Tontura também pode ser sintoma de ansiedade

No Dia da Tontura, otorrino e cardiologista chamam atenção para sintoma que pode estar associado até à ansiedade

Tontura deve ser investigada por otorrino

Dia 22 de abril é o Dia da Tontura, problema que atinge cerca de 30% da população mundial e 42% dos brasileiros. Ainda que a tontura não seja um sintoma exclusivo de problemas com o labirinto, pode ocorrer também em problemas com a visão, problemas musculares, articulares e metabólicos. E pode, inclusive, ser um dos sintomas da ansiedade.

“A tontura é um sintoma pouco específico que indica um distúrbio no equilíbrio e pode ser causada por doenças que acometem o ouvido, o nervo responsável pelo equilíbrio e por doenças cerebrais”, explica a médica otorrinolaringologista Nathália Prudencio.

A tontura poderá vir acompanhada de outros sintomas, que vão ajudar no diagnóstico correto, como escurecimento visual, sudorese, taquicardia, perda de força em membros, perda da audição, zumbido, sensação de ouvido tapado, náusea e vômitos.

Você já  sentiu tontura, foi ao médico, fez um monte de exames, e que não acusaram nenhuma doença? Se a sua resposta for sim, você pode estar com sintomas de ansiedade. Isso mesmo. Pacientes que sofrem com a ansiedade costumam relatar tontura, principalmente quando estão na crise.

Tonturas no ansioso podem ocorrer em situações específicas, como por exemplo, quando se está em ambientes onde há muitas pessoas, ou em ambientes muito fechados. “Essa vertigem pode levar ao medo de sair de casa, de cair, de chegar a um local cheio e passar mal”, explica o cardiologista Roberto Yano.

Cardiologista explica sintomas físicos da ansiedade


De acordo com o médico, que é especialista em marca-passo, a ansiedade pode se manifestar com sintomas psicológicos, como medo, insônia, dificuldade de concentração, mas também pode apresentar sintomas físicos, como a tontura. Ele listou ainda mais quatro sintomas característicos de uma crise de ansiedade que podem ser confundidos com problemas cardíacos:

Alteração no ritmo cardíaco

Segundo o especialista, em uma crise de ansiedade o ritmo cardíaco pode acelerar. Normalmente os pacientes usam a frase ‘meu coração parece que vai sair pela boca’, para explicar a sensação que estão sentindo. A sensação de estresse e ansiedade faz com que o organismo libere mais adrenalina, um hormônio que aumenta a frequência cardíaca, por isso ocorre alteração e aceleração nos batimentos cardíacos.

Dr. Yano acrescenta que já atendeu vários pacientes relatando estarem com sintomas cardíacos, quando na realidade estavam em crises de ansiedade. “Por outro lado, o contrário também ocorre de pacientes sentirem alteração no ritmo cardíaco, tratarem como se fosse apenas uma ansiedade, demorarem a me procurar, e quando avalio o paciente, ele realmente está com alguma arritmia cardíaca”, contou.

Falta de ar

Falta de ar quando está nervoso, estressado, brigando com alguém? Isso também pode ser um sintoma de ansiedade. Pessoas que sofrem desse mal, podem sentir falta de ar constantemente.
“A falta de ar normalmente vem acompanhada de palpitação. Em situações de estresse é preciso tentar se acalmar, e se a crise de ansiedade não passar, procure orientação médica”, alerta o especialista.

Formigamento nos braços e língua

A dormência nos braços, mãos e língua, também podem ser causadas pelo estresse e ansiedade. Em pessoas com síndrome do pânico esses sintomas podem surgir acompanhados de outros sintomas, como suor frio, dor no peito, arritmia e formigamento.

“Esse formigamento pode ocorrer por causa da liberação da adrenalina. O corpo entende que você está se preparando para uma situação de luta, ou fuga. O organismo começa a direcionar o fluxo de sangue para os músculos para que fiquem mais fortes e rígidos”, explicou o médico. ·.

Cansaço frequente

Quem nunca acordou com a sensação de que ainda não havia dormido? Totalmente cansado, fraco. Na realidade, a ansiedade não causa fraqueza muscular de fato, mas pode dar a sensação de cansaço, podendo se intensificar quando a pessoa está em crise.

“Existem várias doenças que podem fazer uma pessoa se sentir cansada, como hipotireoidismo, insuficiência cardíaca, anemia e até a própria depressão. A recomendação é clara de não se automedicar, sem saber o diagnóstico”, alertou.

É preciso descartar outras doenças

Dr. Yano destaca que a ansiedade é uma doença psiquiátrica. O tratamento pode aliviar a maioria ou todos os sintomas. “A orientação é procurar ajuda de profissionais adequados, como psicólogos, psiquiatras, praticar exercício físico, ter uma boa alimentação, ter um hobby, horas de lazer com a família. Esse conjunto de ações vão te ajudar a viver mais e com melhor qualidade de vida”, garantiu Dr. Roberto.

Caso você apresente alguns dos sintomas citados acima, é importante descartar outras doenças, como problemas no coração, doenças da tireoide, anemia, doenças ginecológicas. O importante é sempre procurar um bom médico, caso esses sintomas físicos ocorram. “A ansiedade entra sempre como diagnóstico de exclusão. O paciente que chega com sintomas cardíacos, é sempre necessária a investigação minuciosa de todos os seus sintomas”, finalizou.

Com Assessorias

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais