Home office traz riscos de trombose: saiba como evitar

Os especialistas listam riscos de ficar muito tempo sem movimentar as pernas. sugerem alguns exercícios que podem ser feitos até mesmo sentado

Redação
trombose

Com a pandemia do novo coronavírus e a orientação das autoridades de saúde para que, se possível, as pessoas não saiam às ruas, a tendência é que muita gente fique em casa, assista mais TV, coma besteiras e torne-se mais sedentário. A maior parte das empresas, especialmente companhias alocadas em escritórios, adotou desde o início o home office como solução de trabalho aos funcionários nesse período de quarentena. O formato, que já era conhecido, ganhou força em meio à necessidade de distanciamento social, ajuda a prevenir a propagação da Covid-19.

Mas o isolamento social imposto pela pandemia e o home office necessário para o desenvolvimento de muitas atividades de trabalho não podem ser sinônimo de sedentarismo, uma condição que favorece o desenvolvimento da trombose. O trabalhador deve ficar atento com a saúde das pernas, uma vez que, em boa parte do tempo, ele fica sentado em frente ao computador por um período muito longo.

Segundo Aline Lamaita, cirurgiã vascular e angiologista, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, a trombose ocorre quando um coágulo sanguíneo se desenvolve no interior das veias das pernas devido à circulação inadequada, impedindo, assim, a passagem do sangue. Em casos mais raros, o coágulo pode ainda se desprender da parede da veia e correr pela circulação até chegar ao pulmão, causando uma embolia pulmonar que pode até resultar em morte.

Morte de jornalista acende alerta para complicações da Covid-19 ao cérebro

10 coisas que você precisa saber sobre trombose

Manual de produtividade para home office em tempos de coronavírus

É preciso ativar a circulação sanguínea

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que as doenças cardiovasculares estão entre as maiores causas de mortes preveníveis no planeta. A ativação da circulação sanguínea local é essencial para prevenir doenças venosas, como varizes e trombose.

Gustavo Solano, especialista em Cirurgia Vascular e parceiro da Sigvaris Group, empresa suíça de acessórios de compressão graduada, lembra que ficar muito tempo parado em uma mesma posição, seja em pé ou sentado, pode prejudicar a circulação venosa nas pernas. “Há o risco do agravamento de doenças vasculares porque a posição dificulta o retorno do sangue venoso, favorecendo o aparecimento de dor e edema nas pernas”.

Por isso, é importante que quem está trabalhando em casa tenha em mente que é preciso fazer alguns intervalos ao longo do dia para se movimentar, a fim de prevenir os sintomas citados (dor e inchaço), assim como casos de tromboflebites, trombose venosa profunda e piora das varizes e microvarizes em casos mais avançados”, diz ele.

A cirurgiã vascular Aline Lamaita afirma que permanecer muito tempo parado e sem movimentar as panturrilhas faz com que a velocidade do sangue dentro dos vasos diminua. “Para evitar o quadro, é essencial caminhar dentro de casa e fazer simples exercícios a fim de minimizar o risco do problema”, diz a médica.

Dicas para manter a saúde das pernas

  1. Movimente-se, mesmo sentado – “É muito importante se exercitar para evitar a sensação de cansaço nas pernas. Movimentar os tornozelos pode aliviar o desconforto”, explica Dr Gustavo. Uma dica da dra Aline é exercitar os calcanhares. “Esses simples cuidados já estimulam a circulação e minimizam consideravelmente o risco de trombose”, explica a médica.
  • Comece com os pés no chão e, em seguida, levante os calcanhares enquanto mantém as pontas dos pés no chão, permanecendo nessa posição por alguns minutos.
  • Depois, coloque os calcanhares no chão e levante os dedos dos pés. Segure por alguns segundos e repita o alongamento algumas vezes”, ensina.
  • Outro ótimo exercício consiste em traçar círculos com os pés por alguns segundos, mudando de direção de fora para dentro e de dentro para fora.
  • Você também pode dobrar a perna abraçando os joelhos o mais próximo possível do peito. Permaneça assim por alguns minutos, sempre trocando de perna.

2. Levante do banco, cadeira ou poltrona e caminhe um pouco. Outra medida muito simples e que estimula bastante o fluxo sanguíneo é caminhar pela casa. “A natureza de nosso corpo é estar em movimento, portanto, é essencial se levantar sempre que possível e caminhar. O movimento ajudará a manter a circulação ativa”, ressalta o médico.


3. Use meias de compressão graduada: a compressão graduada, além de promover conforto e bem-estar, auxilia no direcionamento correto do fluxo venoso e linfático. Com isso, não ocorre o acúmulo de sangue na região inferior das pernas, permitindo uma nítida melhora na circulação.

4. Adote hábitos saudáveis: Além de movimentar as pernas, existem outras medidas que podem ajudar a prevenir a trombose venosa, como evitar o fumo, bebidas alcoólicas e remédios que estimulam o sono, já que, se passarmos muito tempo dormindo, não exercitaremos as nossas pernas.

A adoção de cuidados de prevenção também é muito importante, já que se trata de uma condição muito séria. Por isso, evite o sobrepeso, mantenha uma rotina de alimentação balanceada, beba bastante água, não utilize sapatos desconfortáveis com frequência e pratique atividades físicas regularmente”, finaliza a Dra Aline.

Grupos de risco devem ficar atentos

Além do sedentarismo, beber pouca água e alimentar-se mal são fatores que dificultam a circulação. A atenção deve ser redobrada por indivíduos que possuem fatores individuais que agravam os riscos de desenvolver o quadro, como obesos, tabagistas, portadores de câncer, pessoas que utilizam hormônios ou pílulas anticoncepcionais, predispostos a coagulação sanguínea, gestantes, idosos, deficientes físicos e portadores de varizes, complementa.

Caso faça parte de algum dos grupos de risco, o ideal, segundo a Dra. Aline, é se consultar com um cirurgião vascular, já que agora o Conselho Federal de Medicina (CFM) possibilita o atendimento a distância. O médico pode passar algumas recomendações, como, por exemplo, o uso de meias elásticas de compressão.

Com Assessorias