Quando a tecnologia atua em favor do autismo

Aplicativos e ferramentas voltados para a educação podem e devem ser utilizados como um meio para se ajustar à realidade e características de cada um

 

Uma das formas mais democráticas e utilizadas atualmente para o desenvolvimento infantil, e que pode também ser implementada na educação das crianças com autismo é a tecnologia. Aplicativos e ferramentas voltados para a educação podem e devem ser utilizados como um meio para se ajustar à realidade e características de cada um.

“Os vídeos e desenhos infantis, por serem atrativos aos pequenos, podem ser um meio de aproximar pais e filhos, desde que eles assistam juntos, comentando e compartilhando suas impressões sobre o conteúdo. Ou seja, os meios digitais, assim como outras brincadeiras, devem sempre promover momentos em família, de trocas, em que a relação interpessoal é privilegiada sempre”, explica Sarah Helena, formada em psicologia, curadora na PlayKids.

Já os livros continuam sendo uma ferramenta importante para explicar o significado de ser autista e todo o universo que permeia essa condição. “A literatura vem abordando o autismo de forma suave e compreensível para aqueles que se enquadram no espectro, para quem conhece ou até mesmo para quem nunca ouviu falar sobre o TEA. As obras destinadas à temática mostram as características presentes no autismo e apresentam formas de conviver com elas, destinadas a qualquer pessoa que tenha interesse sobre o assunto”, acrescenta Sarah.

Na coleção Mundo Azul, criada pela Leiturinha, maior clube de assinaturas de livros infantis do Brasil, o tema autismo é abordado em todos os livros. No kit, os assinantes recebem os livros ‘A Escova de Dentes Azul’ (do autor Marcos Mion) e ‘O Menino Só’ (escrito por Andrea Viviana Taubman). Juntos, eles auxiliam no entendimento e compreensão sobre o autismo, além de mostrar as características presentes no transtorno e apresentar formas de conviver em harmonia com os pequenos.

Saiba mais sobre como identificar os sintomas do autismo

Atividades online

Em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, celebrado em  2 de abril, a PlayKids preparou uma lista de atividades para estimular os pequenos diagnosticados com TEA. A proposta também de apresentar o tema, para que todos pequenos e adultos entendam um pouquinho mais sobre o mundo azul. Confira!

Hora de Escovar os dentes (ABC’s) – A maioria dos dentistas recomenda que todos deveriam escovar os dentes por pelo menos dois minutos, três vezes ao dia. Para algumas crianças pode ser difícil saber o equivalente a dois minutos. Essa música vai ajudar o pequeno a descobrir o quanto ele deve esperar enquanto escova os dentes junto com Junior.

Não sinto mais tanto medo assim (Eu Amo Aprender) – Ter medo do escuro é uma questão comum entre as crianças. Mesmo para o Theo, a tartaruguinha mais esperta que eu conheço, tem medo do escuro. Chamem as crianças para assistir como o Theo superou esse medo!

Quando eu Durmo (Eu Amo Aprender) – Dormir bem depois de um longo dia de aprendizado é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para deixar seu cérebro saudável e feliz! Esse vídeo da PlayKids é o jeito perfeito de mostrar para as crianças todas as coisas maravilhosas que acontecem no seu corpo enquanto você dorme.

Plataforma pode baratear pesquisa

Quanto mais a ciência evolui em suas pesquisas, mais o transtorno se mostra complexo. Hoje, já se sabe que existem mais de 800 genes envolvidos na ocorrência do autismo. Isso significa que ele se apresenta de formas muito variadas. A afirmação é de Graciela Pignatari, cofundadora da Tismoo. Esta startup brasileira de biotecnologia é o primeiro laboratório do mundo exclusivamente dedicado à medicina personalizada para o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e outros transtornos neurológicos de origem genética.

Em parceria com o Grupo Fleury, um dos mais respeitados laboratórios da América Latina, a Tismoo anuncia uma novidade que pode ajudar significativamente alguns casos que antes ficavam sem resposta na pesquisa de alterações cromossômicas. A plataforma Fleury Genômica se responsabilizará pela geração dos dados de CGH-Array e a Tismoo pela interpretação específica destes dados e pela elaboração, emissão dos laudos e suporte para médicos e pacientes atendidos pela Tismoo.

“Um de nossos maiores desafios tem sido trabalhar intensamente para reduzir os valores dos exames. E isso é algo que estamos orgulhosos de viabilizar com esta parceria. A redução em relação ao nosso antigo valor é de quase 40%, uma notícia fantástica”, explica Gian Franco Rocchiccioli, cofundador da Tismoo. A iniciativa ajuda a conscientizar familiares e médicos que tratam crianças com autismo de que a análise genética e o aconselhamento são ferramentas importantes e com enorme potencial para ajudar no tratamento desses pacientes.

Mais sobre a nova tecnologia

A nova metodologia de Array genômico utilizará a tecnologia de ponta do Grupo Fleury, permitindo a detecção de alterações cromossômicas que anteriormente ficavam dentro do erro metodológico. Também é possível identificar ganhos e perdas de um único gene pela associação de resolução e o grande número de SNP (Single Nucleotide Polymorphism) cobertos pelo chip.

“Em parte significativa dos países desenvolvidos, como no Canadá, por exemplo, logo após o diagnóstico de TEA, as crianças são encaminhadas para a realização de Array genômico”, diz Diogo Lovato, cientista de genômica clínica da TISMOO. “A avaliação genética em casos de déficit de desenvolvimento, incluindo o TEA, já é da rotina clínica e preconizado pelo American College of Medical Genetics. Nesses países, o Array genômico é o primeiro passo dessa investigação”, completa Lovato.

Fonte: PlayKids e Tismoo, com Redação

Por Favor, Compartilhe!
1 Comment
  1. […] Como a tecnologia pode ajudar no desenvolvimento de autistas […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais