Setembro Verde alerta para problemas causados pela má alimentação

Campanha mostra que problema faz aumentar o diagnóstico de diabetes em 61,8% nos últimos 10 anos,  assim como a hipertensão em 14,2%.

Redação
alimentação saudável

O Brasil continua sendo um país onde as pessoas comem mal. Enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de 400g de frutas e hortaliças por dia, a maioria das pessoas não chega nem à metade.

Apenas uma a cada três consome frutas e hortaliças durante os cinco dias da semana. O reflexo da má alimentação é piora na saúde da população.  Dados recentes apontam que 18,9% dos brasileiros estão obesos e mais da metade da população está acima do peso recomendado. Além disso, o diagnóstico de diabetes aumentou 61,8% nos últimos 10 anos,  assim como a hipertensão em 14,2%.

Com o objetivo de mudar esse cenário e conscientizar sobre a importância de como uma alimentação mais saudável pode mudar de forma positiva a nossa vida, é que um grupo da sociedade civil criou o Movimento Setembro Verde, que chega à segunda edição em 2018.

Esse ano, diversas ações vão acontecer para chamar atenção para causa. Entre elas uma intervenção urbana coletiva na Escadaria da Formiga, em Porto Alegre, nesta sexta-feira, dia 14 de setembr de 15 às 18h. A ação consiste na revitalização dos canteiros laterais, com plantio de mudas e Pancs, faxina coletiva e grafitagem.

Além disso, terá aula de Ioga e Conscientização para Consumo Consciente com World Clean Up Day, Ecosciência na Vila Flores, Oficina de Horta e jogos sobre alimentação com a Associação Brasileira de Apoio aos Obesos no Parque da Redenção, entre outras atividades.

A iniciativa foi criada em Porto Alegre pela empresária Diana Werner, a produtora Roberta Silva e pela a digital influencer Laura Bier. Segundo Diana Werner, muitos fatores motivaram os idealizadores a promover a segunda edição.

“Fundamentalmente a causa do movimento, já que o brasileiro tem muito para evoluir nos seus hábitos de alimentação. E também por entendermos que os impactos sociais e econômicos destas mudanças são gigantescos. Além disso, o resultado da primeira edição e a incrível receptividades das pessoas e empresas em relação ao tema nos impulsiona a tentar garantir a continuidade”, disse.

Diana explica que o Brasil ainda passa por um período de transformação dos hábitos de consumo, inclusive na alimentação, por isso o momento nunca foi tão propício e importante para falar de uma vida mais saudável e equilibrada.

“Acreditamos que seja possível um país onde todas as pessoas se alimentem melhor. Um país em que as crianças aprendam a importância de comer frutas e hortaliças desde cedo. Um lugar onde o hábito de plantar seja comum em todas as casas e os produtores sejam valorizados”, argumenta.

Restaurantes e escolas aderem

Para dar voz a essa ação, diversos restaurantes já aderiram a causa criando pratos exclusivos, onde as hortaliças são protagonistas. Além disso, várias instituições de ensino, formadores de opinião, nutricionistas, horticultores e diversas iniciativas públicas e privadas já apoiam a causa desenvolvendo ações em diferentes partes do país.

De acordo com Andrei Santos, um dos apoiadores, a diversidade de participantes no ano passado estimula para que mais pessoas se engajem e desenvolvam novas ações para 2018.

“O principal objetivo da segunda edição é aumentar o alcance do movimento.  Esperamos dobrar o número de pessoas atingidas e superar a marca de 1 milhão impactadas durante mês de Setembro de 2017. Além disso, em 2018 também incluímos o combate ao desperdício de alimentos as causas do movimentos”, conta.

Todos os brasileiros estão convidados a participar e disseminar as ações do movimento Setembro Verde! Use a hashtag #setembroverde para compartilhar hábitos do seu dia-a-dia que fazem a sua alimentação ser mais saudável.

In the news
Leia Mais