Terceira dose: ‘Vacina é esperança’, diz artista de 97 anos

Residentes do Retiro dos Artistas e da Casa São Luiz, mais antigo asilo do país, foram os primeiros a receber terceira dose da vacina contra a Covid-19 no Rio

Vacinação na Casa São Luiz (Foto: Divulgação)

Ao receber a dose de reforço da vacina contra a Covid-19, nesta quarta-feira (1), a artista plástica Hyarea Amaral, de 97 anos, escolheu a palavra “alegria” para definir o momento. “Tudo que é bem estudado só pode ser para o bem, é mais uma coisa que veio pra ajudar. Pra quem ficou tanto tempo amedrontado com essa doença, vacina é esperança”, declarou Hyarea, uma das moradoras mais idosas do Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

No local, cerca de 50 residentes receberam a dose extra de proteção contra a doença que tem assustado todas as gerações. Como o ex-locutor esportivo do rádio Edivégenes Cardoso, conhecido como Buka Night and Day, de 87 anos. Ele disse estar explodindo de alegria por garantir a DR: “Estou tão feliz! Tive medo de pegar a Covid, então é gratificante estar recebendo essa dose extra. Agora temos que continuar seguindo as demais regras da saúde para estarmos ainda mais seguros”.

O ator e músico Bida Nascimento, de 63 anos, não conseguia conter o entusiasmo após receber a vacina: “Eu estou louco para voltar a viver! Estando vacinado, vou poder a fazer o que amo, trabalhar com o que gosto. Me sinto mais seguro com essa dose, é a expectativa de dias melhores”. A terceira dose para reforçar o esquema vacinal no Retiro dos Artistas foi tomada também por Manga, ex-goleiro do Botafogo; a cantora Leny de Andrade; e o ator Jaime Leibovitch, entre outros.

Os 86 residentes da Casa São Luiz, a instituição de longa permanência para idosos (ILPI) mais antiga do país, criada há 130 anos, também foram contemplados dose de reforço contra a Covid-19 com a aplicação da vacina da AstraZeneca nesta quarta-feira (1°) pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde. No início deste ano os idosos da casa, localizada no bairro do Caju, Zona Portuária, receberam duas doses da Coronavac.

A terceira dose faz parte do Calendário Único de Vacinação do Estado do Rio. A primeira etapa da aplicação da dose de reforço (DR) em idosos, até o próximo dia 10, contempla os residentes de ILPIs públicas e privadas do município. De acordo com pesquisas e por recomendação do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 do Rio, a inclusão da DR no esquema vacinal potencializa a eficácia da resposta imunológica gerada pelas doses iniciais.

“Ao mesmo tempo em que estamos perto de concluir o calendário de vacinação por idade, também reforçamos a imunização das pessoas mais velhas, que têm o sistema imunológico mais frágil e já se vacinaram, na sua maioria, há seis meses”, destacou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Reforço é importante diante do avanço da Delta

Ainda segundo ele, diante do avanço da variante Delta na cidade, a dose adicional é importante para manter o nível de proteção e, assim, evitar casos graves e internações, principalmente nos grupos mais vulneráveis. “Para isso, continuamos contando com a entrega regular de remessas de vacinas pelo Ministério da Saúde“, acrescentou.

Após os idosos institucionalizados, a previsão da SMS é vacinar pessoas a partir de 60 anos de 13 de setembro a 30 de outubro, escalonados por idade de forma decrescente. Para receber a DR, os idosos devem ter o esquema vacinal contra covid-19 completo, tendo recebido a segunda dose há, pelo menos, três meses.

Independentemente da vacina tomada nas duas primeiras doses, para a DR serão usadas vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, dependendo da disponibilidade. Apenas idosos que tomaram o esquema inicial (primeira e segunda doses) na cidade do Rio poderão tomar a DR na cidade.

Com SMS e Casa São Luís

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais