, cirurgiã plástica e membro da SBCP.

Harmonização facial é um dos procedimentos muito procurados no inverno (Foto: Divulgação)

Segundo ela, muita gente pode achar que é apenas pelo período de menos atividade, mas a temperatura em si também afeta muito o paciente em recuperação, o que justifica a maior procura pelos procedimentos nesta época do ano. “Acredito que o inverno torna a experiência toda mais tranquila, e isso deve ser levado em consideração, já que as cirurgias em outras estações podem ter o pós-operatório bem desconfortável”, explica.

Entre os benefícios da plástica no inverno é a temperatura mais amena, que contribui para a cicatrização. Por ser comum o uso de mais peças de roupa, a cicatriz fica mais protegida, então, os riscos de cicatrizes escurecidas ou manchadas são amenizados. Em cirurgias plásticas como a lipoaspiração, se feita durante o clima mais frio, o paciente tem mais facilidade para usar cinta compressora, pois, diferentemente do verão, o corpo não deve esquentar tanto e causar suor. Outra vantagem é que recém-operados devem evitar exposição ao sol para não comprometer a cicatriz. Além disso, o calor geralmente pode potencializar o inchaço.

Maior procura por procedimentos na face

Régis Ramos, cirurgião plástico, destaca procedimentos na face neste inverno (Foto: Divulgação)

Em tempos de pandemia, com maior, a procura por procedimentos estéticos aumenta, principalmente no rosto. No consultório do cirurgião plástico Régis Ramos, os procedimentos mais procurados entre junho e setembro são rinoplastia, lifting facial, blefaroplastia, prótese de mento (queixo) e lifting de lábios.

“Um dos principais motivos alegados pelos pacientes foi o aumento de vídeo-chamadas. Tenho observado também que com a utilização das máscaras as pessoas começaram analisar mais o rosto, ficando mais críticas. Muitos ainda não voltaram a frequentar academias, praias e, com isso, as cirurgias da face estão tão em evidência no inverno“, disse o médico.

Isrraela Massena, especialista em harmonização facial (Foto: Divulgação)

Isrraela Massena, especialista em harmonização facial, explica que há um aumento na procura de harmonização facial. Um dos mais procurados é o protocoll, um tratamento que consiste na combinação de diferentes terapias, incluindo ácidos, toxina botulínica intradérmica e infusão de ativos que são capazes de restaurar a qualidade da pele.

O procedimento visa estimular colágeno, atenuar rugas finas, melhorar a textura e clarear a pele. É um tratamento muito indicado para quem possui cicatrizes de acne, melasma e para quem deseja rejuvenescer. Por ser um procedimento à base de ácidos e por envolver peeling, as pessoas preferem realizar durante o inverno“, afirma a especialista.

Os benefícios do pós-operatório no inverno

Para Faustino, um dos motivos para essa crescente é que, no inverno, as pessoas ficam menos expostas ao sol, já que, um dos  principais cuidados no pós operatório é não se expor a raios solares. Em complemento, há ainda a recomendação de evitar a exposição direta da cicatriz à luz solar, para não causar manchas ou excesso de pigmentação, além do fato de que as roupas mais fechadas permitem maior discrição sobre a realização da cirurgia, nos casos em que essa é uma preferência”.

Além disso, no tempo mais frio, fica mais confortável o uso de cintas e demais itens utilizados para auxiliar na recuperação. “O clima mais ameno, que torna o período pós-operatório um pouco mais confortável, considerando que muitos procedimentos exigem a posterior utilização de cintas ou malhas especiais. Da mesma forma, a temperatura mais baixa reduz a possibilidade de inchaço e de retenção de líquidos em pacientes propensos a essas ocorrências”, afirma.

O cirurgião plástico ressalta a contribuição das férias escolares para o maior movimento nas salas cirúrgicas. “Com a rotina um pouco mais calma, muitos pais estão em casa com os filhos, fica um pouco mais fácil para agendar a cirurgia. Mas uma das razões mais frequentes é mesmo a distância do verão, é comum os pacientes questionarem se, ao operarem em julho, estarão prontos para viajar para a praia em janeiro e à vontade para mostrar o corpo, já com a aparência desejada”, aponta Leandro Faustino.

