Verão saudável: beber muita água é fundamental para hidratar o corpo

Endocrinologista e nutricionista dão dicas para manter uma alimentação equilibrada e longe dos riscos de contaminação

Redação
Hidratação é uma das principais medidas para limpar o organismo após a ressaca (Foto: Banco de imagem)

Verão é sinônimo de férias para muita gente. Nesta época, o refúgio das pessoas nas praias e piscinas é grande, sem horário para dormir nem acordar e muito menos para se alimentar. Porém, essa descontração não deve significar descuido com a alimentação. Ao contrário do inverno, período em que é comum sentirmos mais fome, não é raro que as temperaturas elevadas inibam o apetite. Segundo especialistas, as mudanças fisiológicas com a chegada do verão devem ser ajustadas a uma alimentação especial.

Nos dias quentes também ocorre maior perda de líquidos e minerais, devido ao aumento da temperatura corporal e transpiração excessiva. Por isso, a necessidade de se hidratar, para que todo líquido perdido seja reposto.

“Como a perda de água e sais minerais com o suor aumenta o risco de desidratação, devemos consumir pelo 300ml de água em um intervalo de 2 ou 3 horas, de preferência em um horário longe das grandes refeições como almoço e jantar.Vale lembrar que a alimentação também é uma aliada nestes dias de calor”, explica a endocrinologista Patrícia Peixoto.
Membro da SBEM (Sociedade Brasileira de endocrinologia e metabologia), da Abeso (Associação Brasileira para estudos da obesidade) e da Endocrine Society, a  médica  alerta: “Apesar de sabermos da importância de hidratar o corpo, nem sempre damos a devida atenção a isso. No verão, porém, devemos redobrar a atenção, em especial no caso de crianças, idosos, gestantes e diabéticos”.
“O consumo de água, chás gelados, sucos naturais e líquidos em geral ajudam a repor a água do corpo. Frutas e verduras também são fontes importantes de minerais que se perdem facilmente na transpiração. Por isso é necessário ter a preocupação com a ingestão de líquidos e a reposição destes minerais para manter a hidratação. Também é importante se atentar aos produtos com adição de açúcar”, orienta a nutricionista do Check-up HCor (Hospital do Coração), Maria Fernanda Vischi D´Ottavio.

Cuidados com a higiene e a qualidade dos alimentos

Uma das preocupações mais frequentes no verão é o cuidado, preparo e a conservação dos alimentos, principalmente os vegetais e as carnes. Devido ao calor, aumenta a chance dos alimentos se deteriorarem.  A alta temperatura facilita a proliferação de fungos e bactérias.

Tomem cuidado com o preparo e a conservação dos alimentos, principalmente os vegetais e as carnes, mantendo-os refrigerados e armazenados em recipientes de preferência de vidro”, alerta Dra. Patrícia.

Por isso, durante as férias nas praias, o ideal é que se evite o consumo de alimentos em quiosques que não tenham infraestrutura adequada e os alimentos vendidos por ambulantes.

“Muitos possuem grandes potenciais de contaminação devido ao armazenamento inadequado de molhos e cremes, e pouca higienização. Além disso, é necessário verificar se o produto está dentro do prazo de validade”, ressalta a nutricionista.

Na praia ou na piscina a tentação para o consumo de frituras, porções, sorvetes e bebidas alcoólicas é grande. No entanto, a forma de armazenagem, higiene do local, cheiro e o sabor dos alimentos devem ser observados para evitar problemas de saúde. “Quanto às verduras, elas deverão ser mantidas em refrigerador. E, quando consumidas, estarem bem lavadas com bastante água corrente e tratada com hipoclorito de sódio específico para esses alimentos”, diz.

As carnes e peixes deverão ser mantidos congelados e bem acondicionados em recipientes próprios. Durante o preparo é importante evitar a contaminação cruzada por facas e tábuas usadas em outras preparações. Na cocção, deixar cozer bastante e após esfriamento acondicionar em geladeira ou freezer, dependendo do caso.

“A falta de cuidados com a higiene na limpeza de alimentos para consumo ou em sua conservação pode levá-los à contaminação.  Com isso, as verminoses e gastroenterites, poderão se manifestar e causar sintomas como diarreia, vômitos, desidratação e mal estar”, finaliza a nutricionista do HCor.

Dicas para uma alimentação saudável durante o verão

Devido à diminuição do metabolismo basal (energia mínima gasta para manter funções vitais), em relação às necessidades do inverno, a quantidade calórica ingerida também deve ser reduzida. O efeito inibidor da fome pelo calor pode agir negativamente caso o indivíduo se mantenha em jejum prolongado. A melhor forma de contornar o problema é investir em alimentos de fácil digestão, como verduras, frutas, legumes e carnes magras.

A aposta no verão são as frutas, verduras e legumes, pois são ótimas fontes de vitaminas, minerais e fibras, além de serem alimentos refrescantes que combinam com a alta temperatura da estação. “Consuma à vontade folhas verdes e legumes (de preferência crus). Cuidado apenas com o tempero das saladas: evite maionese caseira e molhos prontos. Dê preferência ao azeite, limão, vinagre. É importante se atentar à quantidade de frutas consumidas: a orientação é ingerir de três a quatro porções por dia”, alerta a nutricionista.

Prefira os cereais integrais que combinam com saladas e pratos frios em geral. “Na hora de comprar, opte pelos pães, cereais matinais, arroz e massas integrais ao invés do tipo branco. Consuma gorduras vegetais (azeite, óleo de canola e soja), que combinam com as preparações de verão e são mais saudáveis que as gorduras de origem animal, porém, devem ser consumidas com moderação”, esclarece.

As carnes magras são as mais indicadas nesta época, pois são mais facilmente digeridas evitando desconfortos gástricos, além de serem mais saudáveis. “O ideal é optar pelas carnes brancas de aves, peixes e cortes de carnes vermelhas magras. Por outro lado, evite as carnes de aves com pele, carne de porco e carnes com gordura aparente. Quanto à forma de preparo varie entre cozidos, grelhados e assados deixando de lado as frituras que não combinam com o clima quente do verão, além de serem extremamente calóricas”, orienta Maria Fernanda Vischi D´Ottavio.

Patrícia indica consumir alimentos frescos, saudáveis e pouco calóricos, como saladas, picolés de frutas e água de coco, que hidrata, mas, tendo calorias, não deve substituir a água. “E ainda dá para cuidar da pele com a ingestão de água e alimentos ricos em vitamina C, que e antioxidante, como frutas cítricas, acerola, kiwi, laranja, limão, maracujá e morango e vegetais verde-escuros, agrião, brócolis, couve, espinafre, rúcula”, afirma a endocrinologista. Ela também dá outras dicas especiais:
– Grãos e sementes devem ser consumidos em pequenas quantidades e várias vezes ao dia
– No café da manhã e também no lanche da tarde priorize as frutas.
  • – No almoço e no jantar, escolha carnes grelhadas e vegetais com saladas cruas temperadas de modo leve;
  • – Fuja dos alimentos gordurosos, dos refrigerantes e sucos prontos, que são ricos em açúcar e sódio, aumentando o risco de retenção de líquidos, tão comum neste período.
Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.