Já pensou em adotar um animal de estimação neste Natal?

Timotheo, o rei da Redação de ViDA & Ação, foi adotado no Natal de 2020. 84% dos gatos brasileiros são adotados. Entenda a adoção responsável

Timotheo Galileu, que nasceu na casa da jornalista Jéssica Lima, foi adotado no Natal de 2020 pela jornalista Rosayne Macedo e sua filha, Clarinha (Fotos: Álbum de Família)

Já pensou em adotar um animalzinho de estimação? Se respondeu que sim, então essa matéria é para você! Neste Natal faz um ano que o Timotheo Galileu chegou para alegrar nossas vidas. Nascido em 13 de setembro de 2020, em plena pandemia, numa ninhada de seis filhotes na casa da jornalista Jéssica Lima, foi rebatizado assim que botou os pés (digo, as patas) na nossa casa – que durante a pandemia se consolidou também como a Redação do Portal ViDA & Ação.

Sim, foi paixão à primeira vista – da minha parte e ainda mais da Clarinha, minha filha. Assim que chegamos lá na casa da Jéssica, naquela tarde de 24 de dezembro de 2020, batemos o olho no único ‘loirinho’ da turma e… pronto, estava escolhido! Não que os demais irmãozinhos não merecessem – todos eram muito lindos, fofos e simpáticos -, mas não tínhamos condições de acolher mais de um no momento em nosso apartamento. De lá pra cá, é só felicidade… e muita bagunça também!

Amoroso e dengoso, mas muito peralta e travesso – como, aliás, os gatos também devem ser – esse virginiano com pinta de sagitariano é um felino “carente e hiperativo”, como nos disse o primeiro veterinário a cuidar dele, ao traçar de cara sua personalidade, impressionado com sua docilidade.

Já me disseram que gatos laranjas – muito comuns e populares no mundo todo – são especiais. Mas acho que o Timothinho, de fato, ‘veio de encomenda’. Ao contrário de muitos gatos, ele adora um colinho, se aproxima da gente ou de qualquer visita querendo afagos, chamegos e, claro, um petisco extra porque ninguém é bobo aqui.

Aos poucos ele foi ocupando todos os espaços da nossa casa – e das nossas vidas. E rapidamente já se sentia o “dono do pedaço”. Sobe em cima de todos os móveis (a geladeira e a máquina de lavar são seus lugares preferidos), mexe em tudo que vê pela frente (caixas de papelão ele ama!).

Com seu instinto animal de manter as garras sempre afiadas, mesmo devidamente cortadas pela Clarinha, ele já detonou o sofá, a cortina da sala e vários lençóis. Não pode ver um adoçante ou colírio que ‘ataca’, faz furinho e lambe – vai entender… Ah, e adora dormir no meu “quentinho” – se aninha sempre no meu lado da cama ou na minha cadeira de trabalho.

Aliás, o Timotheo adora nossa companhia e está sempre por perto de mim e da Clarinha – sim, ele já se apoderou de nossas camas e prefere dormir nos nossos pés. Não pode me ver no computador ou notebook que lá vem ele se aboletar… muitas vezes na frente da tela ou no teclado. Não à toa já conseguiu me tirar do ar em plena live do projeto #PapodePandemia!

Nesse Natal, bem que temos tentado manter a árvore de Natal de pé, mas cadê que ele deixa? Começa a brincar com as bolas, derruba tudo e sai correndo, já sabendo que vai ganhar uma bronca (risos). Assim como nossa família, muitas outras escolhem essa data do ano para a nobre e oportuna decisão de adotar um animalzinho – afinal, Dezembro é a época em que mais se abandonam animais.

“Gato não é brinquedo nem presente”, bradaria uma amiga defensora dos animais. De fato, não é. Mas entre comprar um bem material para presentear um filho apenas por puro consumismo ou adotar para a vida toda um gatinho que precisa de um lar e atenção, por que não tomar a segunda decisão, de forma responsável e consciente?! Vale ainda lembrar que, além de companheiros, eles fazem um bem danado a nossa saúde emocional!!!

Leia mais

Dezembro é a época em que mais se abandonam animais
Rio lança campanha para adoção de animais que vivem em abrigos
Teste rápido detecta doença transmitida por gatos a humanos
Cães e gatos podem transmitir o novo coronavírus?

Amor incondicional e também terapia

O amor incondicional e a lealdade são elementos levados em consideração para as pessoas que desejam adotar um animal. A principal porta de entrada dos animais de companhia nas famílias brasileiras é por meio da adoção ou como um presente, de acordo com a pesquisa Radar Pet 2021. O levantamento realizado pela Comissão de Animais da companhia revelou que 84% dos gatos brasileiros foram adotados e 54% dos cães são frutos de adoção.

Com todo o avanço da ciência, pesquisas mostram que o convívio com os animais é considerado como um dos melhores recursos terapêuticos. A presença de um animal de estimação pode estimular o relaxamento, diminuindo a pressão sanguínea e o estresse do dia a dia.

“Os animais de companhia foram extremamente importantes para a saúde e bem-estar emocional das famílias durante o período de pandemia. E isso alavancou as adoções, que já era uma tendência forte, mas foi alavancada”, relata Leonardo Brandão, coordenador da Comissão de Animais de Companhia.

Guarda responsável: podcast traz histórias emocionantes

Quantas histórias cabem em uma jornada de adoção? O resgate, a acolhida no abrigo, os cuidados, o encontro com o tutor e, finalmente, uma nova vida. São muitos acontecimentos que costuram o grande enredo de cães e gatos abandonados até conquistarem um lar de verdade. Cada história é única, mas também universal, porque de alguma forma reverbera nos ouvidos e corações daqueles que amam os animais de estimação.

Essas histórias que se cruzam, narradas por muitas vozes e conduzidas com delicadeza pelo comunicador Marc Tawil são o mote do CuidaDoPet, um podcast da PremieRpet® sobre guarda responsável. A novidade traz emocionantes relatos de adoção, os bastidores do trabalho das ONGs e a palavra de grandes especialistas em comportamento pet.

São oito episódios, com veiculação sempre às terças-feiras, em semanas alternadas, nas principais plataformas de podcast, como Spotify, Deezer, Apple Podcast, Castbox, entre outras. A cada episódio, um bate-papo de Marc Tawil com tutores, voluntárias e profissionais que generosamente compartilham suas experiências de acolher, cuidar, amar e conviver com os animais de estimação.

O primeiro episódio do CuidaDoPet conta a emocionante história do cão Magoo, resgatado já idoso pela Associação MaxMello e que hoje vive sua melhor idade ao lado da tutora Marisa. O episódio tem ainda a participação especial de Dalton Ishikawa, comportamentalista animal.

CuidaDoPet coloca em evidência histórias que merecem ser contadas para inspirar e derrubar pré-conceitos sobre os animais que tiveram um passado de abandono e maus tratos. Todos merecem e podem ter uma vida plena e feliz, independentemente de sua origem”, afirma Madalena Spinazolla, diretora da PremieRpet®.

Projeto solidário – E para fechar um ciclo virtuoso de informação + ação, o lançamento do CuidaDoPet conta também com uma iniciativa solidária. A PremieRpet®, juntamente com o comunicador Marc Tawil, promoveu a doação de 1,6 tonelada de alimentos para as 6 ONGs participantes do podcast.

As organizações fazem parte do projeto Medicina Veterinária de Abrigos (MVA) do Instituto PremieRpet® – braço social da empresa que há anos contribui para tornar a alimentação de alta qualidade mais acessível para cães e gatos que estão sob cuidados dessas ONGs.

Leia ainda

Diabetes em pets: como identificar e tratar a doença entre cães e gatos
Novembro Azul: prevenção também vale para pets 
Alerta para doença que atinge gatos e humanos
Negligenciadas, zoonoses ameaçam a saúde pública em todo o mundo

 

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais