Vacina contra a gripe para todos na rede particular

A vacina tetravalente contra a gripe é indicada para crianças a partir de seis meses. Não há limite de idade para receber a vacina, que é intramuscular

Vacina

Enquanto na rede pública de saúde a vacina contra a gripe é indicada para um determinado grupo de pessoas, na rede privada já é possível tomar a vacina, em qualquer faixa etária. No Grupo Dasa, quinta maior empresa de medicina diagnóstica no mundo, as doses estão disponíveis nas unidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Brasília e Ceará. As vacinas são oferecidas a um preço que varia entre 90 e 160 reais.

No Rio de Janeiro, o Laboratório Lâmina está operando com um lote inicial de 500 doses nas unidades Voluntários da Pátria, Barra da Tijuca e Icaraí (Niterói). A marca tem a expectativa de aquisição de 1 mil doses para a temporada de campanha. Em São Paulo, as doses da vacina contra gripe podem ser adquiridas nos laboratórios das marcas Alta Excelência Diagnóstica, Delboni Auriemo e Lavoisier.

vacina tetravalente contra a gripe é indicada para crianças a partir de seis meses. Não há limite de idade para receber a vacina, que é intramuscular. A imunização ocorre a partir de três a seis semanas depois de se receber a dose e, após período de 9 a 12 meses, há uma redução importante dos níveis de imunidade. Em razão disso, é fundamental que as pessoas sejam vacinadas todos os anos.

Historicamente, a imunização tem maior adesão das crianças e idosos, mas é preciso atrair a sociedade como um todo, inclusive os homens adultos jovens, que são os que menos se vacinam. A vacina para Influenza deve ser realizada por todos, uma vez que protege contra uma doença grave que anualmente é responsável por inúmeras internações e mortes”, alerta o médico infectologista do Grupo Dasa, Alberto Chebabo.

 

Imunização da vacina quadrivalente

vacina tetravalente imuniza contra duas cepas de Influenza A (H1N1 e H3N2) e duas cepas de Influenza B (Phuket e Brisbane). A definição das cepas da vacina se dá com base na ocorrência de gripe no hemisfério norte e na retrospectiva do ano anterior no hemisfério Sul. A contaminação ocorre pelo ar, por contato direto (em secreções de alguém doente quando se leva a mão aos olhos, boca ou nariz) e indireto (tocando em objetos ou superfícies contaminadas por alguém que expeliu o vírus e colocando a mão em uma das mucosas).

De acordo com Chebabe, a eficácia da vacina, depende do grau de agressividade da cepa circulante. Em média, segundo o especialista, a eficácia da imunização da vacina gira em torno de 70%. “A agressividade e, por sua vez, a eficácia, depende mais da imunidade do indivíduo. Qualquer um dos vírus influenza pode determinar desde uma simples gripe até um quadro de insuficiência respiratória ou levar à morte”, explica.

Contraindicações e efeitos adversos

São raras as contraindicações da vacina contra a gripe. Não podem receber a dose apenas os bebês com menos de seis meses ou pessoas, de qualquer idade, que tenham reação alérgica grave às proteínas do ovo. Também são incomuns os efeitos adversos, pois a vacina é de um vírus inativado (morto) e, portanto, não causa a doença.

Segundo Alberto Chebabo, os poucos casos de efeitos adversos se apresentam como dor ou vermelhidão no local da aplicação e sinais leves de resposta imunológica como febre e dor no corpo. “Esses efeitos adversos costumam surgir entre seis e doze anos horas após a aplicação e podem persistir por uma semana”.

 

Grupo Dasa: onde a vacina está disponível

No Sul, onde há a maior demanda, o Laboratório Frischmann Aisengart, de Curitiba, prevê a disponibilidade de 15 mil doses. A imunização está disponível nas unidades de Xaxim, Alto da XV e Batel. Dispondo de 15 mil doses da vacina quadrivalente, as três unidades, juntas, estimam vacinar 500 pessoas por dia durante as primeiras semanas do Outono. Em Santa Catarina, o Laboratório Santa Luzia, de Joinville, conta com um lote de 3 mil vacinas.

No Centro Oeste, a maior preocupação se dá em Goiás, onde, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, já foram confirmadas 13 mortes por H1N1. As unidades do Laboratório Atalaia, de Goiânia, estão tendo grande procura. Até o inverno, a expectativa é que sejam pedidas 3.500 doses. A marca Exame, de Brasília, está com um estoque inicial de 400 doses e novos pedidos serão feitos de acordo com a demanda até o inverno. Na região Nordeste, o LabPasteur, de Fortaleza, está com um estoque inicial de 500 doses.

Curiosidades sobre Influenza

Há diferenças entre os vírus da Influenza quanto à contaminação, disseminação e espécies que podem ser atingidas:

Influenza A: pode afetar diversas espécies, incluindo humanos, aves, suínos, cavalos e até baleias. Este tipo é o principal responsável por epidemias sazonais e pandemias, sendo classificado em diferentes subtipos de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N).

Influenza B: afeta apenas seres humanos e mamíferos marinhos, sendo dividido em apenas duas cepas: Yamagata e Victoria. Tem o mesmo tipo de gravidade da maioria das gripes causadas por Influenza A.

Influenza C: afeta seres humanos e suínos, porém, causam infecções mais brandas e está associado com casos esporádicos. Por não ter impacto na saúde pública, esse tipo de vírus influenza não entra na imunização pela vacina.

Fonte: Grupo Dasa, com Redação

2 Comments
  1. […] Diante da baixa procura, o Ministério da Saúde decidiu prorrogar mais uma vez a Campanha de Vacinação contra a Influenza, que terminaria neste sábado (15). Agora, quem faz parte da população alvo e ainda não se vacinou tem até o dia 22 de junho para comparecer a um posto de vacinação para tomar a sua dose. A meta em todo o Estado do Rio de Janeiro é imunizar cerca de 4,5 milhões de pessoas, entre gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, pessoas com mais 60 anos, pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas. Até segunda-feira (11), apenas 33% das crianças e 45% das gestantes no estado tomaram a vacina. Já entre os idosos, o percentual cresce um pouco, com 63% de pessoas vacinadas. A cobertura vacinal é de 55,8%. “Essa é uma forma eficiente de evitar a gripe que, apesar de não ser uma doença grave, pode se agravar entre os grupos prioritários”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Gama. No município do Rio, 1.244.126 pessoas foram vacinadas desde o início da campanha. Mas a cobertura dos grupos prioritários (idosos, crianças de seis meses a 4 anos, gestantes, puérperas e trabalhadores de saúde) ainda é considerada baixa, em torno de 61,1%. A meta da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é alcançar 90% desses grupos. Dráuzio Varela: Discussão das vacinas é de gente ignorante Cardiopatas podem (e devem) tomar vacina da gripe Vacina contra a gripe para todos na rede particular […]

  2. […] Vacina contra a gripe para todos na rede particular […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais