É noite de São João! Cuidado para não se queimar

Especialistas alertam para o alto índice de acidentes com fogos nesta época do ano, podendo provocar queimaduras principalmente entre as crianças. Veja dicas para prevenir

Fogos causam queimaduras em festas juninas Especialistas alertam para o perigo da manipulação dos fogos nesta época do ano

É hora de vestir as roupas caipiras, dançar quadrilha e se deliciar com guloseimas como bolo de milho, pé de mole e tomar quentão. Neste fim de semana de São João (24 de junho), tem muita festa junina espalhada pela cidade e opção é o que não falta. Mas para que a diversão fique completa, também é preciso tomar alguns cuidados. Dados da Sociedade Brasileira de Queimados apontam que cerca de 1 milhão de acidentes que causam queimadura acontecem por ano. O risco destes acidentes cresce com as temperaturas mais baixas e o período das festas juninas.

Crianças com menos de dez anos e adultos em idade produtiva (entre 20 e 29 anos) estão entre as principais vítimas desta ocorrência em virtude da curiosidade e pouca noção do perigo. “Elas também têm menor tolerância às temperaturas quentes e a pele mais fina que a dos adultos. Além disso, sofrem queimaduras a temperaturas mais baixas, de maior profundidade e que atingem maior superfície do corpo”, destaca a presidente da Associação Brasileira de Estomaterapia, professora Maria Angela Boccara de Paula.

A tradicional fogueira, os balões, a brincadeira com os fogos de artifício e até a manipulação dos caldos, prato tradicional desta época, representam um perigo não só para as crianças, mas também para os adultos. Por isso, neste período, o risco desse tipo de ferimento aumenta e a atenção deve ser redobrada. A utilização de líquidos quentes, de fogueiras e fogos de artifício deve ser feita com cuidado para evitar as queimaduras, que podem causar danos severos.

Veja mais:

Festas juninas e fogos: risco que pode ser evitado

Festas juninas: quando a tradição vira dor de cabeça

Atendimento em hospitais do Rio e Região Metropolitana

No Hospital Estadual Alberto Torres (HEAT), em São Gonçalo, especializado no atendimento às vítimas de acidentes, são atendidos vários pacientes com queimaduras nos meses de junho e julho. Só em 2016, a unidade realizou 104 procedimentos em queimados, nesta época. No Hospital Adão Pereira Nunes (HEAPN), em Duque de Caxias, em 2016, foram 37 atendimentos às vítimas de queimaduras no período de festas juninas, sendo 15% destes atendimentos feitos em crianças, o que reforça a importância da conscientização dos pais.

“Uma prática muito comum nestas festas, as fogueiras, foram responsáveis por duas internações na UTI Pediátrica do HEAPN, no ano passado. Essas crianças tinham face, pescoço e mãos queimadas, pois usaram álcool para acender as fogueiras”, alerta a coordenadora da Pediatria do HEAPN, Claudia Falconiere.

A pediatra destaca ainda quais os casos mais frequentes de queimaduras nesta época. “Pequenas queimaduras nos pés, face e tronco são muito comuns. Brincadeiras aparentemente inocentes com estalinhos são causadoras de queimaduras nas extremidades dos dedos, por exemplo. E com a manipulação de fogos de artifício, o risco de queimaduras de terceiro grau, aquelas em áreas maiores do corpo, aumentam”, explica ela.

“O período de festas juninas é também a época em que mais nos preocupamos com as vítimas de queimaduras. E se a pessoa tem esse ferimento e precisa de atendimento hospitalar, é porque quase sempre o ferimento é grave. O tratamento é longo e exige uma equipe com diferentes profissionais. Temos casos de pacientes que ficaram até um ano em tratamento com a nossa equipe “, explica Bruno Costa, coordenador da equipe de Cirurgia Plástica do HEAT.

O HEAT possui ainda um Centro de Trauma com 3 salas de cirurgia, além de um heliponto onde os pacientes mais graves chegam de várias partes do Estado. Todos os tipos de queimaduras são tratados no setor e o acompanhamento vai desde o primeiro atendimento, até a recuperação completa.

“A vítima com queimadura leve, pequena e superficial é atendida na emergência e quase sempre recebe alta logo depois. Mas quando o caso é grave e o paciente apresenta uma queimadura profunda, extensa, a equipe de cirurgia plástica desenvolve um papel fundamental. Mesmo depois da alta hospitalar esses pacientes precisam voltar ao hospital para o acompanhamento dos curativos”, ressalta Bruno.

Cuidados especiais

É importante que os adultos mantenham as crianças afastadas e respeitem as orientações para o uso dos fogos, por exemplo, como distância mínima para soltá-los. “As queimaduras causadas por fogos de artifício são muito graves e, na maioria das vezes, deixam sequelas físicas e psicológicas”, acrescenta Maria Angela. Queimaduras no rosto podem deixar cicatrizes importantes e, por vezes, deformidades. Pode ocorrer, ainda, a perda da visão em algumas situações, o que interfere na qualidade de vida, autoimagem e autoestima da pessoa.

O álcool também é um dos principais riscos, quando utilizado para cozinhar ou para o acendimento de lareiras e fogueiras. Ele é um dos grandes motivos de internações no Brasil e acidentes com esse produto provocam queimaduras gravíssimas, porque a chama é direta no corpo. Na ocorrência de uma queimadura, a primeira medida a ser tomada é lavar com água fria ou gelada o local atingido pelo fogo ou líquido quente. Em seguida, ir imediatamente para o atendimento médico.

“Em hipótese alguma deve-se utilizar produtos como pó de café, pasta de dente ou qualquer outra substância, pois com frequência há o agravamento da lesão”, ressalta Maria Angela Boccara de Paula. Essas ações podem prejudicar as lesões por causa da ação de produtos químicos.

Guia para prevenção de lesões

A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) lançou em 2017, o Guia SBAIT para prevenção de lesões por queimadura. O material, traz várias dicas de prevenção para evitar este tipo de ocorrência e destaca os perigos dos fogos utilizados neste período de festa junina. O guia é gratuito e pode ser acessado no endereço www.sbait.org.br.

“Poucas doenças trazem sequelas tão importantes como a queimadura. Mesmo que a vítima sobreviva, ela pode ter cicatrizes e contraturas que vão distorcer sua imagem, trazendo limitações físicas e problemas psicológicos, muitas vezes”, diz o diretor do Capítulo São Paulo e autor do guia, Bruno Pereira.

Além de dicas de como manusear os fogos de festas juninas, o guia também explica como a vítima deve proceder em caso de queimadura.  “A primeira coisa a fazer é colocar o membro ou o segmento queimado embaixo da água fria por pelo menos dez minutos ou até o alívio da dor”, explica Pereira. Também é importante remover objetivos, como anéis, sapatos e cintos. Logo na sequência, deve-se cobrir a área queimada com panos limpos e procurar auxílio médico imediatamente.  “As pessoas jamais devem usar medicamentos caseiros ou outras substâncias, como café, creme dental ou manteiga sobre a ferida”, orienta o médico.

Dicas dos especialistas para evitar queimaduras

* Não deixar que as crianças brinquem com estalinhos ou bombinhas. Esses artefatos parecem inofensivos, mas podem provocar queimaduras.

* Não utilizar álcool para acender churrasqueiras e fogueiras. Essa prática é perigosa e atrai o fogo para quem está jogando o álcool.

* Não permitir que crianças tenham acesso à cozinha e principalmente ao fogão durante o preparo das comidas típicas. Além disso, evite carregar crianças no colo enquanto manipula as panelas e produtos quentes.

* O perigo também está no acesso às substâncias quentes, como óleo de fritura e caldos. Além do risco de morte, essas substâncias geram cicatrizes que podem durar para toda vida.

* Não utilize toalhas de mesa compridas. As crianças podem puxar e trazer para si produtos quentes que podem causar queimaduras graves.

* Em caso de queimadura, não é recomendado aplicar no local remédios caseiros como: pasta de dente, manteiga, pó de café e outros. Essas medidas, não apenas pioram a evolução das queimaduras, como também dificultam o tratamento adequado, gerando infecções. O indicado é lavar a área atingida com água corrente até a dor passar.

* Desde a pequena queimadura, até as mais extensas, exigem cuidados específicos. Por isso, é sempre recomendado procurar o atendimento e orientação médica em todos os casos.

Como manusear corretamente os fogos

– Nunca aponte para pessoas

– Não solte fogos perto de copas de árvores e fios elétricos

– Acenda apenas um por vez

– Nunca tente reacender uma bomba que não tenha explodido

– Não solte rojões segurando-os nas mãos. Interponha rojões já usados ou varetas, mantendo-os a uma distância de 60 centímetros das mãos

– Não carregue bombinhas no bolso

– Antes de jogar um rojão usado fora, mergulhe-o em um balde de água

– Não guarde grandes quantidades de fogos em um só local

– Nas festas juninas, dê preferência para fogueiras pequenas e acenda-as longe de matas, depósitos de papel, produtos inflamáveis e ventania.

* Vale lembrar que fabricar, vender, soltar e transportar balões é crime ambiental. Para denunciar qualquer crime ambiental, a população pode ligar para: 0300 253 1177 (custo de ligação local para todo o Estado) ou 2253 1177 (capital).

Veja também:

Festa junina sem culpa: como enxugar as delícias típicas

Festa junina: atenção para a qualidade dos pratos

Festa junina: dá para resistir às tentações?

Da Redação, com Assessorias

Por Favor, Compartilhe!
1 Comment
  1. […] É noite de São João! Cuidado para não se queimar […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais