7 temperos que ajudam a reduzir o sal nas refeições

Ouvimos dois nutrionistas e um médico cardiologista, que apontam a substituição do sal e condimentos industrializados por alimentos mais saudáveis

Redação

A alimentação é uma das principais preocupações para os hipertensos, que devem seguir uma dieta saudável e equilibrada, já que alguns alimentos podem contribuir com o agravamento do quadro clínico. A quantidade de sal das refeições não deve ser o único ponto de atenção do indivíduo que sofre de hipertensão.

O nutricionista Vítor Bersot, coordenador do curso de Nutrição da Faculdade Pitágoras de Guarapari, explica que as principais restrições alimentares para os hipertensos são os alimentos ricos em sódio, como embutidos, enlatados, biscoitos industrializados, sopas em pó, adoçantes e produtos diet e light, além dos ricos em gordura, como carnes vermelhas, queijos amarelos, margarinas, manteigas e salgadinhos fritos. Bebidas alcoólicas também devem ser evitadas.

“Existe uma variação na resposta do organismo ao submetê-lo à restrição de sal. Alguns indivíduos são sensíveis ao sal, outros nem tanto. Estima-se que metade dos hipertensos são sal-sensíveis, porém um terço dos não hipertensos também se comporta da mesma maneira. Na dúvida, permanece a recomendação para reduzir a ingestão de sal, evitando o consumo de alimentos empacotados, industrializados, geralmente elevados em teor de sódio”, recomenda

De acordo com Vitor, a hipertensão representa maior influência sobre o risco de morte por doenças cardiovasculares do que o tabagismo e quadros de obesidade, hiperglicemia e hipertrigliceridemia, por isso é imprescindível o cuidado com a saúde.

De acordo com a nutricionista Rosana Perim, gerente de Nutrição Assistencial do HCor, a maior parte das modificações de estilo de vida está relacionada ao controle alimentar tanto quantitativo como qualitativo, por meio de medidas dietéticas específicas visando não apenas a redução dos níveis da pressão arterial, mas também a incorporação de hábitos alimentares permanentes.

Mais sabor, menos sal: o sal de cozinha é um tempero universal e muito importante na culinária brasileira, mas também considerado um dos vilões para a nossa saúde quando consumido em excesso. Na alimentação, o sal é a principal fonte de sódio, presente naturalmente em alguns alimentos ou acrescido nas preparações para dar sabor e auxiliar na conservação. A população brasileira consome em média 12g de sal/dia, quando o recomendado pela Organização Mundial da Saúde e pelo Guia Alimentar do Ministério da Saúde é de 5g de sal/dia (= 1 colher de chá) o que corresponde aproximadamente 2,0 gramas de sódio.

“O sódio não está presente somente nos alimentos salgados, mas também em enlatados, embutidos (salame, mortadela, presunto, salsicha), conservas, pipoca de microondas, macarrão instantâneo, pão francês, refrigerantes diet e zero, adoçantes (ciclamato de sódio e sacarina sódica), e até mesmo em alguns doces. A informação da quantidade de sódio está presente nos rótulos, portanto fique atento e leia sempre antes de comprar ou consumir algum produto industrializado”, esclarece Rosana Perim.

Prefira o consumo de alimentos naturais: para se adaptar a essa recomendação de 5g/dia de sal, a nutricionista do HCor sugere as ervas aromáticas e especiarias como manjericão, tomilho, hortelã, salsa, erva-doce, louro, coentro, açafrão ou sálvia, assim como temperos do tipo pimenta do reino, curry, páprica, noz-moscada, canela, gengibre e cravo sejam utilizadas no preparo dos alimentos, a fim de melhorar o paladar da refeição sem comprometer a saúde.

Para substituir o sal de cozinha, prepare uma mistura de várias ervas aromáticas e especiarias que pode ser colocada no saleiro e utilizada à vontade na preparação e finalização de pratos. “A adoção de um plano de vida saudável é a principal conduta para prevenir e tratar a hipertensão arterial. Prefira o consumo de alimentos naturais como frutas, verduras, legumes e cereais integrais, carnes magras, aves sem pele e peixes”, sugere Rosana Perim.

TEMPEROS QUE AJUDAM A REDUZIR O SAL

Muitos alimentos ultra processados contêm alta quantidade de sódio como embutidos, enlatados, biscoitos salgados, maionese, alimentos em conserva, sopas e temperos prontos. Em relação ao sal de cozinha, alimento riquíssimo em sódio, o médico adverte que devemos consumir no máximo 5g por dia, o equivalente a 5 colheres de café rasas.

Segundo Marcelo Sampaio, cardiologista e membro do comitê científico do LAL, existem alguns substitutos do sal que podem trazer muitos benefícios para a saúde. “Temperos como alho, salsa, coentro, cebola, cebolinha, manjericão, tomilho, orégano, limão, louro podem ser excelentes ideias para alimentar-se com sabor e manter a saúde do coração”, diz o médico.

Confira alguns temperos que podem tornar a alimentação saudável e prazerosa:

Alho

Além de combinar com praticamente todas as comidas, é um anti-inflamatório natural. Na gripe, ajuda a eliminar secreções respiratórias e induz a sudorese, diminuindo a febre.  Ajuda a prevenir a arteriosclerose e abaixar a pressão arterial. Ajuda a remover a gordura da alimentação fazendo com que o organismo não a absorva completamente. Pode ser utilizado na forma de óleo, que tem recomendação de 60-100mg/dia, ou bulbo seco, 2 a 4g, 3 vezes ao dia.

Cebola

Limpa secreções respiratórias, melhora dores articulares, é antidepressiva, antioxidante e anti-inflamatória. Cuidado com a cebola crua em excesso, pois podem “agredir” o estômago. Caso haja sensibilidade, use-a na forma de caldos.

Limão

Tem propriedade anti-infecciosa, pode ser utilizado tanto na forma de sucos como na forma de chás. Utilizado para infecção urinária, pois cria um meio impróprio para a sobrevivência da bactéria no trato urinário. Cai muito bem para temperar saladas e peixes.

Tomilho

Antisséptico, ajuda na prevenção de problemas respiratórios, reduz o colesterol e  protege contra o envelhecimento das células. Utilize nos temperos, principalmente em alimentos consumidos crus como a salada e nas carnes como frango e carne vermelha

Manjericão

Antiviral, auxilia no tratamento de cataratas e diabetes. Acelera a cicatrização da pele e protege contra desconfortos intestinais. As folhas frescas podem ser consumidas com peixes ou rizotos, as folhas secas ou em pó para temperar várias preparações e alimentos

Salsa

Utilizada para problemas de circulação e retenção de líquidos, celulite, anemia e esgotamento físico. Beneficia a digestão e tireoide. Pode ser utilizado in natura, em forma de pastas ou em chás. Consumir 3 folhas de salsa antes das principais refeições ajuda a retirar as toxinas do organismo. Na forma de pasta, pode-se fazer um patê de salsa utilizando um maço e água suficiente para bater no liquidificador e ficar na consistência adequada. Tempere com azeite e passe em pães e torradas.

Alho Poró

Um vegetal com alto teor de fibras e inúmeras vitaminas e minerais, contribui para o bom funcionamento do intestino, previne câimbras,  fortalece os músculos e estimula a calcificação óssea. Previne o envelhecimento, melhora o sistema cardiovascular e estimula o sistema de defesa. Na culinária, por ter um sabor suave em relação a salsa, cebola e cebolinha, cai bem em quase todas as preparações culinárias.

VEJA A SÉRIE ESPECIAL HIPERTENSÃO:

Um em cada quatro brasileiros tem pressão alta
Metade dos hipertensos não sabe que tem a doença
Apenas 10% controlam a hipertensão arterial
Hipertenso pode (e deve) malhar, mas com moderação!
7 temperos que ajudam a reduzir o sal nas refeições
5 formas de controlar a hipertensão e evitar o infarto

 

Da Redação, com assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.