Doação de leite humano ajuda a salvar vidas

Campanha Conserve o Amor conscientiza mães da importância de compartilhar o leite materno com quem não pode amamentar

Redação

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a amamentação é uma das formas mais eficazes de garantir a saúde e a sobrevivência dos recém-nascidos. Porém, muitas mães se deparam com a dificuldade de amamentar, enquanto outras tem a possibilidade de doar.

De acordo com o Ministério da Saúde, cada 300 ml de leite sustentam, em media, dez recém-nascidos. Hoje, o Brasil possui a maior rede de bancos de leite do mundo com 221 unidades em todos os estados, além de 186 postos de coleta, mas, mesmo com o total de doações, a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano consegue suprir apenas cerca de 60% da demanda para recém-nascidos internados em unidades de terapia intensiva.

Neste sábado, 19, Dia Mundial da Doação de Leite Humano, destacamos as campanhas do Ministério da Saúde e Conserve o Amor  – criação da agência PROS para a Panasonic –  para incentivar a doação de leite materno. Ao mesmo tempo, chama atenção para a importância da refrigeração adequada do leite doado, etapa fundamental até o momento do consumo do leite pelo bebê.

Campanha nacional

O Ministério da Saúde, em parceria com a Rede Global de Bancos de Leite Humano e o Programa Iberoamericano de Bancos de Leite Humano, lançou nesta sexta-feira (18), a campanha nacional “Doe Leite Materno, Ajude Quem Espera Por Você”. A madrinha deste ano é a atriz, mãe e doadora Sheron Menezzes, que faz um convite às mães a procurarem um Banco de Leite Humano e a incentivarem outras mães para doarem também.

A campanha reforça a necessidade de doação de leite para prematuros de baixo peso e enfatiza que qualquer quantidade do alimento é importante para esses bebês, pois, dependendo do peso do prematuro, 1 ml de leite humano já é suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado. Portanto, toda quantidade doada aos Bancos de Leite é de grande valor. Na Região Sudeste, em 2017, 43.245 recém-nascidos prematuros foram beneficiados com doações de 57.802 mulheres. A região possui 95 Bancos de Leite Materno e 77 Postos de Coleta. No Estado do Rio, existem 18 Bancos de Leite Humano e 9 postos de coleta – localize o mais próximo aqui.

A estratégia de Bancos de Leite Humano do Brasil, desenvolvida há 32 anos pelo Ministério da Saúde, já beneficiou, entre os anos de 2009 e 2017, cerca de dois milhões de recém-nascidos. Também contou com o apoio de mais de 1,5 milhão de mulheres doadoras e aproximadamente, 1,6 milhão de litros de leite coletados. Em 2017, o volume de leite humano coletado em todo o Brasil foi de 212 mil litros. Desses, foram distribuídos 155 mil litros. No total, 198 mil bebês prematuros foram beneficiados nesse período com a doação de 183 mil mulheres.

Quem pode doar

Toda mulher que amamenta é considerada uma possível doadora de leite; basta estar saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira no processo. Quem estiver amamentado e quiser doar deve procurar o banco de leite mais próximo ou ligar para o Disque Saúde 136. O leite materno coletado tem o prazo de validade de até 12 horas quando refrigerado na parte superior e no fundo da geladeira (não colocar na porta) e de até 15 dias, contados desde a coleta, no freezer. Se o leite não for utilizado nesse prazo, deverá ser descartado.

As mães de hoje se unem cada vez mais para ajudar umas às outras nas dificuldades e nos desafios da maternidade. Percebemos que o aleitamento materno é um dos temas recorrentes entre elas. Com a nossa nova campanha, pudemos abordar essa questão de maneira afetiva para também incentivar outras mulheres a ampliar ainda mais esse laço de apoio”, comenta Renata Assis, gerente geral de Marketing da Panasonic Brasil.

Como armazenar

  1. O recipiente para armazenagem do leite materno deve ser de vidro e a tampa pode ser de plástico.
  2. Deve-se retirar todos os rótulos, incluindo o papel interno da tampa (se houver).
  3. Lavar bem com detergente neutro.
  4. O recipiente e a tampa devem ser fervidos por 10 minutos na água; e após retirá-lo, deixe-o de cabeça para baixo até secar e esfriar.
  5. Em seguida, feche com a tampa.
  6. Esse recipiente após esterilizado, poderá ser utilizado em até 10 dias, mas só poderá ser utilizado para armazenar leite uma única vez.
  7. Se for reutilizá-lo, uma nova esterilização deverá ser feita, porém não é indicado esterilizar esse mesmo frasco mais de 3 vezes.

Passo a passo para a doação de leite materno

Veja também na Agenda Positiva desta semana: Shopings do Rio recebem frascos para leite materno até dia 28

 

Dicas para extrair o leite materno, sem desperdício

amamentação

amamentação exclusiva é primordial na vida do bebê até os seis meses de idade, oferecendo todos os nutrientes e vitaminas que a criança precisa para construir um sistema imunológico saudável, além de suprir suas necessidades nutricionais e psicológicas. Porém, em muitas ocasiões, entre elas o retorno das mães ao mercado de trabalho, o aleitamento não pode ocorrer diretamente no seio.

A extração do leite materno assegura que o bebê tenha a quantidade que necessita de leite da mãe em cada mamada, além de auxiliar no estímulo da produção. A maneira correta de armazenamento também merece atenção especial. É nessa etapa que seguir as orientações corretas garante a não contaminação do leite materno.

Lavinia Springmann, fonoaudióloga e consultora de amamentação da NUK, marca alemã de acessórios para bebês, explica os passos para a extração e armazenamento adequado do leite materno – inclusive para doação.

Extração

Escolha um extrator

Um extrator de leite é o ideal e há diversas alternativas no mercado, incluindo versões manuais e elétricas. A escolha é um processo individual. Vale experimentar e pesquisar o que se adequa melhor a mãe. É interessante considerar um extrator que já conte com recipiente para o leite, evitando despejar em outro local e facilitando muito o processo.

Atenção para a higienização

Não esqueça: é fundamental sempre higienizar as mãos antes da extração do leite materno. As partes da bomba tira-leite que estão em contato com as mamas, no caso de utilizá-las, também devem ser higienizadas.

Sem ansiedade

Esse é um momento tranquilo e natural. É importante estar em um local aconchegante. É comum ter certa dificuldade nas primeiras vezes, ainda assim, não há motivo para nervosismo. Com calma, será cada vez mais simples.

Armazenamento

Recipiente, um ponto importante

A escolha do recipiente exige precaução. Ser livre de Bisfenol, substância não recomendada por profissionais da área médica, além de contar com tampa e local para marcar a data e horário da extração são algumas das principais características. Algumas bombas extratoras já vêm com recipientes para armazenar o leite.

Evite o microondas

Para utilizar o leite armazenado, o ideal é que ele seja descongelado na geladeira. Em caso de necessidade de uso imediato, o leite pode ser desgelado em banho-maria. Não utilize o microondas. Após descongelado, deve ser aquecido em banho-maria fora do fogo. Não ferva.

Conservação

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que o leite materno (não pasteurizado) seja conservado em temperatura ambiente por até duas horas, em geladeira por até 12 horas e, no freezer, por até 15 dias.

 

Fonte: Panasonic e NUK

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.