Toda mulher tem direito a exames e tratamento do câncer de mama

60% dos casos da doença já chegam aos consultórios em estágio avançado, especialmente pacientes do SUS, alerta Sociedade de Mastologia

Redação

Um vídeo recém-lançado pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) acende o sinal vermelho para um grave problema: a falta de acesso ao diagnóstico precoce, considerado fundamental para elevar as chances de cura do câncer de mama. E as maiores vítimas são mulheres que precisam do Sistema Único de Saúde (SUS). Além de conscientizar s mulheres sobre os cuidados com a saúde em pleno Outubro Rosa, o vídeo destaca, principalmente, os direitos garantidos por leis para que todas tenham ao acesso aos exames preventivos e ao tratamento do câncer de mama.

De acordo com o presidente da entidade, Antônio Luiz Frasson, o mote da ação deste ano busca chamar a atenção da mulher e de toda a sociedade brasileira sobre um dos principais gargalos que ainda persiste no país que é a falta de acesso das mulheres ao diagnóstico precoce e ao tratamento do câncer de mama atendidas pelo SUS.

Cerca de 60% dos casos chegam aos consultórios em estágio avançado, principalmente as pacientes atendidas pela rede pública de saúde. Isso se deve, essencialmente, às dificuldades para agendar consultas e exames, à demora para ser chamada e, assim, receber o diagnóstico e iniciar o tratamento”, afirma o mastologista.

Quando e quem deve realizar o exame

Sociedade Brasileira de Mastologia preconiza que as mulheres a partir dos 40 anos devem realizar a mamografia anualmente. Esse exame é o mais eficaz para detectar o câncer de mama porque consegue identificar microcalcificações que podem representar o sinal mais precoce de malignidade ou nódulos menores de 1 centímetro, que não são possíveis de apalpar clinicamente.

Dr. Frasson ressalta que há leis que garantem os direitos das mulheres, como a 11.664/08, que garante o acesso à mamografia; a 12.732/12, que obriga as pacientes iniciarem o tratamento em até 60 dias a partir do momento que recebe o diagnóstico do câncer; a 12.802/13, que garante às mulheres que submetem à mastectomia (retirada de uma ou das duas mamas) o direito de ter suas mamas reconstruídas no mesmo ato cirúrgico, entre outras.

Ele destaca ainda que o vídeo tem caráter informativo e, inclusive, orienta a mulher sobre a importância de contar com um especialista, pois o câncer de mama é a segunda maior causa de morte da mulher brasileira. “Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), anualmente são 13 mil mortes para cada 100 mil habitantes. Precisamos orientar a população sobre a importância de ir regularmente ao mastologista, que é o especialista na saúde da mama”, alerta o presidente, destacando que o papel da SBM é disseminar informação qualificada.

Quanto antes o diagnóstico, maiores as chances de cura

Quanto antes o diagnóstico é feito, maior é a probabilidade de sucesso no tratamento. O mastologista do Hapvida, Francisco Farias da Costa Junior, explica a importância dos exames preventivos: “A detecção precoce do câncer mamário significa um aumento nas chances de cura e diminuição da agressividade do tratamento. Sabe-se que 95% dos casos diagnosticados no início têm possibilidade de cura”.

Existem diversos tratamentos para o câncer de mama, que variam de acordo com a gravidade de cada caso. A doença pode ser tratada com cirurgia, quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia e terapia-alvo. As causas não são totalmente conhecidas e fatores como meio ambiente, hormônios, imunologia e mutações genéticas podem influenciar.

Um estilo de vida saudável, com boa alimentação e prática regular de exercícios físicos podem diminuir os riscos de desenvolvimento do câncer. Além disso, mulheres de 50 a 69 anos devem fazer mamografia de rastreamento a cada dois anos. O autoexame, feito pela palpação das mamas, pode contribuir para o diagnóstico, mas não deve substituir o acompanhamento médico.

A campanha

Outubro Rosa é um movimento mundial que tem o objetivo de conscientizar as mulheres, e a sociedade de maneira geral, sobre a importância de realizar exames que podem prevenir ou diagnosticar precocemente o câncer de mama. Este é o segundo tipo de câncer que mais atinge as mulheres brasileiras, representando 25% de todos os cânceres que atingem o sexo feminino, segundo o Instituto Nacional do Câncer – Inca.

Ainda de acordo com os dados divulgados pelo instituto, apenas em 2018 estima-se que quase 60 mil casos de câncer de mama foram detectados no Brasil. A doença se constitui no crescimento desordenado de células da mama, que são agressivas e incontroláveis. Esse processo é um dos fatores determinantes para o surgimento dos tumores, espalhando-se por todo o corpo.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.