Solidariedade: bancos de sangue convocam doadores

Hemorio inicia coleta externa em quartéis para reverter baixo estoque durante a pandemia. Não há risco de contrair o coronavírus pelo ato de doar sangue

Redação
Enfrentar uma pandemia de proporções inimagináveis como esta não é fácil. Imagina nos bancos de sangue, para  garantir a segurança da população que necessita de transfusão? Com a diminuição dos serviços, o fechamento das empresas e a redução no número de pessoas nas ruas, os bancos de sangue e hemocentros de todo o país já estão sofrendo queda significativa nas doações.
No último dia 17, estimou-se que os estoques do Hemorio durariam apenas mais três dias. Só nesta segunda (16), houve queda de 50% em seu número total de doadores. Em todo o Estado a queda foi de aproximadamente 80% no total de bolsas coletadas.
doação de sangue é essencial à vida de inúmeros pacientes internados nos hospitais. Se as pessoas pararem de doar sangue, além da crise que o Brasil enfrenta com o surto do coronavírus, poderemos enfrentar grande crise de desabastecimento de sangue”, explica Rodrigo Moreira, líder de captação do Banco de Sangue Serum.
Ele ressalta que as pessoas saudáveis devem sair de suas casas para doar sangue, assim como fazem para ir à farmácia, ao mercado e outras atividades essenciais. “O ato da doação de sangue não oferece riscos de contaminação pela Covid 19. As estruturas dos locais de doação estão adequadas e preparadas para receber os doadores. As precauções de contágio devem ser mantidas, mas o ato solidário não pode parar”, reforça Moreira.
Com finalidade de retomar as doações e manter os hemocentros abastecidos, a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) esclarece que “Doar sangue não oferece riscos aos doadores em tempos de coronavírus“. Para esclarecer dúvidas, a ABHH lançou um guia com orientações para pacientes e bancos de sangue: http://bit.ly/ABHH-orientações-Doação-sangue.

 

Hemorio vai buscar ajuda nos quarteis

Para evitar o baixo estoque de sangue, o Hemorio conta mais do que nunca com o apoio da população fluminense e lança nesta quinta (19) uma nova estratégia: coletas externas em quartéis e batalhões, em parceria com as Forças Armadas, incluindo Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. O objetivo é promover a doação de sangue nesses grupos que já estão prioritariamente a serviço da população e não interrompem suas atividades, mesmo durante o período de epidemia.
O trabalho começa nesta quinta-feira (19), como forma de compensar outras medidas, como a restrição de caravanas ou grandes grupos no Salão de Doadores da unidade, para proteger o doador de sangue. O hemocentro também vai atuar na identificação de visitantes sintomáticos que possam ter potencial de transmissão.
A extensão do serviço de Coleta Externa para cidades que não possuem hemocentros também está como meta prioritária do Hemorio. Cidades como Petrópolis, Belford Roxo, Valença e Nilópolis são só algumas das opções de destinos para garantir que os estoques permaneçam em níveis adequados.

Em média, o Hemorio tem disponibilidade para receber até 500 doadores por dia, quantidade suficiente para atender toda a rede pública do RJ. Para uma situação regular, é necessário que o Hemorio disponha de pelo menos 300 bolsas de sangue diariamente. Além da sede do Hemorio, o Estado conta com postos de coleta em diversos outros municípios e em vários bairros da capital.

Por mais que não haja evidências de transmissão por transfusão de sangue, como mais uma forma de controle e prevenção ao Coronavírus, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde atualizaram os critérios de doação nos bancos de sangue brasileiros.

A triagem clínica já incluía a verificação de dengue, chikungunya e zika e, a partir deste ano, incluiu a análise para o Covid-19 e outras variações como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS).

Pessoas que estiveram em regiões com casos confirmados do Covid-19 não poderão realizar doação de sangue pelo prazo de 30 dias e a contagem inicia-se a partir da data de retorno ao Brasil. O mesmo prazo vale para quem teve contato com um paciente infectado ou com suspeita da doença. Pacientes infectados, caso ocorram, só poderão realizar doações após 90 dias de recuperação completa’, afirma Marcia Garnica, infectologista Professora Adjunta do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFRJ; Infectologista da Unidade de Transplante do Complexo Hospitalar de Niterói; e associada da ABHH.

Preocupada com a queda de doações em função da pandemia de Covid-19, a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH)   esclarece e sugere ações para minimizar o potencial desabastecimento de componentes sanguíneos no Brasil:

Aos serviços de hemoterapia:

– Providenciar agenda de doações com hora marcada, para evitar aglomerações desnecessárias;

– Informar meios de contato eficientes para dirimir dúvidas e receber sugestões;

– Empenhar em oferecer vacina anti-influenza após a doação;

– Agendar coletas externas em quartéis, indústrias, comércios, com segmentação de horários para evitar aglomerações;

– Colaborar com os hospitais em adiar cirurgias eletivas.

Aos doadores:

– Doar sangue não é risco de contrair COVID-19;

– Se for tomar algum tipo de vacina, doar sangue antes;

– Ligue para o Serviço Hemoterapia e agende sua doação.

A pacientes em tratamento onco-hematológico*:

– Manter o seu tratamento oncológico normalmente;

– Evitar contato físico;

– Evitar ambientes fechados e aglomerações;

– Remarcar viagens ao exterior ou para regiões de altos números de casos;

– Restringir visitas hospitalares apenas às imprescindíveis;

– Evitar contato com pessoas que apresentem sintomas gripais;

– Ao apresentar sintomas como febre, coriza, falta de ar e tosse seca, procurar o seu médico o quanto antes

Banco de sangue reforça medidas de segurança

Rodrigo Moreira garante que no Banco de Sangue Serum não há motivos para que a população tenha receio em doar sangue, pois a unidade possui dependências próprias, assim, os doadores possuem acesso e atendimento exclusivo. Além disso, a instituição reforçou várias medidas de segurança:

• Agendamento de doadores para evitar horários com grandes aglomerações;

• Disponibilização de transporte para doadores;

• Maior distanciamento entre as cadeiras de espera na recepção;

• Maior distanciamento entre as cadeiras na sala de doação;

• Equipe treinada e orientada para lidar com a situação atual;

• Assepsia dos colaboradores, doadores, equipamentos e área física com álcool gel 70% em todas as etapas do processo de doação;

• Utilização de materiais e insumos estéreis e descartáveis;

• Dispensers com álcool gel 70% à disposição nas dependências do banco de sangue;

• O ambiente do banco de sangue é composto por profissionais e doadores em bom estado de saúde;

NOVAS REGRAS DE TRIAGEM:

• Candidatos que apresentaram sintomas de gripe e/ou resfriado devem aguardar 30 dias após cessarem os sintomas para realizar doação de sangue;

• Candidatos que viajaram para o exterior devem aguardar 30 dias após a data de retorno para realizar doação de sangue;

• Candidatos à doação de sangue, que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de fora do país, deverão ser considerados inaptos por 30 dias após o retorno destas áreas.

• Candidatos à doação de sangue que tiveram contato, nos últimos 30 dias, com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelos vírus SARS, MERS e/ou 2019-nCoV, bem como aqueles que tiveram contato com casos suspeitos em avaliação, deverão ser considerados inaptos pelo período de 30 dias após o último contato com essas pessoas;

• Candidatos à doação de sangue que foram infectados pelos vírus SARS, MERS e/ou 2019-nCoV, após diagnóstico clínico e/ou laboratorial, deverão ser considerados inaptos por um período de 90 dias após a completa recuperação (assintomáticos e sem sequelas que contraindique a doação);

Quem pode doar durante o período de Pandemia
●     é preciso ter entre 16 e 69 anos
●     o doador deve pesar no mínimo 50 kg
●     é necessário estar bem de saúde
●     quem quiser doar precisa portar um documento de identidade oficial com foto
●     não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.

Serviço:

Hemorio

Endereço: Rua Frei Caneca, 8, Centro (ao lado do Hospital Municipal Souza Aguiar)

Horário: 7h às 18h, de segunda-feira a domingo

Os endereços podem ser acessados no site do Hemorio www.hemorio.rj.gov.br.

Banco de Sangue Serum

Endereço: Rua Riachuelo, 43, Centro – Rio de Janeiro (dentro do Hospital da Ordem do Carmo, 3º andar)
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 12h.
Telefone: (21) 3233-5950
Estacionamento conveniado durante a doação – Landeiras Park, Avenida Gomes Freire, 769 – Lapa


Com Assessorias