Os 10 fatores que influenciam na libido masculina

Obesidade, estresse, álcool, cigarro… Confira os principais motivos que causam dificuldades em alcançar o orgasmo e ereção entre os homens.

A falta de libido é um dos problemas que mais tira o sono de muitos homens. Ainda mais os brasileiros, que querem manter a fama de “bons de cama”. A perda do desejo sexual pode ocorrer totalmente ou parcialmente, tornando-se assim um problema entre casais, podendo, inclusive, gerar crises nos relacionamentos. O transtorno pode causar outros tipos de distúrbios, como dificuldade em alcançar o orgasmo e a dificuldade de ereção.

Muito além da questão social e moral, essas dificuldades representam um problema, de fato, para a saúde sexual masculina. De acordo com especialistas, as principais causas da falta de libido são a deficiência do hormônio sexual masculino, testosterona e o aumento da prolactina.

A melhor forma de se realizar o diagnóstico é procurar um médico especialista e realizar alguns exames para identificar os níveis de testosterona no organismo”, recomenda o cirurgião Emilio Sebe Filho, especialista em urologia, rins, próstata e prótese.

Abaixo, confira os 10 principais fatores que podem estar diminuindo a libido masculina:

Obesidade

A obesidade afeta o desejo sexual de duas maneiras: física, por alteração da tireoide, triglicérides, diabetes e aumento do colesterol, que podem causar queda de testosterona. E psicológica, em que o indivíduo não aceita o próprio corpo, causando a perda de libido.

Estresse

Em muitos casos o estresse é o principal responsável pela diminuição do desejo sexual. Com o aumento da energia usada na luta contra o estresse do dia-a-dia, o indivíduo perde o interesse na relação sexual. Em algumas ocorrências o estresse crônico pode resultar em uma redução dos níveis de testosterona.

Depressão

A depressão causa a falta de apetite, isolamento, dificuldade em fazer tarefas cotidianas, culpa e sentimento de impotência, afetando diretamente o apetite sexual.

Ansiedade

Pessoas que apresentam sintomas de ansiedade, como transtorno obsessivo compulsivo e síndrome do pânico, podem apresentar menos interesse sexual, em virtude do estado psicológico.

VEJA MAIS:

Cariocas maduros têm medo da impotência sexual, diz pesquisa
Homens devem dar à saúde a mesma importância do futebol
Dia do Sexo: aumentam as infecções sexualmente transmissíveis

 

Drogas e Álcool

O uso excessivo e elevado de drogas e álcool pode influenciar na liberação de hormônios, como a serotonina, progesterona e testosterona, causando a queda de libido. Eles podem alterar também o fluxo sanguíneo, afetando a ejaculação e a ereção.

Tabagismo

O habito de fumar, pode causar disfunção erétil aguda e crônica. Os componentes do cigarro (nicotina e alcatrão), após inalados, acabam na corrente sanguínea e são depositadas nos tecidos vasculares penianos, que posteriormente ficam fibrosos e não conseguem se estender, promovendo contrações, causando assim a dificuldade de ereção e diminuindo o fluxo.

Medicamentos

Algumas medicações utilizadas para o tratamento de doenças como depressão, hipertensão arterial e úlceras podem afetar os principais receptores da serotonina, diminuindo drasticamente o interesse sexual.

Disfunção Erétil

A disfunção erétil, consiste na dificuldade em alcançar e manter a ereção do pênis para garantir uma penetração satisfatória. O problema ocorre devido à quantidade insuficiente de sangue na região, ou quando não se mantém no órgão pelo tempo necessário para provocar o enrijecimento. Com os sintomas, o indivíduo tende a apresentar falta de desejo sexual.

HPB (Hiperplasia Prostática Benigna) 

A HPB, nada mais é do que o crescimento excessivo da próstata, que ocorre ao decorrer dos anos. Quando o desenvolvimento é excessivo a uretra sofre compressões, dificultando a ereção. Os principais sintomas são a necessidade constante e dificuldade para urinar, e sensação de bexiga cheia. Levando assim à disfunção erétil e queda da libido.

Diminuição da Testosterona

Os níveis de testosterona e prolactina costumam aumentar e diminuir, com o passar dos anos, causando queda de libido, perda de massa muscular e óssea, irritabilidade, indisposição, fadiga e gordura abdominal.

Como recuperar o desejo sexual?

Mas é possível recuperar o desejo sexual? O especialista garante que sim. E explica que geralmente as formas de tratamento incluem reposição hormonal, mudança de alguns medicamentos de hipertensão ou depressão, psicoterapia, abandono de vícios como drogas, cigarro e bebidas, mudanças de hábitos, e cirurgia de próstata.

Fonte: Lifemen®, com Redação

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais