Como cuidar da saúde do melhor amigo do homem

Médica veterinária ensina como manter a saúde do seu amigo pet durante a quarentena. Livro desvenda sentimentos dos cães pelos humanos

O Dia do Amigo é comemorado no dia 20 de julho. Mas quem disse que a relação precisa se restringir apenas aos humanos? Há quem diga que não exista amizade mais sincera do que aquela compartilhada com os pets. Mas para que essa relação seja duradoura, é preciso se atentar aos cuidados com os animais, principalmente em tempos de pandemia.

Ao longo do processo de domesticação, os cães passaram a se conectar cada vez mais com os seres humanos, de modo que, da mesma maneira que muitas pessoas têm seus pets como filhos, eles também veem seus tutores como membros de sua família. Essa ligação é muito verdadeira principalmente se o pet convive com seus “humanos” desde filhote. Da mesma maneira, animais que foram adotados depois de adultos também veem seus tutores dessa forma, e sentem um imenso afeto por eles”, explica a médica veterinária Lara Volpe, da Fórmula Natural.

Para se ter uma ideia do valor sentimental desta relação, principalmente no atual cenário causado pelo novo coronavírus, um estudo recente publicado na revista Journal of Veterinary Behaviour, com base em quase 1.300 respostas a uma pesquisa feita durante três semanas de confinamento, sugere que os animais de estimação trazem benefícios para a saúde mental, emocional e física das pessoas. Três em cada quatro indivíduos entrevistados responderam que seu pet (gato ou cachorro) os ajudou a superar o confinamento.

A pandemia e o período de isolamento social intensificaram esta conexão. No Brasil, ONGs e protetores de animais afirmam que a procura por adoção de cães e gatos teve um aumento de até 50% no período. Apesar do aspecto positivo, vale ressaltar que, eventualmente, a rotina voltará ao normal e a adoção é uma responsabilidade muito séria para ser tomada por impulso, pois deve ser mantida ao longo de toda a vida do animal. Portanto, é muito importante que a pessoa leve em consideração seu estilo de vida e suas condições de ter um pet fora do período de pandemia. Esse tipo de conduta previne a posse irresponsável e o abandono de cães e gatos.

Até hoje, não foi comprovada cientificamente a transmissão da COVID-19 para cães, e por isso, a recomendação é manter os cuidados comuns com os animais. Mas, você sabe o que devemos fazer para manter a saúde dos pets em qualquer época, independentemente da pandemia? “Tudo para essa verdadeira amizade tem tudo para ser longa e duradoura. Afinal, quem tem um pet sabe o bem que esse vínculo emocional baseado em amor, carinho e cuidado faz para todos da família, inclusive, para o bichinho de estimação”, ressalta a veterinária Lara Volpe, que preparou uma lista de cuidados necessários nesse período.

Confira as dicas para garantir a saúde dos bichinhos

amigo cão

  • A alimentação é, sem dúvida, um dos pontos mais importantes. Alimentos comerciais são produzidos com ingredientes selecionados e seguros com relação à ausência de microrganismos e toxinas. Além disso, ao oferecer um alimento de boa qualidade, formulado por especialistas, o tutor garante a quantidade adequada de todos os nutrientes que o animal precisa, o que auxilia na manutenção da saúde e qualidade de vida do pet.
  • Os passeios podem ter diminuído de frequência e distância devido às regras de isolamento social, mas nem por isso você deve deixar de proporcionar esta atividade a seu pet. Uma opção para o gasto de energia é abusar da boa e velha bolinha e de brinquedos. Se o seu pet é mais interativo, vale tentar brincadeira as como esconde-esconde também. Não se esqueça: quando levar o seu pet para passear, faça a higienização na volta, passando um pano úmido com água e sabão neutro na superfície do pelo e patas.
  • A carteira de vacinação deve estar sempre em dia. Nem todos os tutores se lembram que esse cuidado em especial pode proporcionar muitos benefícios para o pet e para os integrantes da família, como proteção contra doenças específicas dos animais, e zoonoses (doenças que são transmitidas para os humanos). Importante ressaltar que o animal deve receber reforços da vacina uma vez ao ano e esta visita ao veterinário acaba sendo uma boa oportunidade para fazer um checkup geral no seu pet.
  • A higienização é de suma importância, principalmente para aqueles pets que ficam dentro casa e nas camas dos tutores, por exemplo. Nos cães, o ideal é dar banho a cada 15 dias e realizar a escovação dos pelos diariamente. Nos gatos, o intervalo do banho pode ser maior, visto que esses animais já têm o hábito de se higienizarem com frequência.
  • Como a relação entre pets e seres humanos é muito intensa, a presença de pessoas mais tempo em casa a princípio seria benéfica para esses animais. No entanto, cães e gatos são muito sensíveis à mudança de rotina e, quando isso acontece, eles podem ficar estressados. Por isso é importante que, à medida que o isolamento social for diminuindo, as pessoas adaptem seus animais de estimação a ficarem sozinhos gradativamente. Isso pode ser feito mantendo os animais separados das pessoas em cômodos diferentes durante algumas horas do dia. Com isso, a ausência do tutor não será súbita e os pets não irão sentir tanto.

“Será que ele me ama?”: livro desvenda emoções dos cães

“O que meu CÃO sente por mim?” Essa é uma das perguntas que os apaixonados pelos cachorros sempre fazem. Para Gregory Berns, neurocientista da Emory University, em Atlanta (EUA), a dúvida se transformou na pesquisa científica The Dog Project. Berns não só transcreveu suas descobertas no livro Será que ele me ama? , que chega agora no  Brasil pela Citadel Editora, como transformou o resultado em uma genuína causa de amor.

Em Será que ele me ama? o neurocientista americano descreve os anos de sua pesquisa que decifrou o cérebro canino por meio de estudos de ressonância magnética. Além de detalhar todos os processos que levaram às descobertas fascinantes, Gregory nos presenteia com inúmeras outras pesquisas de pessoas que já dedicaram tempo ao estudo das emoções caninas, como Charles Darwin em “A Expressão das Emoções no Homem e nos Animais” ou o fisiologista russo Ivan Pavlov, ganhador do Prêmio Nobel de 1904.

Para o lançamento do livro no Brasil, o editor André Fonseca, que é um apaixonado por cães desde a infância, decidiu fazer algo diferente. Em vez de publicar a capa do livro com fotos de cães dos tradicionais bancos de imagens, ele, junto com a equipe da Citadel Editora e sua agência de marketing, decidiram lançar a campanha #MeuCaonaCapa.

O projeto vai compartilhar esse amor de todas as formas possíveis! A primeira novidade desse lançamento é que parte das vendas dos exemplares será revertida para o Instituto de Apoio e Defesa Animal Pet Van, criado pela médica veterinária, modelo e ex-BBB Vanessa Mesquita, que também prefacia a obra.

A segunda e mais esperada novidade é: todos que postarem no seu próprio perfil do Instagram um relato que “prova” que seu cão te ama, com o uso da hashtag #MEUCAONACAPA, vão concorrer a ter a imagem do seu amado cãozinho na CAPA do livro “Será que ele me ama?.

Para concorrer à foto do cachorrinho na capa do livro Será que ele me ama?, será preciso publicar no Instagram a imagem do seu companheiro de quatro patas com a história que mostre a relação entre você e seu pet.

Para validar a participação na campanha, deve-se usar as hashtags #seraquelemeama e #meucaonacapa.

Iniciada no dia 6 de julho, a campanha vai até 27 de julho (segunda-feira) e serão selecionados 22 ganhadores. Siga o perfil da @citadeleditora no Instagram para não perder a divulgação dos cãezinhos selecionados.

Agora, se ele te ama? A resposta você sabe, descubra cientificamente e conheça mais sobre esse incrível projeto: https://bit.ly/campanhaSQEA 

Confira também os primeiros capítulo do livro: https://adobe.ly/2VH6d7M

Sobre o autor: Gregory Berns, M.D., Ph.D., é professor distinto de Neuroeconomia da Emory University. Sua pesquisa foi apresentada no New York Times, no Wall Street Journal, na Forbes, no Los Angeles Times, Nature, Money, New Scientist, Psychology Today e na CNN, NPR, ABC e BBC. Ele mora em Atlanta, na Geórgia, com sua esposa, dois filhos e três cães.

Ficha Técnica


Título: Será que ele me ama? Um neurocientista decifra o cérebro emocional canino
Editora: Citadel
Edição: 1ª Edição 2020
Preço: R$ 44,90
Páginas: 256
Onde comprarAmazon

Com Assessorias