“Acima de tudo, é sempre bom lembrar que o importante mesmo é ser o momento certo para aquele paciente, quando ele está seguro das suas opções, com todos os exames preparatórios em dia e com a possibilidade de dedicar um tempo adequado de resguardo para uma boa recuperação, sempre optando por um médico credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica”, conclui.

5 motivos para escolher o inverno para as cirurgias plásticas

  1. 1.A cicatriz não pode ser exposta ao sol

A exposição da cicatriz da cirurgia a luz solar é extremamente proibida nos primeiros 30 dias, até mesmo coberta com roupas, já que o calor pode endurecer a pele e deformar o local. Até 3 meses depois não se deve colocá-la na luz direta dos raios, já que a maior produção de melanina na cicatrização pode causar uma mancha escura permanente ao redor da incisão. O inverno, por ser mais frio, proporciona mais oportunidades de ficar abrigado e evita a tentação de pegar uma praia ou piscina.

  1. 2.Inchaços e hematomas são amenizados com baixas temperaturas

Quando está frio, nossos vasos sanguíneos se contraem e diminuem, abaixando o nível de circulação. Isso reduz o inchaço e produção de hematomas, causando uma sensação anestésica contra a dor na região. Já nas temperaturas mais quentes ocorre o contrário, o que intensifica o incômodo.

  1. 3.A cinta elástica é bem desconfortável de usar no calor

Muitos procedimentos, como a lipoaspiração e abdominoplastia, requerem o uso de uma cinta elástica no pós-operatório, por 1 ou 2 meses, dependendo do paciente. Ela pressiona a região e se torna mais uma camada de roupa, o que pode ser bem chato e desconfortável no alto calor do verão brasileiro.

  1. 4.Dá para tirar proveito das férias escolares

Tanto para quem é estudante ou para quem é responsável por um, o período de férias das escolas e universidades é bem mais tranquilo do que o resto do ano. Isso permite um repouso sem muita movimentação, essencial nos primeiros meses para um bom resultado. Para quem é estudante, ainda existe o bônus de se recuperar sem a provocação dos colegas.

  1. 5.Pronta para o verão

A maioria das cirurgias plásticas, principalmente as mais complexas como as próteses, tem um período longo de recuperação, de 3 até 6 meses. Realizando o procedimento no inverno dá ao seu corpo o tempo perfeito de se recuperar totalmente e te deixa chegar na temporada de praia pronta para mostrar o novo visual.

Como se planejar para a cirurgia plástica

Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional de Cirurgia Plástica (Foto: Divulgação)

Para Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional de Cirurgia Plástica, ainda que o país passe pela crise gerada pela pandemia, o período dentro de casa permite planejar os meses seguintes e se informar bem antes de tomar alguma decisão ou colocar seus projetos em prática, como realizar uma cirurgia plástica.

“Ao decidir a data para fazer uma cirurgia plástica, é importante que o paciente combine com a época em que ele dispõe de condições físicas para o cuidado, o procedimento deve casar com a maior disponibilidade possível desse paciente, para que o resultado seja satisfatório”, afirma. “É essencial que a pessoa tenha um determinado tempo para a recuperação, pois, se não for bem-feita, pode influenciar diretamente no resultado da cirurgia. Por isso é melhor se programar para que tenha tempo suficiente para se cuidar após o procedimento”, afirma o diretor.

Outro ponto extremamente importante, independentemente da estação que o paciente realizará o procedimento, é pesquisar um médico especialista em cirurgia plástica — uma simples busca na internet e ex-pacientes já fornecem algumas informações. “Escolhendo o profissional, ao lidar com o planejamento financeiro, os valores podem ser negociados, pois há muitos especialistas que trabalham com prestadoras de serviços de assessoria administrativa e financeira, possibilitando o pagamento em parcelas para facilitar ao paciente a realização do procedimento”, finaliza Arnaldo Korn.

Com Assessorias

 

 

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais